Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR


Me descobri bi com meu amigo



Me chamo Marcos, 26 anos, branco, cabelos castanhos claros olhos mel, peito com alguns pelos, 1,80 de altura. Era sexta feira, já estava indo para casa quando meu amigo Carlos me pede uma carona e como moramos perto o levo em minha moto.

_ Chega ai cara! Ta meio bagunçado, mas sabe como é marmanjo morando sozinho ne? Disse Carlos, entrando em seu apartamento pegando algumas peças de roupa em cima do sofá.
_ De boa cara, para mim ta é muito arrumado precisa ver como é meu quarto kkk. Entrei e sentei no sofá.
_ Quer alguma coisa uma cerva gelada, água, refri?
_ Uma água estou dirigindo.

_ Que isso Marcão amanha é sábado ta de boa qualquer coisa dorme ai e pela sua cara esta precisando de uma geladinha.
_ Não mano agua mesmo.
_ O que foi porque esta assim? Ja tem um tempo que anda diferente, distraído, um tanto nervoso, irritado.
_ Ha mano sabe como é... A sheila é moça de família e...
_ Hum ja sei ta regulando.
_ Pois é, se fosse essas piriguetes dando uma de santinha ja tinha intimado, mas a Shey é diferente, certinha mesmo e estou curtindo fiar com ela, mas...
_ A falta ta pegando forte.
_ E como cara, nossas punhetas não tão resolvendo mais, to andando direto de pau duro cara.
_ È ja percebi...
_ Anda manjando minha rola Carlão?
_ Não!... Po cara, tu desfilando com essa tenda armada parecendo um acampamento cigano, só se eu fosse cego não ver e ja ta mo comentário na facu, às mina tão loca para ver o que tem debaixo dessa “tenda” ai kkkk.
_ Show, mas to amarradão na shey.
_ Ha cara tipo, você não quer forçar, quer respeitar a mina, de boa, mas tipo se continuar assim tu vai pirar mano, tem que ter uma válvula de escape.
_ Ha não sei...

Disse eu pensando e dando uma apertada no pau por cima da calça o que foi acompanhado por Carlos que chegou a passar a língua nos lábios. Não disse nada, ficamos conversando escutando umas musicas e resolvi ir encontrar com Sheyla. Na despedida, Carlos disse para eu pensar bem na proposta. Perguntei, qual proposta? Ele respondeu apertando seu pau me olhando com uma cara de safado.
_ o escape.
_ Ha sim ok, vou pensar.


Respondi e fui embora. Chegando à casa de Sheyla ela estava sozinha, sentamos no sofá ligamos a tv e começamos a nos beijar. minhas mãos passeavam por suas coxas lisinhas e iam subindo, mas antes que chegassem mais perto da xoxota, ela tirava colocando minha mãos em sua cintura. Eu aproveitei e alisei sua barriguinha e fui subindo em direção a seus seios durinhos, enquanto minha boca descia por seu pescoço deixando Shey arrepiadinha. Minha mão já tinha conseguido segurar naqueles peitinhos deliciosos que estavam "acesos", pontudinhos, quando escutamos um barulho no portão. Puta que pariu! Sheyla da um pulo no sofá e tira minhas mãos dela, era o irmão dela. O cara era super gente boa, mesmo assim Sheila já regulava mais minhas mãos. Logo a mãe, os outros dois irmãos e em seguida o pai de Sheyla chegam. A casa se enche e acabou a privacidade. Chamo Sheyla para irmos la para fora. Estava com Sheyla encostada no muro e meu corpo de encontro ao dela beijando, e alisando seu corpo. Aproveitávamos que a rua estava deserta e a arvore tampava a luz do poste, quando seu irmãozinho mais novo chega dizendo que a mãe estava chamando para a janta e que já era hora de entrar para casa, pois era muito perigoso ficar de fora aquela hora. Literalmente, uma ducha de agua fria. Fiquei puto, pois eu estava super excitado. Despedi-me de minha namorada e resolvi ir embora. No caminho para a casa sentia meu pau até doer de tão duro e entre muitos pensamentos não sei o porquê, veio a imagem de Carlos dizendo escape, pegando no pau dando uma leve mordidinha no lábio inferior.

Neste momento, olho para o lado e percebo que estou de frente a casa de Carlos. Paro a moto, bato na porta e Carlos me atende somente usando um short sem camisa. Aparentemente estava meio alto de cerveja com uma latinha em uma mão e dando aquela coçada no saco com a outra. Entrei meio sem saber se devia mesmo estar ali. Carlos me ofereceu uma cerveja, recusei informando que estava dirigindo.
_ Cara de boa qualquer coisa se dorme aí, amanhã é sábado e pela sua cara esta precisando relaxar.
_ Com certeza estou, não sabe a pilha que eu to cara.
_ Pelo volume, estava com a Sheyla, certo?
_ Pois é... nem te conto como foi hoje.
_ Falai mano, sou ou não teu brother? Contei a Carlos o que tinha acontecido. Ao relembrar fiquei ainda mais excitado e Carlos não tirava os olhos de minha mala, bebendo e me enchendo de cerveja. O celular de Carlos informa o recebimento de mensagem. Desta vez era um vídeo de um cara caralhudo comendo uma garota. Carlos me mostra o vídeo. Meu pau tinha dado uma leve amolecida, mas com o vídeo logo endurece feito pedra novamente. Meu amigo então diz:

_ Cara se tu não tirar esse pau para fora ele vai estourar essa tua calça kkk.
_Tiro meu cacete e começo a alisa-lo vendo o filme, enquanto Carlos chegava a salivar olhando minha rola.
_ Curtiu? Aproveita que to bêbado e nessa seca cheio de tesão e cai de boca cara.


 

Nem precisou falar duas vezes, Carlos se ajoelhou no meio de minhas pernas e abocanhou meu cacete me pagando o melhor boquete que ja tinha experimentado até então. Enquanto eu assistia o vídeo, Carlos se deliciava com meu cacete, lambendo, até meu saco, mamando a cabeça.

O vídeo acabou e meu amigo continuava na chupeta. Joguei o celular de lado, segurei em sua cabeça e fudia sua boca como se fosse uma buceta. Estava para gozar quando ele se levantou, arriou as calças e ofereceu seu rabo. Levantei-me, aproveitei que ele estava se abrindo com as duas mãos e cravei meu cacete dentro. Ficava naquele tira tudo e coloca de novo até que ele pediu:

 

_ Soca tudo e mete! Arromba meu cu cara, mate essa tua e a minha vontade!
Segurei no ombro de Carlos e meti o mais rápido que pude. Não demorou muito e gozei muito dentro do meu amigo. Soltei Carlos e sentei no sofá. Ele se virou e caiu de boca em meu pau, sugando o resto de porra de dentro dele. Adormeci e acordei sem calças no outro dia, na casa de Carlos. Não o vi. Vesti minha calça e fui embora para minha casa.

Meio constrangido com o que tinha acontecido, passei alguns dias sem falar com Carlos, mas não deu uma semana e meu tesão estava insuportável. Novamente lá estava eu batendo na porta de Carlos, que me recebeu com um sorrisinho safado no rosto.
_ E ai Carlão! De boa brother? Será que dá para rolar um "escape"?
_ Entra aí.
Entrei sentei no sofá já tirando a blusa de frio e desabotoando a calça.

Coloquei meu cacetão duro para fora e Carlão ja veio se ajoelhou e abocanhou meu cacete. Delicia de boca me sugando, desta vez mais sóbreo e com Carlos mais a vontade. Ele começou a acariciar meu corpo enfiando as mãos por dentro de minha camisa, apertando meus mamilos, me dando ainda mais prazer.

 

Peguei na cabeça de Carlos e comecei a movimentar meu quadril fodendo sua boca, depois de alguns movimentos ele tirou meu pau da boca e disse:
_Quer fuder? Então vem fuder meu cu la no quarto.

Tirei toda a roupa e quando cheguei no quarto, Carlos já estava de quatro na cama, arreganhando seu cu com as duas mãos. Dessa vez brinquei um pouco com aquele rabo acariciando a apertando suas nádegas. Pincelei meu cacete em seu rego, lubrificando com meu pré-gozo e minha saliva. Cuspi bem no seu buraquinho e comecei a enfiar tudo e tirar. Eu gostava de ver o oco que meu pau deixava naquele rabo. Enfiei tudo e comecei a bombar. Apoiei uma perna em cima da cama, enquanto a outra permanecia no chão.

Depois Carlos mudou de posição ficando deitado de barriga para cima. Subi na cama, ficando entre suas pernas e meti em seu cuzão gostoso. Vendo sua cara de dor e prazer ao sentir meu pau dentro dele. Depois de muitas bombadas meu amigo disse que queria cavalgar.

Deitei na cama com meu cacete para cima. Carlos veio por cima abocanhando cada centímetro de meu cacete com seu cu todinho. Dá aquela rebolada roçando sua bunda em meus pentelhos. Carlos subia e descia em meu cacete. Quando descia, rebolava e pedia para eu dar tapas em sua bunda. O cara parecia uma puta em meu cacete, nunca pensei em estar em uma situação daquela e gostando. Estava para gozar, Carlos saiu do meu pau e o abocanhou, deu algumas masturbadas e recebeu todo meu gozo em sua boca fazendo cara de puta.
_ Haaaa que tesão! Gritei dando tapinhas em sua cara.

Não larguei de minha namorada continuei com ela dando minhas relaxadas com Carlos que virou meu puto oficial fixo. O lance entre nos era apenas de amizade e sexo, puro tesão, eu o comia e ele me chupava não rolava beijo, nunca rolou.

 

Aos poucos consegui que Shey me chupasse. Mas confesso que nem chegava perto dos boquetes de Carlos. Consegui mamar em seus seios e masturbava sua xaninha deixando-a molhadinha. Quase consegui come-la duas vezes, mas sempre chegava alguém. E ela não entrava em meu quarto ou aceitava ir a um motel. Não teve jeito, antes de um ano nos casamos e finalmente consegui comer aquela xaninha.

Sheila é muito gostosa e agora que descobriu o sexo está se mostrando uma verdadeira putinha, um pouco inexperiente é verdade, mas aprende rápido com os vídeos e com minhas lições.

O Único defeito de Sheyla é sua resistência em dar o cuzinho Não forço muito, seu boquete melhorou, mas ainda o de Carlos é melhor. Por estes entre outros motivos continuo com meu amigo putinho. Como seu rabo e me delicio com sua boca mesmo estando casado.

Hoje me considero bissexual, não procuro outras mulheres já olhei para outros caras, mas ainda prefiro ter um amante fixo por segurança e por meu Carlos saber como eu gosto e os limites em nosso relacionamento. Acho melhor deixar as coisas como estão.

Autor: Mrpr2
 
Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. Que delícia adorei
    Alguém afim de trocar nudes?
    Wpp: 11984286337

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...