Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Pare de dizer que ser gay não te define, porque define sim.




Pare de se desculpar por ser gay. Pare de dizer frases que reduzem a homossexualidade a algo insignificante na vida de uma pessoa. Dizer “ser gay não me define”, ou que você não gosta de ser rotulado tem tanto seus pontos válidos, quanto seu lado negativo, principalmente pelo fato de que isso faz com que você coloque a homossexualidade em um patamar inferior a heterossexualidade. Mas como assim? Você já ouviu alguém dizer “ser hétero não me define” como uma forma de se desvincilhar de estereótipos? Claro que não, porque ser heterossexual é “normal”.
 
A questão dos rótulos é bastante problemática para as minorias, uma vez que elas são, na maioria das vezes, reducionistas. “Ah, nordestino é vagabundo e preguiçoso”, “você é gay, então gosta de se vestir de mulher, né?”, “limpar a casa é coisa de mulher”. Além do reducionismo, eles também são opressores e restritivos, de forma a criar espaços de identificação que dão respaldo para o preconceito.
 
Como opina Raymond Muller, colunista canadense do Huff Post, essas justificativas de não ser um rótulo geralmente são ouvidos de gays que acabaram de se assumir ou vivem em espaços onde a homossexualidade não é muito bem aceita. “Claro que somos definidos por ser gay. Somos tão definidos por ser gay, como todos os heteros são por serem tal. Nenhum gay é mais ou menos do que o outro. Há quem rejeite essa ideia - geralmente aqueles que querem se distanciar da comunidade gay e parecer mais ‘hetero’”, opina.
 
O Murilo, vlogger do Muro Pequeno, debateu sobre o tema em seu vídeo “Menos Rótulo, Mais Diversidade”. Ele afirma que fazer parte de qualquer minoria é estar suscetível a uma enxurrada de rótulos, que surgem do preconceito. Entretanto, ele afirma que chega um momento em que é impossível dizer que você não faz parte de nenhum desses rótulos, pelo contrário, você acaba precisando reafirmar eles para mostrar que é “gay, sim” e que não tem vergonha disso.

Vale lembrar que os rótulos acabam surgindo de lugares comuns, mas que são usados de uma forma a colocar a característica em um patamar negativo. E é essa ideia negativa que tem que ser mudada, e não a característica em si. É preciso ter orgulho de ser e resistir, pois apagar o rótulo é mais uma tática opressora para manter um grupo invisível.

PERGUNTAS & RESPOSTAS

Homossexualidade x Família.



Olá sou Thiago, tenho 18 anos e moro em Picos Piauí, gostaria de saber uma forma de mostrar a minha mãe que minha homossexualidade não é um problema?

Ela descobriu que eu tinha ido a uma balada gay e tinha um namorado. Ele me agrediu, disse coisas horríveis e mandou eu sair de casa, eu sofri muito com isso. Poucos dias depois eu voltei para casa, mais ainda hoje o clima é muito tenso, ela parece não me aceitar de forma alguma, me ajude por favor!

Thiago, 18 anos – Piauí

~*~

Thiago;

Muitos gays passam por problemas semelhantes quando a família descobre sobre sua homossexualidade. Na maioria dos casos os familiares entendem pouco sobre o que é ser gay, sendo que muita informação [errada] que tem sobre o assunto é através de televisão e outras mídias.

Não tente confrontá-los tão abertamente e criar discussões desnecessárias! Isso simplesmente não leva a nada e o melhor jeito é sempre um diálogo aberto, mas como as coisas ainda estão quentes entre vocês é melhor não dar espaço para mais confrontos.

Com o tempo você pode até abordar o assunto mais claramente, talvez usando um pouco a mídia a nosso favor. Quando sair alguma matéria interessante a respeito da homossexualidade, como quem não quer nada, faça com que sua família a leia. De repente se eles souberem mais sobre o assunto seus problemas acabem.

As vezes, quando estamos no meio do olho do furação, não vemos saída nenhum mas ela sempre existe! Se as coisas ficarem muito tensas e as agressões físicas voltarem o melhor mesmo é sair de casa. É complicado? Com certeza, mas será uma forma de acabar com isso e ter seu próprio espaço, suas próprias regras e sua própria vida. Arrume um emprego e viva a SUA vida

No início parece que eles não vão aceitar, mas nunca se sabe. Minha tia teve problemas em aceitar a homossexualidade do meu primo por um tempo, ele até saiu de casa e foi morar em outra cidade com uma outra tia. Com o tempo as coisas ficaram mais suaves entre eles e hoje a mãe dele não tem problemas em aceitar nada, conhece até o marido dele, o convida para passar o final de semana com eles, vem visitá-los…

Sinceramente não entendo o porque de alguns pais encherem tanto o saco sobre a homossexualidade de seus filhos. O amor de mãe e pai vai até o ponto de agredir um filho por conta de quem ele ama? Um pouco deturpado essa visão de amor que alguns pais têm, né?

Querido, tudo isso deve ser recente, por isso o melhor a fazer nesse momento é dar tempo ao tempo e ver como as coisas ficam. Só que lembre-se: Se a coisa apertar demais, saia de casa e vá viver a sua vida!

~*~

Estou apaixonado mas ele namora minha amiga.



Estou apaixonado por ele. E agora?

Tenho 14 anos e ninguém sabe que sou gay. Ultimamente eu estou muito confuso pois na minha escola tem uma menino que desde o ano passado, quando entrei na escola, parece que gosta de mim. Ele já me deu muitos motivos para eu pensar isto e o problema é que estou apaixonado por ele.

Uma vez nós estávamos na casa de nossa amiga sozinhos, ele falou coisas como que gostava do meu sorriso e algumas outras, mas depois de falar dizia que era brincadeira. Achei muito estranho mas pelo fato de dizer que era brincadeira não levei a sério. E eu estou apaixonado.

O problema é que no aniversário dele a minha melhor amiga deu em cima dele e desde o ano passado estão juntos, mas ele continua demostrando que gosta de mim. Isso é que me confundi pois gosto dele não sei o que fazer, pois afinal ele demostra que gosta de mim.

Não sei se chego nele e pergunto se ele é gay e gosta de mim ou deixo essa palhaçada de demonstrar algo até eu endoidar.

Muito obrigado desde já.

Anônimo, via e-mail

~*~

Querido, é normal passar por coisas assim na sua idade, não saber quem é ou não gay… Com o tempo seu gaydar ficará potente e só do cara piscar você sacará se ele é gay ou não.

Sinceramente? Não sei se ele está apaixonado por você, as vezes brincadeiras são apenas brincadeiras mesmo, mas já que o caso envolve outra pessoa, sua melhor amiga, não é melhor tentar esquecer o boy e seguir em frente? Eu não me envolvo com homem comprometido, isso é problema na certa!

Se declarar dizendo ‘estou apaixonado’ e depois perguntar para ele não é uma boa ideia, viu? Vai que realmente isso tudo é brincadeira ou ele estava confuso quanto ao que sentia por você? Sua amiga possivelmente ficaria sabendo desse envolvimento emocional seu e talvez sua amizade termine.

Um namorado é gostoso, podemos curtir um monte de coisas juntos, transar, conversar e mais um monte de coisas, mas muitos namoros acabam [ainda mais na sua idade] então eu acho melhor conservar a amizade e esquecer o amigo.

E assim, quem sabe não encontre um outro cara bacana, solteiro, para curtir tudo isso?

Abraços!

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...