Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ







Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.
O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.
Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:

Como podemos nos reaproximar depois de uma discussão?
Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandreamorim17@hotmail.com



Estou em um relacionamento de 3 anos. Discutimos muitos e as vezes nos ofendemos bastante. Já passamos meses sem nos falarmos pois nenhum dos dois pede desculpas. Já aconteceu de voltarmos apenas esquecendo o que aconteceu, mas vejo que isso não tem nos ajudado pois continuamos a brigar. Gostaríamos de ter uma daquelas relações resistentes, em que os casais conseguem ficar juntos por anos, que conseguem se entender com o mínimo de discussões possíveis. Temos alguns casais de amigos assim e ficamos tristes por não conseguir ser desse jeito. Em 96% das vezes é ele quem começa as discussões, eu tento evita-las por que não quero terminar com ele. Apesar disso nos amamos muito. O que precisamos saber ou fazer para conseguir nos reaproximar depois de uma discussão?
Gean, 24 anos

           
Gean, no mundo perfeito imaginado pelos casais eles nunca discutiriam. Não haveria brigas, ninguém sairia ofendido, ninguém ficaria irritado e, portanto, não haveria mágoas. Mas infelizmente essa não é a realidade. Todos os casais discutem, o que varia é a intensidade e a frequencia que isso ocorre. O que quer dizer que, com mais ou menos ferramentas, cada um tem de encontrar formas de fazer as pazes, por mais séria que possa ter sido a discussão, sob pena de a relação terminar.

Pode parecer absurdo mas existe sim pessoas que nunca pedem desculpas, nunca tentam uma reaproximação, nunca tomam a iniciativa de retomar a normalidade depois de um momento de tensão. NÃO SEJA ESSA PESSOA. O fato é que mesmo que um dos dois seja um “santo” e faça todo esse trabalho sozinho, essas são relações que estão na maioria das vezes condenadas ao término.

Nas relações “resistentes”, como você chamou, aquelas que duram muitas décadas e em que as pessoas estão verdadeiramente empenhadas em continuar juntas porque gostam uma da outra, existem ferramentas para lidar com as discussões, desde as mais pequenas até as mais sérias. Ao seu modo, esses casais encontram e/ou desenvolvem estratégias para se reaproximarem em vez de ficarem simplesmente esperando que o tempo passe e a tensão desapareça.

O que é preciso saber para conseguir resgatar a relação depois das discussões? O primeiro passo é lembrar que nem sempre as discussões são o que parecem ser. Ficou confuso? Eu explico. Não se foque apenas no assunto que deu origem à discussão. É possível que vocês tenham iniciado a discussão sobre “ir ou não ir a uma festa”, passem horas falando sobre isso, mas na verdade o verdadeiro problema é algo mais profundo, algo que um dos dois já guardava há algum tempo e não consegue pôr em palavras. Um ciúme em relação a alguém que estará na festa. Uma mágoa por sentir a relação mais fria. E até problemas alheios ao casal, como problemas familiares ou profissionais. O que acontece é que podemos “explodir” em determinadas situações de ansiedade ou que envolvem sentimos de insegurança, pelos motivos “errados”. Portanto, é preciso conhecer aquilo que está, realmente, incomodando você ou ao seu companheiro. É preciso desenvolver bem a sua empatia com ele para que nesses momentos você possa conforta-lo, apesar da discussão.

Mas é claro que uma discussão sobre uma festa pode ser somente uma discussão sobre uma festa. Nesse claro tente ser o mais claro possível ou peça que ele seja o mais claro possível, sem que precisem se agredir por isso. As palavras “sempre” e “nunca” são palavras proibidas nas discussões, evite falar de 591 episódios diferentes, evite que a pessoa de quem gosta se sinta atacada.

Também é preciso assumir a sua responsabilidade. Você quer ter razão ou a relação? É uma escolha. Você não precisa se colocar no lugar de “estar sempre errado” e ainda assim pedir desculpas sempre. A escolha diz respeito a estar aberto a entender e reconhecer que, de um modo geral, numa discussão, ambos erram e você pode escolher dar o primeiro passo. Gostaria de ressaltar que essa é uma escolha que em geral traz bons frutos. O seu companheiro muito provavelmente vai aproveitar a sua tomada de iniciativa e assumir também os seus erros. Ou pode não ser capaz de o fazer desta vez mas isso irá instiga-lo a fazer em uma próxima vez. Não fique contando quem cede mais. Cuide e preserve a sua relação ao invés de torna-la uma competição, uma queda de braços.

Será que realmente interessa se não foi você que começou a discussão? Você tem o PODER de começar a reaproximação.




Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (2) Comente aqui!

2 comentários:

  1. Este assunto e´ bastante interessante e concerne nao somente a casais gays, mas tambem a qualquer casal e por que nao nas amizades tambem? As vezes, acho melhor ceder um pouco e talves, tentar mudar de assunto ou mesmo, dar uma desculpa e sair do ambiente para que esfriem se os animos. Normalmente, quando uma discussao começa, ela se extende e parte para outros assuntos que desagrada a um e saem fora do que estavam discutindo. Isto e´, aumenta e aproveita para expor outros coisas que desagrada a um e a outro.
    Continuar uma discussao, torna-se maior do que ja estava e piora mais ainda a relaçao, que pode resultar no fim da relaçao. Quando da contunidade da discussao, muitas vezes, esquentam se os animos e falam coisas que nao deveriam ser ditas e quando se esfriam os animos, a sensaçao dos dois e´ de arrependimento do que foi dita

    Nessas hora e´ de muita calma. Melhor calar e dexar o companheiro falar sem dar a entender de `deboche`` ou indiferença (que isto tambem e´ bastante irritante), aos olhos do outro.

    ResponderExcluir
  2. Achei fantástico o texto. Eu ja tive muita dificuldade em pedir desculpas ou de dar o primeiro passo para reconciliar e perdi muitos amigos e namorados por isso. Achei todos os conselhos muito bons, vai ajudar quem passa por essa dificuldade

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...