Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Bomba em área gay de Nova York deixa 29 feridos.




Os Estados Unidos sofreram com uma série de ataques e explosões em áreas urbanas do seu território no último final de semana. O bairro de Chelsea, em Nova Iorque, bastante habitado pela comunidade LGBT, foi atingida por uma bomba, que feriu 29 pessoas. O ataque aconteceu próximo às 20h30m de sábado, entre a Sexta e a Sétima Avenidas. 

Outro dispositivo foi encontrado e desativado pela polícia próximo ao local. Um blog no Tumblr chamado “I’m the NY Bomber” - eu sou o responsável pela bomba de NY - revelou que o ataque teria sido planejado por um gay por estar descontente com as injustiças civis sofridas pela comunidade. Entretanto, o Departamento de Polícia de Nova Iorque, o FBI e o prefeito da cidade, Bill de Blasio, já deram declarações informando que o blog é um trote de mau gosto. As investigações estão tentando conectar os diversos ataques que aconteceram ao redor do país, como em Nova Jersey.

O desenrolar da história está com novos desdobramentos a cada instante, mas o que se sabe até o momento é que a polícia prendeu Ahmad Khan Rahami na manhã de ontem. Acredita-se que ele seja o responsável pelos ataques de Chelsea e Elizabeth, em Nova Jersey, ou que pelo menos esteja envolvido com o planejamento. Poucas informações foram reveladas sobre o caso, o que dá mais preocupação para a mídia. 

O Governador do Estado Andrew Cuomo disse à mídia que não acredita ter sido um atentado internacional, mesmo sabendo da origem afegã de Rhami. Entretanto, ele acredita que o ataque tenha sido intencional, com o objetivo de ferir pessoas que passavam pela região. Agora, o objetivo da polícia é determinar as causas e os motivos da explosão. Todos os 29 feridos já receberam alta do hospital. 

África do Sul barra pastor homofóbico de entrar no país.




O Ministro dos Negócios da África do Sul, Malusi Gigaba, anunciou oficialmente na última terça-feira, 13, em Joanesburgo, que o pastor norte americano Steven Anderson e sua igreja não são bem-vindos no país. A decisão veio depois de muito protesto por parte da comunidade LGBT do país, uma vez que a religião abomina a homossexualidade e prega que ela deve ser penalizada com morte.

Chamada de Faithful Word Baptist Church in Tempe, na versão em inglês, a igreja planejava fazer uma campanha para evangelizar almas na África do Sul no final deste mês. Segundo o pastor, a questão da homossexualidade não seria um dos pontos abordados. Ao dar uma entrevista à estação de rádio 702, da África do Sul, ele disse que o objetivo era evangelizar e, não, pregar contra a homossexualidade. Mas se enrolou dizendo que é tudo culpa da mídia que “fez tudo girar em torno desses pervertidos”, falando sobre os homossexuais.

Em outra passagem, ele se referiu aos líderes religiosos do país africano como pervertidos, também. O Ministro Gigaba se utilizou de passagens da constituição e do Ato de Imigração do país para declarar que Anderson é uma pessoa indesejável no país e, assim, decretar que ele e sua igreja sejam barrados de entrar no território da África do Sul. 

Em seu perfil pessoal, o pastor postou informando que sente muito pelas almas perdidas do país, mas que está feliz por prosseguir seu trabalho em Botsuana. “Eu fui banido da África do Sul e do Reino Unido. Eu não sou nem permitido a fazer uma parada de conexão em Londres”, revelou. 

Caso Diego, o menino de 11 anos que se matou por causa do bullying.





Em Outubro do ano passado, o garoto Diego Gonzalez, de 11 anos, se jogou do parapeito da janela do seu apartamento, no quinto andar de um prédio de Villaverde, em Madri, para se matar. Depois da morte, os pais encontraram uma carta do garoto, junto ao seu coelho de pelúcia favorito, Lucho, que falava sobre os seus problemas em ir à escola e mencionava o amor que sentia pelos pais e pela família. "Mira en Lucho", disse o menino antes de se jogar. Em uma investigação preliminar, a polícia descartou o bullying como motivação, mas recentemente, os pais apresentaram conversas de 16 colegas de classe com Diego no aplicativo Whatsapp que podem mudar o rumo da sentença. 
 
Os noticiários espanhóis acompanham de perto o caso. Na carta, o menino falava diretamente aos pais, avós e familiares próximos, pedindo desculpas pelo ato e dizendo que os amava profundamente. “Vocês dois são incríveis, mas juntos são os melhores pais do mundo. Eu digo isso a vocês porque já não aguento mais ir ao colégio, e não há outra maneira de não ir. Por favor, espero que algum dia possam me odiar um pouquinho menos”, diz na carta. Leia na íntegra aqui:

 http://www.elmundo.es/madrid/2016/01/20/569e912a46163fd02c8b460e.html
 
O colégio tem um histórico de problemas de bullying, inclusive, um conselho disciplinar precisou visitar a escola para reformular os procedimentos entre alunos e funcionários para trabalhar contra esse mal. Entretanto, a escola negou qualquer tipo de problema envolvendo Diego e informou não ter recebido qualquer reclamação prévia do aluno. Já alguns alunos e pais afirmaram que sabiam de tratamentos opressivos contra o aluno vindo de alguns colegas de classe.
 
Os pais processaram a escola Nossa Senhora dos Anjos, mas o inquérito não encontrou nenhuma evidência de negligência por parte da escola. Agora, ele foi reaberto depois que os pais tiveram acesso à conversas de Whatsapp em um grupo de 16 colegas de Diego onde se fala sobre o bullying sofrido pelo jovem no dia após sua morte. 

Candidato Celso Russomanno processa site Gay e perde !!





O candidato a prefeito de São Paulo pelo PRB, Celso Russomanno e o candidato a vereador pelo PTB Clécio Viana Vanderlei processaram o site Guia Gay São Paulo na Justiça Eleitoral e perderam.

O objetivo era impedir que o site replicasse e republicassem matéria jornalistica que tratava de outros processos judiciais de Russomanno, um destes contra o candidato a vereador Bruno Maia do PSOL, também conhecido como Todd Tomorrow.

A reportagem ´´Russomanno processa candiato gay a vereador pelo PSOL``, publicada pelo site em 27 de Agosto, relatava o fato de Todd Tomorrow ter publicado em seu perfil no Facebook 31 razões para não votar em Russomano.

Vanderlei e Russomano também argumentavam que o texto do site levava a pensar que o primeiro era homofóbico.

Em sentença. o juiz Mário Laranjo indeferiu o pedido dos processantes.

Mal começou a eleições e os candidatos começaram a colocar as garras de fora. 

Terrorista brasileiro confessar ter planejado ataque na Parada Gay e Rua Augusta em SP.




Lembra daquele cara que foi preso e acusado de integrar uma célula terrorista do Estado Islâmico no Brasil? Pois é, o nome dele é Fernando Pinheiro Cabral, ou Ahmed Faaiz, e ele acaba de admitir, em depoimento à Polícia Federal, que chegou a planejar um atentado em São Paulo, possivelmente na Parada Gay.

Alvo da Operação Hashtag denunciado pela Procuradoria da República na última sexta-feira (16), ele foi acusado pela própria mãe adotiva e pela irmã de ser violento e falar em atos para ‘fazer justiça ao povo islâmico’, segundo reportagem do Estadão.

A ideia do atentado, segundo ele próprio disse à Polícia Federal, era de realizar o ataque na capital paulista ’em razão da proximidade das Olimpíadas, a fim de aproveitar a mídia em torno desse evento e do Brasil para difusão mundial do ato terrorista’.

Ele confessou ainda que o grupo que mantinha no aplicativo de mensagens Telegram chegou a cogitar fazer o ato na Rua Augusta, ’em razão dessa via concentrar sodomistas, prostitutas, tráfico de drogas, entre outras atitudes consideradas crimes em países árabes’.

Ainda segundo Ahmed Faaiz, como Fernando se identificava, ele e outros interlocutores pretendiam usar ‘arma de fogo ou faca’ no ataque e estavam buscando formas de conseguir o armamento para o atentado.

Atualmente preso, e alvo de um novo pedido de prisão preventiva por parte da Procuradoria da República, Fernando foi denunciado nesta sexta-feira, 16, pelo Ministério Público Federal no Paraná junto com outros oito investigados acusados de ‘atos de recrutamento e promoção de organização terrorista’ identificados antes da realização dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio.

Homofobia em shopping por beijo gay motiva protesto em Curitiba.




Dois jovens homossexuais, de 20 e 22 anos, estavam passeando pelo Shopping Curitiba, na capital paranaense, na tarde de sexta-feira, 16, procurando por um presente para uma amiga. Como fazia algum tempo que eles não se encontravam, resolveram tomar um sorvete para colocar a conversa em dia. Ao sentar nas mesinhas próximas a Gelateria Freddo, eles começaram a se beijar, a ficar. Em resposta, uma funcionária do estabelecimento pediu que eles parassem com a cena porque estavam constrangendo outras pessoas e denegrindo a imagem do estabelecimento, contou Neto Pereira para a Lado A .

A cena homofóbica aconteceu por volta das 16h. Sem se dar conta da gravidade do que estava acontecendo ali, o casal ainda perguntou se eles poderiam permanecer no espaço caso consumissem algum produto da sorveteria. A resposta foi afirmativa, mas a atendente pontuou que apenas permitiria que permanecessem no espaço consumindo o sorvete se eles não se beijassem mais. 

Os jovens conversaram com entidades representativas LGBTs para entender seus direitos sobre o que aconteceu no estabelecimento. Ao compreender a seriedade do problema e a homofobia da loja Freddo, ambos decidiram promover um Beijaço Solidário no dia 25 de setembro, às 14hs, em frente à sorveteria. O protesto acontecerá na forma de um beijaço LGBT, onde todas as pessoas que simpatizam com a causa estão convidados. 

“Nós ficamos arrasados, né? Ela ordenou que parássemos de nos beijar. Ela poderia ter falado com outro tom e ser educada, ao menos, mesmo não tendo o direito de exigir isso. Porém, não, ela foi muito grossa e debochada”, conta um dos jovens. 

Os beijaços são tradição em Curitiba. Diversos estabelecimentos com casos de homofobia já tiveram protestos em frente aos seus estabelecimentos, como a Livrarias Curitiba, do próprio Shopping Curitiba, e o Bar Stuart, na Praça Osório, entre outros. 

RECIFE: Casal gay é espancado por  se beijar em parada LGBT.


Marcha foi realizada no bairro da Boa Viagem


A 15ª Parada da Diversidade de Pernambuco, realizada no Recife, no domingo, 18, registrou muitos casos de violência, de acordo com o site Leia Já. Mas um caso, em particular, chamou mais atenção. Um casal gay teria sido espancado por trocar beijos no evento.

A publicação informa que um vídeo divulgado pela TV Jornal mostra um flagrante de uma cena de espancamento.

No momento em que se beijavam, os dois homens foram surpreendidos por um grupo de jovens que os agrediram com chutes e socos. Um dos agredidos ainda tenta fugir, mas é derrubado violentamente no calçadão de Boa Viagem.

Segundo a Polícia Militar, foram registradas 40 detenções em “princípios de tumulto” durante a parada. Porém, todos os detidos foram liberados, pois, “as possíveis vítimas não apareceram para fazer o reconhecimento”.

Mulher trans é morta e jogada em rua da Grande São Paulo em plena luz do dia.





Mais uma perda para a comunidade LGBT. Larissa, uma jovem mulher trans, foi morta e jogada na frente de uma multidão, na Grande São Paulo, nesta última quinta-feira (15).

A moça foi jogada para fora de um Fox vermelho na General Jardim, com uma marca de bala em seu abdômen.

Ao ser jogada, como lixo, um jovem contou que Larissa alternava os movimentos de seu peito entre suspiros fracos e mais fortes, na tentativa de ficar viva. Os tiros ecoaram por 2 quarteirões, mas não foram o suficiente para chamar atenção dos policiais, que não estavam tão longe.

Quando o socorro chegou, algumas pessoas – que gritavam e imploravam para que Larissa respirasse – pediram para ligar para a mãe da moça. O pedido foi negado pelos socorristas que afirmaram que ela precisava de espaço para respirar.

O local foi todo isolado. Ela foi levada as pressas para o Hospital das Clínicas e faleceu na madrugada do dia seguinte.

Os culpados ainda não foram encontrados, e é bem capaz que não sejam. Já que a placa do carro não foi vista por NINGUÉM, e as câmeras, próximas, onde ela foi jogada, estão TODAS quebradas.

Larissa, de 31 anos, nasceu Passos (Minas Gerais), e ganhava a vida fazendo cabelo em um salão, próximo onde faleceu. O motivo de sua morte não foi revelado, mas ao que parece, homofobia e transfobia foram as razões.

O episódio aconteceu poucos dias após o espancamento que ocorreu em Santa Cruz, Rio de Janeiro. 3 homens bateram em 2 travestis em plena luz do dia, e ninguém fez nada.

O vídeo viralizou na rede e os agressores foram presos.


Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...