Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ



 




Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:


Morar juntos: Como fazer com que a divisão das tarefas domesticas não sobrecarreguem uma das partes e destruam a relação?

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandreamorim17@hotmail.com


 


Preciso muito de ajuda. Parece que eu não conhecia um lado do meu namorado até decidirmos morar juntos. Ele é extremamente desorganizado, não colabora com a limpeza e quando ele faz é só depois de brigarmos muito. Por ele a gente passa dias sem lavar a louça ou semanas sem limpar o banheiro. Não imaginava o quanto esse estresse poderia prejudicar a nossa relação. E só estamos morando juntos há 5 meses. Vejo pouco a pouco nós nos distanciando mais um do outro por conta disso, que na teoria parece tão fácil de solucionar. Minha pergunta é como podemos fazer para melhorar e não deixar que as tarefas domesticas implodam a nossa relação?
Robson, 24 anos 
           
Dividir as tarefas domésticas é um dos grandes desafios à solidez de um relacionamento. Se a relação não estiver solida o bastante e não existir um verdadeiro entendimento quanto a essas obrigações rotineiras de morar juntos, certamente os conflitos gerados poderão levar tudo que vocês construíram por água a baixo. E se no futuro pensam em ter filhos é bom que resolvam esses conflitos muito antes, pois com a chegada dos pequenos as tarefas se multiplicam, o sono escasseia e é relativamente fácil perder toda a paciência e viver brigando como em um cabo de guerra sobre quem fez o quê.

Mas como evitar o estresse e dividir as tarefas sem brigas? Como dividir de maneira saudável as tarefas? A primeira coisa é esquecer tudo o que você já ouviu de teorias sobre trabalho em equipe.

< > DIVIDIR 50% PARA CADA TALVEZ NÃO SEJA A SOLUÇÃO

A primeira coisa a saber é que nem todos os casais “felizes” (em falta de palavra melhor) dividem as tarefas domesticas em uma perspectiva “olho por olho, dente por dente”. É verdade! Há cada vez menos casais, sobretudo nos relacionamentos gays, em que um dos membros do casal fique em casa, abdicando de uma carreira profissional e dedicando-se ao cuidado do lar, embora este modelo de relação continue existindo. Dito isso, destaco que não há nenhuma fórmula mágica que sirva para todos os casais. Aquilo que faz a família “Rocha” feliz não é necessariamente o que vai trazer a felicidade para família “Medeiros”.

Quando ambos trabalham fora de casa é muito menos provável que as tarefas domésticas possam recair totalmente sobre um dos membros do casal. Na maioria dos casos é preciso que haja uma divisão harmoniosa para que ambos se sintam felizes. Mas o que seria essa tal de “divisão harmoniosa”? Para uns é qualquer coisa como “Um limpa o banheiro e os vidros e o outro limpa a sala e os quartos”. Para outros é “Um cozinha e o outro lava a louça”. Mas o que se percebe funcionar melhor é uma divisão aparentemente mais desequilibrada, em que as tarefas domésticas recaem maioritariamente sobre um, aquele que teria mais tempo livre em casa. Porquê? Porque o outro trabalha muito mais horas fora ou porque trabalha por turnos… ou por outro motivo qualquer.

< > RESPEITE OS LIMITES E MANEIRAS DO OUTRO

Algo que gera muito conflito é achar que existe uma maneira única de se fazer corretamente as tarefas. Essa maneira única e correta não existe! Esperar que o seu namorado faça as tarefas domésticas do seu jeito é injusto e ineficaz.

Para algumas pessoas aquilo que pensam que “funciona” é um trabalho de equipe em que um coordena e o outro ajuda. Ou seja, um decide como é que as tarefas devem ser executadas, quando é que devem ser executadas e por quem devem ser executadas. Ao outro caberá receber ordens e, na maior parte das vezes, recriminações.

Respeitar os limites e maneiras do outro fazer as tarefas é aceitar que nem tudo seja feito da forma como gostaríamos. É reconhecer que, como em tudo na vida a dois, para que ambos ganhem é preciso que ambos cedam.

< > CUIDADO COM O MACHISMO

Não nascemos em Marte e, logo, também fomos bombardeados pelo machismo imperativo da nossa sociedade. E entre os gays isso pode surgir de maneira velada mas muito impositiva. Aquele que se sente mais machão pode impor as tarefas mais “femininas” para o outro, seja por diversos preconceitos existentes dentro de si. E isso é um excelente acelerador para o divórcio. Os estereótipos de gênero só servem para atrapalhar a sua vida. Na prática, só se os membros do casal estiverem genuinamente felizes e unidos é que uma relação pode continuar a dar certo. Se houver um que insista em continuar na idade da pedra e esteja mais preocupado com o que as outras pessoas possam pensar, a probabilidade de implodirem a relação é muito maior.

< > NÃO INVENTE DESCULPAS

“Você limpa melhor o banheiro” ou qualquer comentário do tipo, ainda que sejam verdades, não justificam que apenas um assuma aquela tarefa. O fato de fazer bem não significa que goste e o mais saudável é que ambos saibam fazer todas as tarefas da casa e que as dividam de maneira a não sobrecarregar ninguém. Quando um faz de fato algo melhor do que o outro isso não deve ser usado desculpa para que o trabalho não seja dividido. O dialogo sempre deve ser mantido para chegarem em um acordo.

Se queremos mesmo que nossa relação dê certo é preciso darmo-nos conta daquilo que podemos fazer para contribuir para o bem-estar da pessoa que está ao nosso lado. Esperar que alguém seja feliz quando se sente sobrecarregado é pouco inteligente e arriscado.




Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (2) Comente aqui!

2 comentários:

  1. Otima questão. Hoje em dia, ate casais heterossexuais dividem o trabalho domestico, pois trabaho de casa não e´ nada fácil. Também deve se atentar a cada um, manter o ambiente limpo para que não se torne uma tarefa difícil no dia da limpeza. Pequenos trabalhos, depois do uso, podem tornar as coisas mais fáceis, como lavar o copo depois de usa-lo. A organização deve ser feita aos poucos, durante os dias de trabalho externo, por cada um dos casais e geralmente nos finais de semana, nao sobrecarregue na limpeza geral.

    Muito bem colocada pelo Dr. Alexandre. Divisao de tarefas entre os casais e´ estritamente necessária para manter a harmonia de casais.

    ResponderExcluir
  2. Eu achei fantástico ver esse tema aqui. Eu ja terminei um namoro por isso. Tive um ex-namorado que até papel higiênico jogava no chão, foi uma experiência difícil e que me fez aprender muito. Como "dar certo" envolve muitas questões. Parabéns ao blog!!! Sempre com bons textpos!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...