Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Casa de Oscar Wilde em Londres vira símbolo em homenagem a personalidades gays britânicas.




LONDRES (Thomson Reuters Foundation) - A casa de Londres do dramaturgo irlandês Oscar Wilde e outros marcos ligados a personalidades gays receberam um status especial, disse a principal entidade de preservação histórica britânica, uma homenagem à contribuição muitas vezes menosprezada das comunidades homossexuais à formação do Reino Unido moderno.

Entre os outros locais a serem listados estão a ex-residência do compositor Benjamin Britten, a propriedade de Anne Lister, dona de terras na Inglaterra do século 19, e o túmulo da egiptóloga e escritora Amelia Edwards, também do século 19.

A iniciativa surgiu durante os preparativos do 50º aniversário da descriminalização parcial da homossexualidade na Inglaterra e no País de Gales, que será comemorada em 2017.

"Com muita frequência, a influência de homens e mulheres que ajudaram a construir nossa nação foi ignorada, subestimada ou é simplesmente desconhecida porque eles pertenceram a grupos minoritários", disse Duncan Wilson, executivo-chefe da entidade Historic England, em um comunicado.

Cinco dos locais já estavam na Lista Nacional de Preservação Histórica na Inglaterra, que concede proteção especial a mais de 400 mil sítios históricos. Ele foram recompilados para incluir a herança gay.

Parlamento debate projetos de perdão aos homossexuais condenados na Inglaterra.






A Inglaterra vai conceder o perdão a todas as pessoas condenadas pelas leis vitorianas que consideravam até a década de 60 o sexo entre homossexuais como violento ao pudor.  A lei datada do século XIX foi responsável pela perseguição histórica de homossexuais no país e motivou muitas leis iguais pelo mundo.  Dois projetos foram apresentados ao Parlamento e devem ser debatidos esta semana.

Em um deles, proposto pelo governo, haverá o perdão judicial a todas as pessoas vivas condenadas pela lei, analizando cada pedido. Estima-se que 50 mil pessoas foram condenadas que puniam a sodomia com prisão, trabalhos forçados e até castração química. Estima-se que 15 mil pessoas condenadas pela lei ainda estejam vivas. Um outro projeto apenas prevê que o perdão seja automático, inclusive À spessoas já falecidas, mas alguns dos casos a condenação foi por crimes como abuso sexual ou sexo com menores, exposição em locais não privados, o que estariam enquadrados ainda hoje nas leis atualizadas sobre estes crimes.

O pedido de perdão teve crescimento em campanhas online, depois que a Rainha Elizabeth concedeu em 2013 o perdão ao herói de guerra Alan Turing. O matemático decifrou os códigos secretos alemães durante a Segunda Guerra Mundial, ajudando os Aliados a vencer o conflito, além de ser considerado o pai da computação. Turing foi condenado em 1952 por atentado violento ao pudor e tirou a própria vida na prisão.

Na Idade Média, o Ato de Sodomia de vigorou durante o reinado de Henrique VIII e foi a primeira legislação civil contra a sodomia no país. Julgadas por um tribunal eclesiástico, considerava a sodomia um ato sexual contra natureza e a vontade de Deus e do homem, punindo os condenados com enforcamento até 1861. Depois, foram acrescentadas as palavras sexo anal e bestialidade.

Em Julho de 1540, a violação da lei passou a ser considerada como traição. A lei foi revogada em 1553 mas foi promulgada novametne por Isabel I, em 1563, e tornou-se a carta para todas os crimes posteriores nas colônias britânicas. O Parlamento do Reino Unido revogou a legislação relativa à sodomia no país, em 1967.

Nova Iguaçu (RJ): Vereadores param na delegacia após  votação de PL sobre cartilhas LGBT.


Discussão começou por causa de projeto que trata do ensino de orientação sexual nas escolas

Dois vereadores de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, foram parar na 52ª DP, na noite de terça-feira, 18, após se agredirem dentro da Câmara Municipal da cidade. 

De acordo com o jornal Extra, a polícia foi chamada para conter uma “agressão mútua” entre Carlinhos Presidente (PHS) e Carlos Ferreirinha (PT), que é vice do candidato a prefeito Rogério Lisboa (PR).

Os vereadores votavam um projeto, de autoria de Ferreirinha, que revoga a lei que proíbe a distribuição de “cartilhas com orientação sexual” nas escolas municipais. Segundo Carlinhos Presidente, que faz parte da base de apoio do prefeito e candidato à reeleição, Nelson Bornier (PMDB), o vereador do PT rasgou parte dos papéis.

“Eu fui atrás dele, disse que ele furtou o projeto e que eu tinha chamado a polícia. Descontrolado, ele me deu um soco no rosto. Sou policial militar e fui agredido no meu local de trabalho. Eu não poderia prevaricar”, contou Carlinhos, à reportagem, momentos antes de ir à delegacia.

Já Ferreirinha informou que só apresentou o projeto porque o Ministério Público considerou a lei que veta a cartilha é inconstitucional.

“Foi um acordo entre os vereadores. Mas agora, como falta uma semana para a eleição, eles estão tentando criar um fato político para dizer que eu sou a favor da cartilha. Só porque o Bornier perdeu no primeiro turno”, explicou.

Nenhum beijo a menos! Teve beijaço para combater a lesbofobia no Ximenes.



Um beijaço! 

Essa foi a reação ao gerente que discriminou um casal de lésbicas que se beijava na fila do banheiro no bar Os Ximenes, no Rio de Janeiro.

Segundo o jornal O Dia, ao recriminar a cena, o gerente disse que ali "era um lugar de família, que crianças frequentavam o local”.

O beijaço ocorreu na sexta-feira (21) e “foi lindo", segundo relatos na página do evento no Facebook. A manifestação foi descrita por participantes como “Stonewall”, a rebelião americana que marcou a luta pela libertação gay nos Estados Unidos. 

"E se fosse um casal hétero se beijando? Alguém iria constranger? Ou expulsar? Dizemos NENHUM BEIJO A MENOS e vamos reunir o nosso bonde sapatânika e de apoiadores na frente do Ximeninho, na sexta-feira (21/10), às 22h30. Vamos purpurinar, fazer barulho com percussão e dizer que, SIM, NÓS RESISTIMOS E EXISTIMOS. Porque afeto é revolução! E a encruzilhada vai ser SAPATÃO! Por todos os beijos que houver nessa vida!”, destaca a descrição do evento.


Na época, a assessoria do bar informou que "repudia qualquer atitude discriminatória" e acrescentou que o estabelecimento planeja um treinamento de conscientização para os seus funcionários.

Casal gay apanha em bar e um deles é morto.


Cena de violência aconteceu em Sidrolândia (71 km de Campo Grande)

Um casal gay foi vítima de discriminação que terminou em morte para um deles. Gervásio Pinto Neto foi morto a golpes de faca, na madrugada deste domingo, 23, em frente a um bar na Agrovila Assentamento Capão, em Sidrolândia, a 71 km de Campo Grande (MS).

Segundo o site Campo Grande News, Gervásio foi ferido no tórax abaixo das axilas e na boca. Ele chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu.

Conforme boletim de ocorrência, o marido de Gervásio, identificado apenas como Waldemar, contou que estava no bar junto com Gervásio, quando um homem conhecido como Mário Clayton chegou com mais dois amigos e começou a tirar fotos do casal.

Incomodados com a situação, os dois pediram para que parassem, quando começou uma briga que evoluiu para agressões a chutes e socos. A testemunha relata ainda que em determinado momento viu que Gervásio caiu ao chão já ferido com uma perfuração no tórax e na boca.

Ele não soube informar à polícia quem foi o autor das facadas, mas afirma ter visto Clayton com uma faca nas mãos. Gervásio e Waldemar estavam juntos há 14 anos. Não há informações sobre se os agressores foram presos.

Reclamação sobre beijo gay em condomínio gera RS$ 5 mil em indenização.



O personal trainer Davidson Gustavo da Silva, 25 anos, de Ribeirão Preto, São Paulo, entrou na Justiça contra o condomínio onde morava, segundo ele por ser xingado pela síndica e ser questionado por beijar o namorado no elevador do local, em 2013. "A síndica disse que lá não era local de pessoas anormais e 'sem vergonha', que era um lugar de família", afirmou o jovem.

A síndica negou ter usado estas palavras mas assumiu que procurou o morador depois que outros condôminos, que viram ele e o namorado se beijando, por imagens do circuito interno de segurança, recomendando que não beijassem nas áreas comuns.  Há indícios ainda que a própria síndica moveu uma campanha contra o morador, distribuindo as imagens e ameaçando promover um abaixo-assinado. O morador deixou o local e entrou com processo contra o condomínio.

Para o desembargador José Carlos Ferreira Alves, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), relator do processo, apenas esta atitude já é ilegal, constrangedora e discriminatória. "Vai de encontro aos preceitos constitucionais de promoção do bem estar de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação e deve ser coibida", afirma o relatório do processo, que embasou a decisão do juiz Héber Mendes Batista. O condomínio prometeu recorrer da decisão.

Suspeitas de esfaquear transexual agredida dentro de hospital são liberadas.



Natylla foi esfaqueada durante uma festa e, ao pedir socorro em hospital, foi agredida. Segundo a polícia, esse é um típico caso de transfobia.

O caso da transexual que foi agredida dentro de um hospital na Bahia após ser esfaqueada ganhou um novo capítulo. Natylla Mota Barreto, de 21 anos, mesmo precisando de socorro, foi agredida com tapas e chutes por duas mulheres. Elas foram detidas, mas liberadas logo em seguida.

Segundo a polícia, as mulheres, que não tiveram as identidades reveladas, são amigas da moça que aparece no vídeo agredindo a vítima. Elas foram levadas a delegacia, onde prestaram depoimento e, de acordo com o órgão, foram liberadas por falta de provas.

O caso aconteceu no sábado (8), quando a vítima foi esfaqueada por duas mulheres numa praça da cidade de Maiquinique, 631 km de Salvador. Ao chegar no hospital, foi agredida novamente por outra mulher. Natila ficou 10 dias internada e teve alta esta semana. Ainda segundo a polícia, esse é um típico caso de transfobia.

Evangélicos querem ajuda do governo para construção de templos.



O pedido feito por líderes evangélicos é de que o governo Temer faça a interlocução com bancos públicos e privados para que as igrejas consigam linhas de financiamento para a construção de templos.

De acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, eles esperam que o governo ajude na articulação com os conselhos de administração dos bancos.

“Queremos ser tratadas como clientes comuns, sem preconceitos nem privilégios”, diz o bispo Robson Rodovalho, presidente da Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil e fundador da Sara Nossa Terra.

A reunião entre o bispo, o presidente Michel Temer e o ministro Henrique Meirelles (Fazenda), aconteceu em julho, ainda durante o governo interino.

Segundo o religioso, que tem cerca de 3 milhões de fiéis, os bancos não tem aceitado quando as igrejas tentam fazer empréstimos.

“Ainda não se tem confiança na igreja como cliente. Apresentamos nosso patrimônio como garantia e não aceitam", revela.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...