Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Garotinha é registrada com o nome de suas duas mães em Bauru (SP).



Lithiene Aline Barbosa e Thaís Preto de Godoi conseguiram, sem precisar fazer auê com a Justiça, a proeza de colocar dois nomes na certidão de pequena filha de 3 anos.

A filiação das duas foi cedida diretamente do cartório, através de um pequeno procedimento administrativo. De acordo com dados, essa é uma decisão inédita na cidade de Bauru, interior de São Paulo.

“É um orgulho. Eu nem estou acreditando que tem a certidão com meu nome. Falaram para gente que se fosse com o advogado demoraria meses e foram apenas duas semanas”, disse Thais sobre sua sua filha, Rayssa Preto Rosa Barbosa, ter o seu nome em sua certidão de nascimento.

A pequena é filha biológica de Lithiene, e o sobrenome já era para ter sido colocado há muito tempo, mas devido a questões judiciais, isso acabou demorando. “Todo mundo falava que ia demorar e isso ia desanimando. Sei que é só um papel, mas agora a Thais tem direitos. Antes tudo dependia de mim, matrícula na escola, médico, ela não assinava nada”.

Thais revelou que a filha ficou muito feliz ao saber que agora tem o nome de suas duas mães em sua certidão e que não vê a hora de voltar de férias da escola para contar pros seus amigos.

A união deste casal hindu vai fazer você acreditar novamente no amor.


McCane (à esquerda) e Salapathy Rao na cerimônia de noivado, na Austrália


“Na primeira vez, conversamos oito horas e meia sem parar”, disse McCane ao The Huffington Post. “Foi uma ligação incrível.”

John McCane e seu futuro marido, Salaphaty Rao, vivem em lados opostos do mundo – McCane em Peebles, Estados Unidos, e Rao em Melbourne, Austrália. Contra todas as probabilidades, suas crenças (e o Facebook) uniram essas almas gêmeas.

Este ano, os dois celebraram essa incrível história de amor – com uma grande cerimônia hinduísta de noivado. Mas, antes disso, muita coisa teve de acontecer.


McCane e Rao na Parada do Orgulho Gay de Melbourne deste ano.

Um dos aspectos da religião que o atraíram foi como as escrituras tem um histórico de aceitação da fluidez dos gêneros. Apesar de a Índia ainda ter um longo caminho político e cultural pela frente no que diz respeito aos direitos da população LGBT, escrituras antigas contam histórias de deuses que mudaram de gênero, deuses que vestiam roupas do sexo oposto, deuses filhos de dois homens ou duas mulheres e deuses que pertencem ao “terceiro sexo”.

Parecia não haver lugar para McCane na teologia cristã. Mas no hinduísmo, sim.

“Para mim, o cristianismo parecia alienante... especialmente morando numa região conservadora, era muito difícil me conectar com ele”, disse McCane ao The Huffington Post. “Mas a fluidez de gênero [do hinduísmo] era absolutamente maravilhosa e realmente me conquistou.”

Ele acabou se mudando para a Índia, onde começou a estudar para ser pastor da tradição Sri Vaishnava, uma das denominações do hinduísmo. Quando voltou para os Estados Unidos, McCane abriu um espaço de culto em sua casa, sonhando em um dia construir um templo.

Do outro lado do mundo, Rao vivia a sua jornada espiritual. Nascido na Malásia de uma família indiana, Rao, 23, também seguia a tradição Sri Vaishnava. Ele se mudou para Melbourne para fazer faculdade e, segundo McCane, se envolveu com a comunidade hinduísta da cidade, realizando cerimônias rituais nas casas das pessoas.

Rao começou a se conectar com outros integrantes da comunidade LGBT por intermédio de um grupo do Facebook para hindus – o mesmo grupo do qual participava McCane. Certo dia, o americano postou um link que despertou o interesse de Rao, e os dois começaram a conversar.


McCane e Rao fazem uma cerimônia do sacrifício com fogo.

Eles se conheceram pessoalmente na Índia, em 2013, e decidiram fazer uma viagem de trem juntos para mostrar seus lugares favoritos do país.

“Quando finalmente nos encontramos, foi incrível, renovador”, disse McCane. “Houve alguns momentos horríveis, quando ele ficou muito doente e tive de cuidar dele, e outras pequenas aventuras. Nos ajudou a crescer juntos. [No final da viagem], a ligação era forte o suficiente para tentarmos um relacionamento à distância.”

Em meados do ano passado, Rao pediu McCane em casamento durante uma viagem aos Estados Unidos. O casal queria se certificar de que a família de Rao pudesse participar da celebração.

Então, em fevereiro deste ano, a família de Rao fez uma grande festa de noivado para os dois. Como eles não encontraram um padre para realizar a cerimônia, o próprio Rao a conduziu.


Amigos e parentes de Rao cercam McCane durante uma procissão


McCane diz que ficou “abismado” com o apoio recebido pelos parentes e amigos de Rao.

“A família dele se envolveu e apoiou completamente, dos avós, com 70 e 80 anos, às famílias de meia idade, pois todos o amam muito”, diz McCane.

O casal planeja fazer duas festas de casamento no ano que vem – uma nos Estados Unidos e uma em Melbourne ou na Índia. McCane espera que Rao possa se mudar para os Estados Unidos, para que eles possam morar no mesmo continente pela primeira vez.

Não importa o que venha pela frente para os dois, McCane diz que ele e seu futuro marido dividem o mesmo sonho – abrir um templo e ashram eco-sustentável que acolha pessoas de todas as crenças, orientações sexuais e expressões de gênero.

“É muito especial encontrar alguém com esse mesmo sonho”, diz McCane.

Veja abaixo mais fotos da cerimônia de noivado:



Simsalaram, a mãe de Rao, remove o olho do mal com uma chama de cânfora (Dhrishti)


O começo do Niscayartartha. No ritual, ambos prometem criar uma união, e eu (McCane) sou aceito na família Rao. Aqui nossos queridos amigos estão no lugar dos meus pais, de modo que eles possam simbolicamente concordar que eu me una à minha nova família.


Roupas novas que usaremos depois do ritual e guirlandas que representam nossa união


Depois de se trocar, os parceiros voltam para a sala para receber as bênçãos dos presentes


Os noivos se sentam para que cada um dos convidados faça uma oferenda de pasta de sândalo, kum kum, água de rosas e arroz.


Mais arroz!


A troca de alianças, finalmente


O bolo! Não é parte da tradição, mas é delicioso


Mehindi em estilo tradicional foi aplicado nos pés e nas mãos dos noivos


Rao coloca sua guirlanda em McCane.


O casal feliz.



Como o casal não encontrou um padre disposto a celebrar a cerimônia, Rao, que é padre, conduziu os rituais ele mesmo.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...