Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Quero saber como é…




Já vimos tantas campanhas contra o preconceito e a homofobia, mas essa chamou a minha atenção e me emocionou por alguns segundos, por isso publico aqui na minha coluna de vídeos gays.

O vídeo gay dessa campanha foi gravado por Ryan James, uma celebridade virtual que luta pelos direitos gays, o vídeo gay faz parte de um projeto chamado Second Class Citizens.

Confesso que por várias vezes durante o vídeo, me senti ali, no meio de tantos questionamentos e conflitos.

“Quero saber como é, desfazer o que fizeram comigo.“

É difícil imaginar algum gay que não passou e que não passa por isso. As marcas deixadas pela infância, os amigos que se foram ao saber da sua sexualidade, os olhares de acusação por onde se passa, a fé em um Deus que te julga e não te acolhe [pelo menos na visão distorcida dos fundamentalistas religiosos], os pais que te abandonam e não te aceitam…

“Quero saber como é, não ser considerado uma doença.”

As vezes quando eu paro para pensar e ler as coisas que andam acontecendo no Brasil, fico um pouco assustado e ao mesmo tempo incomodado com as coisas que se publicam e se falam simplesmente por orgulho ou mostra de poder.

Engraçado querer considerar uma doença mental, algo que não se tem muito conhecimento e que especialistas da área dizem não ser. Daqui uns dias encontraremos assim: viver pode ser considerado uma doença mental.

Claro que não podemos negar que a sociedade já deu um grande passo para a aceitação da homossexualidade, ainda mais se for na casa do vizinho, mas quando acontece na sua família muitas vezes a mente aberta se fecha.

Precisamos é de campanhas assim, como essa do vídeo gay, que chocam a sociedade, que mexe com as emoções e que me faz perceber que sou igual a todos os outros.

“Quero saber como é… ser normal. ser aceito. ser humano. ser igual. ser livre.”



PERGUNTAS & RESPOSTAS


Verdade que no exército rola pegação?


A verdade sobre os bafos que rolam no exército

“Olá, tenho 17 anos, irei completar 18 em alguns meses, e terei que me alistar no exército, porém, já ouvi cada história sobre ”acontecimentos” lá dentro, que me deixaram meio abismado. Por mais que eu seja gay, não vou querer ter relações com qualquer cara dentro daquele lugar, por essas e outras vou optar por não servir, mas a questão é: Vocês acham mesmo que rola coisa do tipo lá dentro? Mesmo sendo ”MACHOS” acabam cedendo e trepando com outros MACHOS?”

Iago, 17 [quase 18, rs] Rio de Janeiro

~*~

Oi, Iago, tudo bem?

Primeiro de tudo, meu filho, quem te disse que você pode “optar” por não servir? Ta achando que o exército é feira agora? Você faz dezoito anos, aparece pra dar um hello, adentra no recinto e diz pro moço “então, não to afim de participar desse troço porque o mundo é mais interessante. Não quero perder meu tempo preso aqui dentro quando tem vários boys lá fora, no Grindr, pra eu conhecer. Onde assino?”.

Calma lá. Para conseguir dispensa é preciso comprovar que tem algum problema de saúde que te impossibilita de cumprir exército, ser arrimo de família ou comprovar que é homossexual. E nem adianta chegar dando pinta, vestido de mulher etc…. dizem que rola humilhação se você fizer isso, enfim.. não tenho como dar certeza, mas se sua família não sabe sobre a sua sexualidade, chegar dando pinta no exército não vai ser positivo.

Outro meio de cair fora é ser ‘peixe”, que quer dizer… ser familiar ou amigo de alguém dentro do exército que consiga a dispensa para ti.

E agora, respondendo a sua pergunta sobre sexo entre machos no exército: deve rolar. Se até na igreja rola sexo… A diferença é que no exército eles são mais severos quando te pegam fazendo coisinhas com outro cara, na igreja eles falam amém, né? Vide casos da igreja Católica e abusos infantis.
Enfim, não confunda exército com dark room e nem acredite nos filmes pornôs que você vê na web com a temática de exército e mil soldados fazendo sexo na lama e nos vestiários do batalhão. A realidade não é essa, porque se fosse, eu bem queria voltar a ter 18 anos e ir me divertir um tanto por lá.

Boa sorte para ti e se cuide, dentro e/ou fora do exército.

Beijos

~*~

Medo de baratas e homossexualidade?



Medo de baratas ou catsaridafobia


Sabe quando você descobre muito cedo que está em Nárnia?

Então, eu me descobri aos 8, quando eu tentei namorar uma garota, não deu certo e minha irmã gêmea – não idêntica – sugeriu que eu poderia gostar de meninos.

Um longa história, bla bla bla. O que importa é que apesar de eu ter total conhecimento que gosto de homens, todo mundo diz  ‘você é muito novo‘, até minha irmã mais velha diz que eu sou mais maduro que muita garota de 18 anos por aí.

E sabe, puberdade, hormônios a toda, contei pra minha mãe. Ela levou mais do que na boa. Sortudo, eu, sim ou claro? Mas surge o problema: quero contar pro meu pai. Mas não é fácil assim, além de bipolar, ele é super preconceituoso.

Então lá vem duas perguntas:

A primeira: como contar pra ele? Minha mãe sempre diz que ele nunca pode saber.

A segunda: Como fazer com que ele não ligue o medo de baratas à homossexualidade?

Cara, a minha catsaridafobia é enorme. É só pensar em uma daquelas coisinhas nojentas andando por aí que eu já começo a suar. Claro que na mente homofóbica isso é pura frescura…

Espero que me ajudem.

Beijos!

Klaus, 14 anos – Cascavel/PR

~*~

Olá Klaus;

Sim querido, você é muito sortudo por ter uma mãe que não viu problemas por você ser gay. Não que ela seja minoria [não sei números exatos quanto a isso] mas fico sabendo de tantos problemas que sair do armário causa que cada vez que vejo ou leio que alguém foi ‘aceito’ como eu fui pela família fico muito feliz.

A homossexualidade é uma característica inata de parte da população, nossa sexualidade nasce conosco e desde pequenos sabemos em diversos graus sobre isso.

Aos 8 anos já temos uma leve noção sobre ela, mas é por volta da idade que você está que ela realmente começa a se revelar de uma forma mais direta. Sim, a influência dos hormônios ajuda para que isso aconteça, você está amadurecendo e tornando-se um adulto.

Talvez seja melhor esconder por um certo tempo sua sexualidade de seu pai se ele é tão preconceituoso quanto você afirma. As vezes é melhor fugir de brigas e discussões, amadurecer um pouco mais como chegar nele e sair do armário.

Sei que não é fácil viver se escondendo mas as vezes é a melhor saída para o agora. O amanhã vamos fazendo pouco a pouco.

Uma forma de ir preparando seu pai é incluir, como quem não quer nada, o tema em forma de discussão, comentário sobre algo que você veja a respeito, perguntando sua opinião e etc. Sua irmã gêmea pode ajuda-lo nisso, deixando que ela aborde o assunto, tirando um pouco o foco de você.

O medo de baratas não tem ligação com a homossexualidade, não sei de onde seu pai tirou isso. É complicado tirar algumas ideias arraigadas da cabeça das pessoas, mas muitos homens héteros têm medo de baratas.

Uma forma é enfrentar o medo de baratas e tentar acabar com essa fobia, seja com ajuda de um psicólogo ou sozinho mesmo. É complicado? É sim, não mentirei para você mas é uma saída.

De repente outra saída e pesquisar um pouco a respeito de fobias, como elas atuam na mente humana e quando ele disser que é frescura você pode dar uma aula sobre o assunto e explicar para ele que isso não é frescura.

Sou a favor da primeira opção, mas como isso leva um certo tempo, você pode aprender um pouco lendo sobre o assunto e explicando para ele. De tanto ler a respeito sobre fobias e medo de baratas você com certeza irá se ajudando sem ao menos notar.

Leia esse artigo que eu achei sobre Fobias e Medos. Acho que vai te dar uma força com o medo de baratas.

Espero que tudo de certo!

Beijos.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...