Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ






Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.
Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.
Bem, vamos ao tema de hoje.

Ele quer abrir a relação...

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com




Estamos passando por uma longa crise e algumas coisas têm aparecido como possibilidade para solucioná-la. Juntos há 9 anos, temos uma vida maravilhosa apesar de algumas dificuldades. Amamos-nos muito, nos entendemos super bem e quase nunca brigamos. No entanto, recentemente o Igor tem insistido na ideia de abrirmos o relacionamento, justificando que sente muita falta de ficar com outros caras. Após o impacto dessa proposta, que não considerei nem por um segundo no primeiro momento entrei em uma verdadeira crise pessoal. Tenho refletido todos os dias sobre isso, mas sinceramente não sei se conseguiria superar esse Tabu. Tenho medo que após abolir a exclusividade sexual, nosso casamento escorra pelo ralo. Conheço inúmeras histórias de fracasso com essa tentativa de salvar a relação. Para mim é difícil entender, acho que um casamento não é fundamentado na relação sexual, e tem tantos benefícios em ter alguém para dividir as alegrias e tristezas da vida que não sinto falta de me relacionar sexualmente com outros caras. O que tenho é muito mais caro, precioso e prefiro cuidar a arriscar.

Gabriel, 34 anos e Igor, 36 anos


O conflito vivenciado pelo casal é bastante recorrente hoje em dia. Gabriel e Igor têm desejos e valores pessoais antagônicos e principalmente concepções diferentes sobre amor e sexo.

Em primeiro lugar, não existe certo ou errado, existem opiniões e vontades diferentes. Não é possível dizer que Gabriel ama mais Igor ou o contrário, e a questão a ser respondida não deve ser essa.

Se o casal não consegue compreender o ponto de vista diferente do outro é importante sim procurar por ajuda profissional para esclarecer as coisas antes de tomarem qualquer decisão.

A situação é bastante delicada. Não gosto de fazer generalizações, mas é comum que o conflito se resolva com a parte que "não quer" cedendo ao outro por medo de perdê-lo. Acontece que essa profecia acaba se concretizando por que existem muitas dificuldades envolvidas nessa situação. Aquele que "não quer" em geral não consegue lidar com essas dificuldades e sai bastante machucado da relação, com prejuízos inclusive para sua autoestima.

Talvez o ideal para solucionar o impasse fosse que os dois concordassem plenamente, que abrir ou não a relação fosse um desejo comum aos dois. Mas as pessoas são diferentes e, portanto devemos aprender a lidar com essas diferenças da melhor maneira possível e com o menor numero de arranhões possíveis.

Além de procurar ajuda profissional, uma alternativa poderia ser "experimentar" abrir a relação colocando algumas "regras" de segurança. Dialogando bastante vocês talvez pudessem chegar a um bom acordo para ambas as partes. Gabriel deve falar sinceramente sobre seus medos e Igor sobre suas expectativas.            

O mais importante para chegarem a um entendimento a escutar o outro de coração aberto, colocar-se em seu lugar e evitar juízos de valor sobre um posicionamento que é apenas diferente do seu.    

 


Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (3) Comente aqui!

3 comentários:

  1. Tive esta experiência de ter um relacionamento longo e abrir a relação. Posso dizer a você que não foi bom para mim. Para ele foi por que não tinha mais sentimentos comigo e com isto procurou outro para substituir. Quanta a impor regras como disse o blog. Nós colocamos só sairíamos com outro juntos. Eu respeitei a regra ele não. Logo se você quiser fazer boa sorte. mas te aconselho a conversar com ele e ver se ele realmente ainda te ama ou se esta em duvidas. Melhor ver realmente se vale a pena você se arriscar ou só vai fazer você sofrer mais.

    ResponderExcluir
  2. Depois de 2 anos num relacionamento, onde não havia mais sexo, ou quando havia, apenas ele se satisfazia, falta de carinho da parte dele, ele querendo me mudar em tudo q sou, e sempre reclamando, resolvemos abrir a relação, pelo menos para q eu pudesse ter um prazer q ele não me prorcionava. No inicio colocamos algumas regras, tipo de ter q ser os dois juntos, mas ele sempre reclamava dos caras q eu achava legal (e advinhem, hoje ele só sai com esse mesmo tipo de cara!), depois permitiu q eu saisse sozinho, mas q deveria guardar a experiencia pra mim. Ele não estava conseguindo sair com ninguem, então colocava a culpa em mim. Tinhamos a regra tambem q ambos so fariamos ativos (ja q, mesmo sabendo q sou ativo, ele vivia querendo me comer), até q ele fez passivo a primeira vez, e ao invés de guardar só pra ele (uma regra q ele estipulou), veio com um sorriso de ponta a ponta das orelha ja contando tudo, e quando eu disse q precisava de um tempinho pra absorver, ele fica com raiva e quase me agride. Outra regra q ele quebrou: não podiamos fazer com 2 ao mesmo tempo, só podia fazer sexo a 3, se fosse eu, ele e mais 1. Quando descobri q ele tava marcando com 2 caras, ele veio me dizer q era só um tipo de prazer e q ele não estava quebrando as regras. Essa era a resposta dele sempre q ele estava quebrando as regras, e dai quando eu fazia o mesmo q ele, ele me dizia q eu tava querendo liberdade demais pra mim. Era sufocante. Foi quase um ano inteiro assim, até q não aguentei mais as brigas toda hora, a falta de carinho, o modo controlador dele, e disse basta! Chega! To fora disso! Dai ele veio dizer q sentia minha falta, q tava arrependido, e etc. Mas eu ja estava em outra. Fui atras de viver experiencias sexuais q eu sempre quis fazer, sentir prazer como eu nunca pude sentir naquela relação, estava sendo feliz, e ele estava me incomodando o tempo todo. Hoje, enquanto eu estou num novo relacionamento maduro e saudavel, em q meu homem me da muito prazer, ele se perde em aventuras sexuais e namoricos q sempre acabam em brigas. Outro motivo da separação: ele vivia torrando nosso dinheiro. Hoje posso desfrutar da grana ganhada pelo meu proprio suor, enquanto ele se afunda em dividas e mais dividas, muitas delas, vindas da falta de dinheiro, em q ele gastou a grana em sexo, festas, bebidas e saunas eroticas.

    ResponderExcluir
  3. Sendo sincero? Relação aberta não é ruim. Como qualquer relação tem suas regras e bonus. A relação aberta permite voce descobrir mais sexualmente a respeito de voce e parceiro tambem. Mas abri um relacionamento como forma de salvar relacionamento e sinal que o o relacionamento não vai funcionar mesmo sendo fechado ou aberto.

    Ao comentador acima me parece mais que o cara não era leal então o real motivo de não ter dado certo e mais por caracter dele do que por ter aberto a relação.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...