Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ







Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:


Sou extremamente inseguro e isso tem causado problemas no meu namoro

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandreamorim17@hotmail.com


 


Eu namoro há apenas um ano e começamos a brigar com bastante frequência nas últimas semanas.  Eu tento agrada-lo de todas as maneiras que consigo, mas isso as vezes parece sufoca-lo. Ele me disse isso na nossa última briga. Eu sou bastante inseguro em todas as áreas da minha vida, mas no namoro eu supero todos os limites. Eu fico preocupado se ele não me liga, ou se não nos vemos por mais de dois dias ou se ele não faz declarações de amor. Eu sei que eu estou errado, que esse meu modo de ser é um problema principalmente para mim e que isso põe em risco o meu namoro. Queria entender melhor o que acontece e o que eu poderia fazer para nos ajudar. Obrigado.

Hélio, 18 anos

           
Olá Hélio. Quando a insegurança surge em um relacionamento é comum que ela domine e preencha a pessoa de dúvidas quanto aos sentimentos do outro, do quanto ele é comprometido com a relação, do quanto vale a pena ter esta pessoa em sua vida e pensamentos do tipo, nada positivos. Um namoro deve constituir um tempo de conhecimento, de descobertas, de bons momentos. Esse não deve ser um momento que deva ser vivenciado como um campo minado, com desconfianças, preocupações desnecessárias ou sofrimento. O sabor do namoro tem que ser bom, gostoso, interessante e prazeroso. E a insegurança tira esse sabor.

Em um primeiro momento podemos pensar que agradar é o mesmo que gerar prazer. Mas como você tem aprendido com a própria experiência, nem sempre é assim que funciona. As vezes ao tentar agradar nós acabamos sufocando o outro, dando mais do que ele precisa. É importante não esquecer que agradar o namorado ou quem quer que seja, não significa fazer tudo o que a pessoa quer. Um grande problema consequente é que você pode acabar tornando-se refém da relação sem perceber, gerando um ciclo vicioso onde você tem que estar o tempo todo satisfazendo o outro para “segura-lo” ou receber um “pouquinho em troca”.

Toda relação saudável, é fundamentada em trocas justas, um entrega todo seu carinho, amor, atenção e dedicação e em troca recebe reciprocidade. Quando nos damos conta que somos inseguros o primeiro passo é a autorreflexão, pergunte-se: o que mais te incomoda? Como você pode mudar os pontos negativos da relação?

Mas não assuma toda a responsabilidade e/ou culpa pelas brigas constantes. Não se esqueça de que em uma relação você não está sozinho. A outra pessoa também deve mudar ou se adaptar às mudanças. Cumplicidade e compreensão são alicerces base para um relacionamento saudável.

Quando isso não acontece, ou seja, quando estamos em uma relação que o outro não está tão aberto a receber e responder com reciprocidade, alguém que não está preparado a mudar por ou com alguém, neste caso talvez você precise repensar sobre sua relação.

Mas de onde vem a insegurança? Todo trauma gera uma insegurança, sem exceção. E, se essa insegurança não for trabalhada, vai transformando-se e pode chegar a uma proporção tamanha que te impeça de fazer muitas coisas. Porém muitas inseguranças dos adultos não vêm de situações do seu passado distante. Cada caso tem sua especificidade e sua graduação.

Talvez não seja fácil mudar uma característica tão profunda sem ajuda. Fazer psicoterapia pode ser o melhor caminho para conseguir resultados mais rápidos. Vale ressaltar o sigilo profissional. É importante lembrar que você será respeitado dentro de um ambiente seguro. A terapia certamente será um espaço para você se entender, perceber melhor como você funciona.

Os caminhos que serão traçados vão depender da(s) causa(s) da sua insegurança. Por exemplo, pessoas que tenham sua insegurança movidas por traumas vividos em alguma etapa da vida, podem ter seu tratamento orientado pelo psicólogo voltado para a compreensão e superação deste(s) trauma(s), ou pessoas que apresentem sua insegurança devido à ausência de habilidades sociais, por exemplo, poderão ter a psicoterapia direcionada a adquirir essas habilidades.




Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...