Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Fernando Grestein Andrade, irmão de Luciano Huck, se assume gay e está namorando ator.




De acordo com o Léo Dias, do jornal “O Dia“, Fernando Grestein Andrade (35), acaba de se assumir gay em uma postagem feita em uma das suas redes sociais.

Ao que parece, o cineasta que é irmão de Luciano Huck liberou o post só para pessoas mais próximas. O artigo feito por Léo ainda ressalta que Fernando estaria namorando um ator, que não teve seu nome divulgado.

Mesmo sem aparentar os 35 anos, Fernando já dirigiu filmes como Caetano Veloso nu no documentário “Coração Vagabundo“, em 2009, e dirigiu o filme “Quebrando Tabu” de 2011.

Vale lembrar que no Instagram, por exemplo, o diretor sempre deixou claro seu apoio à comunidade LGBT.


Irmão de Luciano Huck dá a melhor resposta após ser “tirado” do armário.

Após ser alvo de especulações a respeito de sua sexualidade, Fernando Grostein Andrade, irmão de Luciano Huck, resolveu mandar um papo reto. Na madrugada desta quarta-feira (13), o cineasta compartilhou um texto no Instagram contando que um jornalista analisou suas redes sociais e publicou que ele havia se assumido gay.

“A verdadeira notícia deveria ser: ‘em 2016 um jornalista acha que ser gay é notícia’. A conclusão veio talvez por causa dos meus inúmeros posts em apoio ao movimento LGBT. Por lógica, deveria ter dito que sou feminista, anti racismo, anti proibicionismo e um monte de outras coisas. E sim, eu sou tudo isso e já faz muitos anos que não escondo ser gay”, afirmou.

“Graças ao carinho da minha querida família e amigos, percebi que não tem porque esconder. Um dia quem sabe todos nós iremos nos orgulhar de simplesmente sermos ‘humanos’. Beijos”, concluiu Fernando, recebendo o apoio de seus seguidores.

“Com tanto trabalho incrível que você faz, a pessoa quer noticiar isso! Mas acredito que, no final das contas, o amor ainda vai falar mais alto!”, enviou uma internauta. “Sou muito seu fã. Maravilhoso”, disse outro. “É assim que se põe a cara no sol”, brincou um terceiro.

Colírio Trans: Téhh Queiroz tem 22 anos e é um garoto encantador.




O jovem transexual Téhh Queiroz, 22, estudante de engenharia elétrica, nasceu e cresceu em Campinas, São Paulo, e há 10 meses realizou o sonho de fazer a sua mastectomia (retirada das mamas). Loiro, olhos verdes, ele treina todo dia e celebra sua conquista ao lado da namorada Juh Priingles, com quem está há três anos, e junto com toda a família que o apoiou incondicionalmente.

Quando pequeno, ele guardou um segredo: sabia que era diferente e desejava não precisar usar roupas femininas. Ele odiava ter que usar biquíni e percebia a pressão para que fosse mais feminino no seu modo de vestir e agir.
 
Aos 15 anos, descobriu que existiam outros como ele, que a liberdade de ser quem ele queria era possível. Então, Téhh cortou o cabelo e passou a usar roupas que mais se adequavam ao que seu interior dizia. Aos 20 anos, decidiu dar um passo a mais e receber a hormonização. Aos 21 anos, retirou as mamas e, aos 22, agora, está pronto para contar a sua história com exclusividade para a Lado A.

“Só aos 20 anos descobri que era possível realizar a transição com tratamento hormonal e cirurgias... então corri para realizar o mais rápido possível!!!”, conta. Para ele, a genitália não é um desconforto e não pensa em usar uma prótese peniana. Já a mudança do nome e gênero nos documentos não é tão importante agora mas um dia pretende enfrentar esta burocracia mas usa o apelido Téhh sem problemas.
 
Téhh conta que enfrentou preconceito ao procurar ajuda médica na rede particular. Um médico chegou a expulsar ele do consultório quando pediu pela mastectomia e disse que era aquilo uma “mutilação”, que não faria. Outra médica evocou o Código Internacional de Doenças para dizer que ele tinha uma doença e precisava de tratamento.
 
Em casa, ele recebeu o apoio dos pais e das duas irmãs. O pai, segundo ele, foi o mais tranquilo e apenas disse: “o que importa é estar feliz”.  Seu sonho é terminar a faculdade de Engenharia, fazer pós graduação no exterior, deixar seu inglês mais fluente e abrir um negócio próprio. Ele não se importa quando se referem no feminino, pois sua vivência o fez concluir que o binarismo macho ou fêmea não tem importância para ele. Com esse apoio que recebe em casa, Téhh se mostra bem resolvido em tudo em sua vida e comprova que a família é ainda mais importante quando se é transexual, sorte com a qual nem todos podem contar.

Confira a metamorfose da aparência  Téhh por meio das suas fotos:




Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...