Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Presidente da liga inglesa de futebol  fala da discriminação a atletas gays.


Clarke, que está na função há apenas 5 semanas, disse se sentir 'envergonhado' por nenhum atleta poder se assumir gay


O presidente da Federação Inglesa de Futebol Greg Clarke, comentou ser improvável que algum atleta assuma sua homossexualidade no esporte perante a tanta discriminação que ainda existe neste meio.

Clarke também afirmou que ficaria surpreso se não houver um único jogador gay na Premier League e que se sente “envergonhado” pelo fato de que nenhum deles se sinta à vontade para sair do armário.

“Creio que haveria ofensas significativas. Não acho que já tenhamos corrigido o problema da homofobia no futebol”, disse Clarke, diante de um comitê do Departamento de Cultura, Mídia e Esporte do Reino Unido.

África do Sul: Homem que matou gay com crueldade  é condenado a 17 anos de prisão.


David Olyn (foto), de 21 anos, foi morto com requintes de crueldade


Um homem que matou um homossexual em frente a uma multidão na África do Sul foi condenado a 17 anos de prisão.

Christo Oncke amarrou, estrangulou, torturou e incendiou o jovem David Olyn, de apenas 21 anos, em frente a inúmeras pessoas em março de 2014.

Segundo sites internacionais, após o assassinato, Oncke foi a um karaokê se divertir normalmente com amigos e se gabou na presença de 17 testemunhas de ter matado Olyn.

Ao tribunal, o assassino disse que a vítima pediu para ter relações sexuais com ele. O juiz considerou como crime de ódio. 

Palmas (TO): reconhece nome social  em serviços de saúde.


Portaria garante a usuários do SUS direito de uso do nome social


Palmas passou a ser a primeira cidade do Tocantins a reconhecer o nome social de travestis e transexuais no Sistema Único de Saúde (SUS).

A portaria que garante este direito é a de número 1117/2016 e foi assinada na segunda-feira, 17, pelo secretário Municipal de Saúde, Nésio Fernandes.

De acordo com a prefeitura da cidade, a portaria municipal segue o que já estabelece o decreto federal nº 8.727, de 28 de abril de 2016, que dispõe sobre o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de pessoas travestis e transexuais no âmbito da administração pública federal direta, autárquica e fundacional.

O decreto também estabelece que a pessoa travesti ou transexual poderá requerer, a qualquer tempo, a inclusão de seu nome social em documentos oficiais e nos registros dos sistemas de informação, cadastros, programas, serviços, fichas, formulários, crachás, equipamento de uniformes, prontuários e congêneres no âmbito da administração dos serviços de saúde tendo o pedido que ser acatado.

“Nós apenas estamos assegurando a estes cidadãos que seus direitos sejam respeitados. O SUS é local de acolhimento, de respeito e dignidade humana. O SUS é para todos e buscamos garantir que todos se sintam inclusos e acolhidos nas práticas e políticas adotadas em nossa cidade. Não há espaço para constrangimentos e preconceitos no SUS”, disse Fernandes ao site JM Notícia.

Conscientização: Bar gay que proibiu beijo gay  no Rio promoverá 'beijaço'.


Bar proibiu beijo lésbico, mas agora fará ação de conscientização da diversidade sexual

O bar Os Ximenes, na Lapa, área central do Rio de Janeiro, promoverá um beijaço em apoio à diversidade sexual. Durante a manifestação, marcada para a sexta-feira, 21, de 19h às 20h, a primeira rodada de bebidas, para todos os casais, será gratuita.

No início da semana, uma estudante de Comunicação Social disse que em visita ao local, ela e outra menina foram repreendidas após se beijarem na fila do banheiro.

A jovem de 26 anos afirmou que o gerente do bar repreendeu o casal dizendo que ali era “um lugar de família”, que crianças frequentavam o local. “Ficamos sem entender e acreditar naquilo. Já tínhamos pagado a conta e estávamos quase indo embora. Tentei argumentar e disse ‘mas a gente só está se beijando’, que eu tinha direito de beijar quem eu quisesse. Ele insistiu e disse ‘no meu estabelecimento não”, contou.

As jovens chamaram a polícia e os oficiais disseram que elas deveriam procurar a Justiça, que o ocorrido não se caracterizava como crime. Mas é. No Rio, há leis municipais e estaduais que punem a discriminação por orientação sexual em estabelecimentos comerciais, sob pena de multa e até de cassação do alvará do local.

Ao jornal O Dia, a assessoria de imprensa do bar destacou que “repudia qualquer atitude discriminatória” e que “reafirmando seu compromisso com o respeito à diversidade, o estabelecimento está providenciando um treinamento e ações de conscientização para os seus funcionários”.

Curitiba sedia em Novembro congresso cristão que propõe a cura gay.




Entre os dias 18 a 20 de Novembro, Curitiba sedia o 13º Congresso Nacional do Exodus Brasil sobre Sexualidade Humana, nas instalações da Igreja Batista do Bacacheri. O evento é dirigido a pastores e líderes de "ministérios de ajuda", pessoas de alguma forma “impactadas por problemas na área da sexualidade, e que desejam aprender mais sobre esse assunto, e também para homens e mulheres, acima de 18 anos de idade, que experimentam conflitos em sua própria sexualidade, e desejam receber ajuda nesta área”, diz o site do evento.

O grupo, filiado à Exodus Global Alliance, usa termos discretos mas propõe algo que merece atenção a socidade: a cura gay por meio da fé. O slogan da entidade internacional é um velho conhecido: “A mudança da homossexualidade é possível através do poder de Jesus Cristo”. Este era o slogan da Exodus Internacional ,organização fundada em 1973 com o propósito de acabar com os desejos homossexuais entre cristãos, que foi dissolvida em 2013 por seus membros. Seus principais membros pediram desculpas por causar dor e pregar que a homossexualidade não era bem vista aos olhos de Deus, encerrando o trabalho de 37 anos de cura gay promovido e criado pela entidade. 

“Muitos gays e Lésbicas acham que nasceram homossexuais. Não se lembram que escolheram conscientemente ser atraídos por pessoas do mesmo sexo. Por isso a lógica corrente diz que o homossexualismo deve ser genético ou hormonal, e não há nada que possa ser feito a respeito disso.  Tal idéia até parece lógica, mas não acreditamos que se fundamente na verdade. Evidências Científicas e Bíblicas não fornecem dados que comprovem que a pessoa nasce homossexual. Mesmo sendo profundamente praticado. Esse estilo de vida pode ser mudado”, diz o site do evento, que traz ainda a programação. Apesar de uma programação bem completa, o evento apresenta apenas a visão do grupo, apresentada por pastores e não especialistas acadêmicos da área.

Muitos dos mais de 250 ministérios fundados com o trabalho “evangelizador” da Exodus Internacional que vieram a seguir não quiseram abandonar o exemplo da entidade mãe e seguem pregando que a fé é o melhor remédio contra a homossexualidade, como se ser homossexual não fosse a vontade de Deus, ou fosse algo indesejado pela moral cristã, causando mais preconceito e rejeição de pessoas homossexuais na sociedade.

Depois de sucessivos escândalos de falsos ex-gays, e relatos de abusos dentro da entidade, o próprio presidente da Exodus Internacional, Alan Chambers, um ex gay, admitiu que ainda sentia desejos homossexuais e que o sofrimento causado aos jovens deveria parar. “É estranho ser alguém que foi igualmente machucado pelo tratamento da Igreja com a comunidade LGBTQ e ao mesmo tempo alguém que precisa pedir desculpas por fazer parte de um sistema de extrema ignorância que perpetuou esta dor”, disse Chambers quando encerrou a entidade. “Hoje, é como se tivéssemos acordado com um grande senso de como é doloroso ser um pecador nas mãos de uma igreja com ódio”, declarou ele.

Quem quiser conferir o evento, segue o link do site oficial: http://www.exodus.org.br/13o-congresso-do-exodus-brasil-curitiba2016/

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...