Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Homens que transam com homens e o HIV.




Pesquisa aponta que 15% dos homens que transam com homens, ou HSH e frequentam a região central da cidade São Paulo estão infectados pelo vírus HIV. O estudo é resultado de parceria entre a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e o Centro de Referência e Treinamento em DST/AIDS e foi realizado entre novembro de 2011 e janeiro de 2012, com o objetivo de traçar um breve perfil da epidemia na população de homens que transam com homens que frequenta essa região central.

Foram entrevistadas 1.217 pessoas, das quais 776 concordaram em coletar uma amostra de sangue para análise. Observou-se que 7,4% das pessoas de 18 a 24 anos são soro positivas, entre 25 e 34 anos a prevalência de infectados é de 14%, de 35 a 49 anos o número chega a 27% e soma 18,3% nos entrevistados de 50 a 77 anos.

De acordo com a Dra. Maria Amélia Veras, professora da Faculdade Santa Casa de São Paulo e um das coordenadoras da pesquisa, essa prevalência é bastante alta e se compara aos níveis encontrados em países  da Europa, da América Latina e Estados Unidos, em que há epidemias concentradas em alguns grupos populacionais.

‘Não é correto dizer que os homens que transam com outro homens está em um grupo de risco. Todas as pessoas são suscetíveis à contaminação pelo vírus, porém alguns grupos populacionais apresentam riscos mais elevados, devido a questões comportamentais, culturais, sociais‘, diz a especialista.

As entrevistas foram realizadas em 92 espaços previamente selecionados nos distritos da Consolação e República, como bares, casas noturnas, saunas e cinemas pornôs.

Para a professora, pessoas que não conviveram com a doença na década de 1980 não têm ciência de que a AIDS era sinônimo de morte e não entendem a gravidade do problema. “É preciso que o contexto social reforce a mudança no comportamento coletivo“, complementa.

Segundo a Dra. Maria Amélia, são necessárias ações de prevenção dirigidas a esse grupo, com uma linguagem mais próxima a dessas pessoas.

‘Dos homens que transam com homens entrevistados, 564 disseram buscar informações sobre a doença na internet. Dessa forma, tem de existir um diálogo com o jovem, utilizando o computador e o celular, por exemplo.

Outro fator que é pouco divulgado é a profilaxia pós exposição que, se tomada em até 72 horas após a sexo, torna o risco de infecção bem menor. Esse medicamento está disponível na rede de saúde do SUS no Brasil e poucas pessoas sabem disso.

Usem camisinha em TODAS as suas relações sexuais, com homem ou mulher!


PERGUNTAS & RESPOSTAS


Namorar um cara no armário.




Olá! Acho o blog gay muito bom e sempre acompanho.

Eu conheci um cara incrível na internet. Ele é demais, inteligente, tem um corpo maravilhoso. Já estamos conversando há três dias, só que ele me disse que a família dele não sabe sobre ele. Quero saber a opinião de vocês, é muito chato namorar um cara no armário, principalmente eu não estando mais nele.

Keh, 18 anos – Manaus/AM

~*~
Namorar um cara no armário é tão normal quanto namorar um cara assumido. Não há tantas diferenças assim, até porque você não namorará a família dele, não é mesmo?

Claro que há algumas diferenças, nem tão grandes assim! Fica mais complicado andar de mãos dadas nas ruas ou trocar aquele beijo rápido em meio as pessoas, porque ele sempre ficará com medo de algum conhecido ver a cena. Apesar de que há muitos assumidos que evitam isso também.

Quando for visita-lo em casa será sempre ‘o amigo‘ mas nem acho isso problema, porque não importa como as pessoas te chamem, o que importa é como ele te chama. Se ele te chama de namorado é isso que você é, por mais que as pessoas acreditem que é só o melhor amigo.

Namorar um cara no armário as vezes é gostoso, essa coisa de puxa-lo para um canta para dar aquele beijo, pegar na mão dele dentro do ônibus sem que as pessoas a sua volta percebam. Já passei por isso e é gostoso fazer de vez em quando.

Lembre-se que a vida é rápida e que é importante vive-la ao máximo, aproveitar, se divertir, dar risada, transar, amar… Não se preocupe com isso, deixe as coisas acontecerem que tudo se acertará da melhor forma possível.

~*~

Não consigo beijar na boca.



Olá a todos !!

A muito tempo algumas coisas me atormentam, e eu não tenho coragem de dizer isso a ninguém, mas como já observei vocês aconselhando outras pessoas vim pedir ajuda.

Eu sempre fui muito tímido, e não me relacionava com as pessoas. Quando eu estava no ensino fundamental eu tinha um amigo, e ele era meu confidente, até que eu contei que eu sou gay. Ele aceitou numa boa e isso até nos aproximou mais. O problema foi que eu ainda nunca tinha beijado nem transado ninguém, mas como o estava desejando tanto eu fui pedir para ele. No começo ele relutou, mas acabou cedendo, e transamos – detalhe, ele não quis me beijar na boca, para não deixar de ser hétero.

Após isso, ele se afastou de mim. Eu tive outras transas com héteros, que nunca aceitaram beijar minha boca, porque se diziam menos héteros se o fizessem. Após isso eu evitava me aproximar de homens, e foi criando assim uma grande timidez. NUNCA BEIJEI NINGUÉM mas não por falta de oportunidade, mas por medo.

Sempre foi como uma barreira em volta de mim, que me impedia, quando eu estava para beijar alguém, eu entrava em pânico e sumia. Eu me apaixono, me aproximo da pessoa, tenho um puta trabalho, mas na hora não consigo beijar. Sempre escondi isso de todo mundo.

Hoje estou na faculdade, sou cercado de pessoas, mas mesmo assim continuo tímido, não me aproximo mais dos caras e muito menos perco meu medo de beijar. Eu nunca consegui intende-lo, as vezes me parece que por ter ficado apenas com héteros que só queria sexo, eu fiquei muito tempo nisso, e me senti “ultrapassado”. Tenho medo de beijar alguém  e fazer algo errado. Ou não saber beijar, e a pessoa sair espalhando pelos quatros cantos.

Enfim, eu me acho ridículo por causa disso, já que não conheço ninguém que já fez sexo e nunca beijou, ou alguém que tem medo de beijar e não consegue superar. Eu espero que vocês possam me dar uma luz, não sei mais o que fazer.

Guilherme, 18 anos. Campinas/SP

~*~

Guilherme, tenso esses romances com héteros, hein?

Só não entendo muito essa ideia deles de que não beijar na boca te faz menos ou mais gay. Ser gay, a grosso modo, é sentir atração física, sentimental, emocional por outro homem. A diversidade sexual é ampla, muito mais do que gay, hétero, bi ou trans… Poucos se encaixam definitivamente em uma delas, somos mais que rótulos, mas penso que se já está lá, enfiando o pau no rabo de outro cara, qual o problema em beijar?

Talvez essa sua timidez e ‘medo‘ de beijar na boca durante o sexo seja porque você, desde o início de sua vida sexual, tenha transado apenas com caras que não te beijaram na boca e isso de alguma forma foi criando um bloqueio a respeito. Sei que deve ser difícil se desvencilhar de algo assim mas beijar na boca durante o sexo é tão gostoso. Tente um dia, pelo menos um selinho para começar e depois você acaba se soltando mais.

Uma outra forma interessante de superar é indo a uma balada gay e paquerar algum boy magia. Claro que ele ficará afim de beijar na boca e tentará te beijar. Tente! Pode rolar um desconforto logo no início mas tente supera-lo e aproveitar!

Beijar na boca é uma delícia, logo você verá o quanto e quando olhar para trás e ver o quanto essa timidez não tem fundamento, beijar MUITO!

Beijos.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...