Slide 1 Slide 2 Slide 3

DIREITOS

'Mamãe, por que alguém seria a favor do aborto?'




Lucca tem 12 anos. Ele tem Facebook. Entre os amigos, diversos amigos meus, adultos, politizados, que discutem assuntos com textão. Sentado no chão da sala aqui de casa, Lucca foi rolando a timeline e vendo os posts. Parou na foto de uma das tias preferidas, clicou e viu o filtro por cima da foto.

-Mamãe, que símbolo é esse?

-É o símbolo do feminino - e expliquei como era o do masculino.

-E por que alguém usaria isso para dizer que é a favor do aborto?

-Porque tem uma campanha para que o aborto seja legalizado, Lu.

-Mas, mamãe, por que alguém seria a favor do aborto?



Lembrei que nunca tinha falado com ele sobre isso. Falamos sobre diversas coisas, sobre a militância feminista, sobre assédio nas ruas, sobre sexo ser muito mais do que penetração, sobre masturbação ser algo normal para meninos e meninas, sobre gravidez na adolescência e como transar requer responsabilidade e uso de camisinha, falamos de doenças. Mas a gente nunca tinha conversado sobre aborto.

Eu, que fui mãe solteira porque o dono dos espermatozóides que fecundaram meu óvulo não soube lidar com o fim do relacionamento, que tive sorte de ter uma família que me apoiou e me ajudou a segurar a onda, que conheço tantas mulheres que tiveram a vida totalmente transformada com uma gravidez indesejada, nunca tinha falado sobre isso. Por onde começar?

-Filho, como uma mulher fica grávida?

Foi a primeira pergunta que eu fiz. Ele me explicou que era transando, obviamente, com aquela cara de adolescente que sabe mais do que eu. Então perguntei quem, normalmente, cuidava dos filhos. A mulher. Ele nem pensou duas vezes, ele vive no mesmo mundo que a gente, ele vê mulheres cheias de sacolas com os filhos nos ônibus, mulheres exaustas, mães buscando crianças nas escolas, mães nas reuniões, mães que fazem comida, cuidam, levam ao médico. Ele teve 12 anos para observar tudo isso e já ficou claro: quem está ali, majoritariamente, é a mulher.

-E a mulher escolhe engravidar?

Ás vezes. Sim, às vezes ela escolhe, mas aí ela não quer um aborto, né? E às vezes simplesmente acontece. Então passamos por todo aquele papo de camisinha, pílula e afins. Quando a mulher não quer engravidar e isso acontece, o cara fica ao lado dela? Dessa vez ele pensou um pouco mais e depois concluiu que nem sempre, que era simples o cara virar as costas e sumir.

-Sabe essa epidemia de zika virus, filho? Os bebês nascem com um problema que pode afetar tudo: o desenvolvimento todo, a capacidade de autonomia, a dependência eterna de um cuidador.

Ele sabia do que eu estava falando, tinha visto a foto no jornal. E então contei a ele que muitos dos pais desses bebês tinham ido embora porque não queriam cuidar de uma criança com problemas. E quem ficou? A mãe, ele respondeu. A mãe sempre fica. A mãe cuida. Ela abre mão da vida, dos estudos, de ser mulher e se torna apenas mãe. Mas aí tem um problema:

-Sem trabalhar ela não consegue ter dinheiro pra cuidar do filho, então o que dizem que ela deveria fazer?
-Trabalhar.
-E se ela trabalha e não cuida do filho o que dizem que ela deveria fazer?
-Cuidar do filho.
-Alguém oferece ajuda, dinheiro ou cuida da criança?
-Não.

Mais uma vez tudo estava bem claro pra ele. A mulher sempre está errada. Não importa o que ela faça. Ter ou não ter o filho não vai transformá-la em santa ou vilã, ela (eu, você) nunca será perfeita, nunca cumprirá o que se espera. E nada disso depende das suas decisões, a gente simplesmente nunca está certa.

Depois dessa conversa toda ele entendeu como alguém pode ser a favor do aborto. A gente é a favor do aborto porque acredita que a mulher tem que escolher se quer ou não ser mãe, se quer seguir esse caminho sozinha ou acompanhada, se tem condições (físicas, financeiras e emocionais) de lidar com todo esse peso. A gente é a favor do aborto porque acredita que a vida da mulher, que está nesse mundo há muitos anos, tem um valor imensamente maior do que algo que pode ganhar vida ou pode simplesmente não ganhar. A gente é a favor do aborto porque ele já é feito, já existe e mata milhares de mulheres pobres - as ricas vivem porque podem fazer o procedimento em clínicas limpas e seguras com médicos de ponta. A gente é a favor do aborto porque é a favor da vida. E ele entendeu tudo isso com mais facilidade que muito adulto intelectual.

***

A foto que o Lucca viu no Facebook tinha o filtro da campanha "Eu apoio a legalização do aborto". O manifesto da campanha, assinado por mulheres que se dedicam a pensar o mundo e rever os contratos sociais vigentes.

*Este texto da jornalista e feminista Carol Patrocínio faz parte de um conjunto de análises sobre aborto legal neste dia 28 de setembro, o Dia Latino e Caribenho pela discriminalização do aborto.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (4) Comente aqui!

4 comentários:

  1. sou contra o aborto, tenho filho, qdo soube da gravidez, propus o aborto a mulher (meu maior arrependimento da vida) . Graças a Deus ela não fez o aborto, hj ele tem 25 anos, a melhor e mais amada coisa da minha vida (mais do que minha propria vida). Por isso digo, pense antes de fazer aborto, espere os 9 meses e verá se tera coragem de matar seu filho.

    ResponderExcluir
  2. Anónimo, fico feliz por seu depoimento. Como em tudo, há casos e casos e vários motivos para fazer ou não o aborto. A maioria dos casos, pessoas que não tem condições de ter filhos e cria-los e recorrem a clínicas clandestinas, o que e bem pior, pois arriscam a vida do feto e também da mulher. Também, os orfanatos estão cheias de crianças sem perspectiva de uma vida melhor. As igrejas cristãs condenam o aborto, mas falar e fácil e criar condições para umá mãe que nao tem assistência nenhuma dela, fica claro, o discurso vazio. Então, fica ao encargo do estado ineficiente e precário. Há outros variados casos em que criar crianças em favor da vida, mas leva- las ao sofrimento pelo resto da vida e a seus país , não e aceitável.
    A esse respeito, nos leva a pensar na eutanásia, mas este e um outro caso, e o assunto seria muito longo .

    ResponderExcluir
  3. So acho q nao eh justo pro bebe q ira nascer, q a mae espere quase estar a dar a luz pra abortar. Deveria ter um prazo, sei la, algumas poucas semanas. E esse eh o problema de quem eh contra o aborto. Os apoiadores falam de uma forma como se a mulher iria fazer o aborto depois de 8 meses de gestaçao. Ninguem fala q eh antes, e por causa disso gera-se muita revolta.

    ResponderExcluir
  4. So acho q nao eh justo pro bebe q ira nascer, q a mae espere quase estar a dar a luz pra abortar. Deveria ter um prazo, sei la, algumas poucas semanas. E esse eh o problema de quem eh contra o aborto. Os apoiadores falam de uma forma como se a mulher iria fazer o aborto depois de 8 meses de gestaçao. Ninguem fala q eh antes, e por causa disso gera-se muita revolta.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...