Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Travestis e a prostituição.




Qual a sua visão a respeito da prostituição?

É preciso que você tenha em mente que o problema não é a prostituição. Apesar da ideia estereotipada, e marginalizada, que a profissão tem, os problemas são outros. Uma vez escutei a seguinte frase:

“Sou prostitua sim. Prostituta do sexo, pois existem muitos tipos de prostituição! Política, social… Sou prostituta do sexo e com muito orgulho.”

É bom lembrar que muitas pessoas se prostituem por opção e não por necessidade, e muitas pessoas possuem a ditas “profissões dignas” por necessidade.

Enfim, a prostituição em si já rende uma discussão enorme. Mas se o que falei acima te fez, no mínimo, questionar o que pensa a respeito da profissão, fiz meu trabalho.

Travestis são fortemente associadas a prostituição. Se tornou quase automático o pensamento de que travestis se prostituem. Mas porquê?

A frase que citei acima é de uma travesti, que escolheu se prostituir e assim é feliz. Assim como ela, muitas são por escolha. Mas e as outras?

O problema não é a prostituição, mas a falta de escolha. Muitas se prostituem por não conseguirem trabalhar com o que desejam. Imagine você como é uma entrevista de trabalho para uma travesti. Para muitos gays e lésbicas já é difícil conseguir uma colocação no mercado de trabalho. Para elas a dificuldade começa na inscrição, “Sexo:    Homem    Mulher”. Não existem opções além da binariedade de gênero. E isso é apenas o primeiro obstáculo, ainda existe o preconceito do contratante, o preconceito dos possíveis colegas de trabalhos e dos clientes.

Elas não se viram para a prostituição por ser o último recurso. Se viram para a prostituição por serem aceitas na profissão. É ali que, historicamente, elas tem trabalho garantido. É na prostituição que, de certa forma e até certo ponto, o preconceito some. Mas também é ali que o preconceito sofrido por elas cresce. A transfobia que sofrem soma-se ao preconceito com as prostitutas.

Outra citação, que me lembrou muito a que fiz no começo do texto, é de Kelly Cutrone.

“Somos todas prostitutas de uma forma ou de outra. As pessoas ainda são tão arcaicas. Quem é uma puta? Eu sou uma puta? Eu quero falar com meus clientes todos os dias? Não. Eu tenho que falar com eles porque estão me pagando para atendê-los bem? Hell yeah!”

Kelly é dona da ‘People’s Revolution’, uma das maiores empresas de RP no mundo da moda. Completando a citação, que Kelly finalizou com maestria.

“(…) metade das pessoas na primeira fileira dos desfiles de moda estão fazendo sexo com outras pessoas por dinheiro. As vezes elas só são chamadas de esposas.”

O problema não são as travestis. É como as enxergamos, como as tratamos. O problemas não é prostituição, é como a percebemos.

O problema é o preconceito.

PERGUNTAS & RESPOSTAS


Sou gay e quero sair do armário.



Eu to com um pequeno problema na minha vida – ou dentro da minha cabeça? Assumir. Desde pequeno que eu sei que sou gay mas o problema é que eu não consigo sair do armário.

Se fosse só eu e minha mãe tudo bem, a vida seria rosa, mas o problema é que o resto da minha família tem mostrado uma visão contrária, principalmente meu avô.

Pra se ter uma ideia ele proibiu a namorada da minha prima de vir aqui pra casa e não é de hoje que eu escuto ele dizer “Se tiver neto meu frango, mato!“.

Eu já pensei em ir morar com minha mãe, acontece que meu pai não mora aqui no Brasil e ele sempre dá aquela ajudinha… Meu medo maior é que meu avô faça alguma besteira ou que meu pai pare de mandar minha pensão. Ele é ilegal lá fora, o que dificulta ainda mais denunciar caso ele pare.

Como sou de menor não tenho como arrumar aquele salário minímo pra ajudar minha mãe a pagar colégio, cartão e outras coisas.

E agora? O que é que eu faço? Espero a maior idade pra me assumir?

LJ, 15 anos – PE – Via e-mail

~*~

Olá LJ.

Sair do Armário nem sempre é fácil! Hoje temos até boxeador assumindo que é gay, mas nem sempre é fácil usar esses exemplos em nossas vidas.

O que você deve fazer é se perguntar se há mesmo necessidade de sair do armário e dizer para a família: Sou Gay! Você é novo e realmente é complicado caso sua família implique com sua sexualidade. Ainda há o problema do seu avô que já demonstrou ser bem homofóbico, né?

Vale a dizer Sou Gay assim tão novo? Não mudaria muito a sua vida! Mesmo não assumindo você pode levar um namorado pra casa, só que sua família não precisa saber disso! As vezes é mais fácil passar a adolescência escondendo um pouco!

Antes de mais nada pense muito se há necessidade de sair do armário agora. Se realmente você precisa dizer para sua família Sou Gay, então vá em frente!

Quanto ao pagamento da pensão consultei o advogado Ricardo Tellini sobre o fato:

‘Primeiramente é preciso saber se houve a separação dos pais e se houve a fixação da pensão. Se positivo, caso o pai pare de prestar os alimentos e não for localizado pode-se analisar o caso de transferir a obrigaçõo para outro parente, tipo seu avô, porém esse trâmite e um pouco complicado.

Por outro lado, se não houve a fixação dos alimentos, o ideal é ingressar com a medida judicial competente para resguardar seus direitos’.

~*~

Como quebrar o gelo?



Olá, tenho 19 anos, nunca namorei outro garoto e ninguém sabe mas sou gay.

Tenho um amigo muito próximo, da mesma idade, pelo qual acho que estou gostando de uma forma além da amizade. Já pude perceber pelo jeito dele que é recíproco.

Tanto eu como ele fomos descobrindo aos poucos que o que sentimos um pelo outro é recíproco. O problema é que nem eu, nem ele quer se admitir gay e chegar para o outro e falar a verdade do que está acontecendo.

Como posso fazer pra poder quebrar esse gelo de uma maneira mais sutil?

Fabio Russo, 19 anos. Via e-mail.

~*~

Difícil dar algum conselho nessa situação pois ela é bem pessoal, não sabemos como a outra pessoa pode reagir.

Mas ok, vamos tentar ir do começo “nem eu, nem ele quer se assumir gay”. Vocês está afim de um cara, seu amigo, veio há um blog de conteúdo destinado a homossexuais e me pergunta como quebrar o gelo?

Tenho algumas noticias para você… não tem essa de se assumir gay, você não precisa andar um um placa “eu sou gay” pendurada no pescoço na rua, mas mentir para você mesmo e para a pessoa que sabe a verdade, até então só vocês precisam saber, e ninguém mais.

A relação de vocês precisa ser verdadeira, honesta e os outro não importam. É engraçado como com tantas coisas diferentes tudo parece igual, mesmo que você pareça diferente pela sua sexualidade, não é!

Como você quebra o gelo? Como todo mundo faz, ué! Leve no cinema, para comer fora, tenha um date! Se nada disso funcionar apele para a balada/bebida no mínimo poderão fazer o que querem e se bater arrependimento depois coloquem a culpa na vodka!

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...