Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE


O Banheiro Binário.




Não costumamos parar para pensar nos banheiros públicos. Isso caso não tenhamos problemas com eles. Com o tanto que já falamos de binarismo de gênero, acho que já dá para imaginar onde quero chegar. Os banheiros, separados entre masculino e feminino, são o exemplo mais explícito que temos de binarismo de gênero. E a ideia de propriedade quanto aos mesmo é inacreditável.

Entrar no banheiro “errado” pode ser um problema para quem não se encaixa no binarismo de gênero. Pode haver hostilização, agressão. Mas e quem não se encaixa, entra em qual? Se uma travesti entrar no banheiro feminino, muitas mulheres acham ruim, se entrar no masculino muitos homens acham ruim. O mesmo acontece com algumas mulheres transexuais, homens transexuais, pessoas andróginas, crossdressers e a lista continua.

A ideia de separação dos banheiros é antiga, e vem de um tempo em que não era permitida a existência de nada além do homem e da mulher. Bem antes de qualquer movimento por direitos, respeito. Não dá para determinar exatamente em que ponto foram separados, mas provavelmente em um tempo onde as discussões de gênero praticamente não existiam, se é que existiam. Na época podia fazer sentido, talvez pelo “pudor” de tempos antigos. Com o tempo o motivo passou a ser o respeito, e a proteção, contra abusos sexuais, pervertidos. Isso baseado na ideia da heteronormatividade, e na ilusão de que um abusador seria impedido por uma placa que não atende seu gênero. Mas com o tempo a humanidade evolui, ao menos deveria, e passamos e perceber que gênero não é essa coisa simplista.

A divisão começou com base no órgão sexual de nascimento, o que é muito associado com gênero. Continuamos separando pelos gêneros homem e mulher. Conhecemos cada vez mais identidades, mas a separação de um local básico continua estática. Alguns podem dizer “só entrar em qualquer banheiro”. Mas e a reação? E a ideia que muitos tem de que aquele é “o banheiro deles”? Entrar por entrar, eu entraria em qualquer um. São necessidades fisiológicas, de que importa o gênero, e a sexualidade, de quem entra ali?

Pode parecer uma questão boba e simples demais, mas é exatamente por isso que é tão importante. Um banheiro, algo tão básico, se tornou um símbolo de segregação, de exclusão. Imagine a sensação de não ser aceito pelo banheiro. Ou talvez você já a tenha sentido.

O banheiro é, hoje, um dos maiores símbolos do quão atrasados estamos, do quanto ficamos para trás. Do quanto nós fechamos e simplesmente negamos.

O banheiro onde muitos vão “cagar”, mas fazem escândalo pela presença de outras pessoas naquele espaço.

PERGUNTAS & RESPOSTAS

Como arrumar um parceiro para me fazer de fêmea na cama?



Oi, tudo bem? Tenho um problema, trivial pra maioria das pessoas… mas pra mim é uma barreira enorme. Por isso preciso de conselhos de quem é mais experiente e vivido do que eu. Basicamente, meu enrosco é como conseguir um bom parceiro pra realizar meus desejos. Sou bissexual, bem resolvido comigo mesmo (encaro com naturalidade, sem culpa ou encucações). Mas não sou assumido, prefiro me perservar do preconceito vigente na sociedade. Sou ativo com mulheres, mas gosto de “ser a mulher” com outros homens. Meu sonho é ser dominado por outro homem na cama como se fosse mulher, ser penetrado e colocado em posições femininas, ser possuído como uma verdadeira fêmea. Fantasio muito com isso… adoro ser passivo, a “submissão” da condição feminina na cama me excita demais e me traz muito prazer.Eu já consegui ter isso com uma mulher, com a qual namorei 2 anos… e tínhamos uma intimidade deliciosa. 

Cheguei até a revelar a ela meus desejos de “fêmea” ocultos, e pra minha surpresa ela levou de boa. Uma vez até fizemos uma inversão de papéis e ela me comeu com um consolo como se fosse homem! Foi uma das experiências mais intensas que já tive, foi bom demais. Mas não é a mesma coisa, ainda queria viver isso nos braços de um homem de verdade, mas pra isso preciso de um parceiro, e não sei como encontrar um. Devem existir truques ou manhas que ajudem nisso, gostaria de saber quais, tanto no mundo real qto no mundo virtual. O máximo que consigo são esses lances virtuais, e muito raros ainda, pois só saio com alguém do bate-papo quando sinto muita segurança mesmo. E sempre acaba sendo frustrante, por ser tenso, frio e mecânico demais, e sem intimidade nenhuma. Já fiz cadastro em tudo o ke é site de encontros pela internet, mas não parece algo promissor… faz anos ke estou nisso e até hj nem sombra.

O que devo fazer pra conseguir um parceiro que dure mais do que uma noite só? Gostaria de conselhos a respeito disso. 

Atenciosamente, Ed =)

-*~

Olá, Ed. Não sou nenhum grande sábio nessa coisa de transas…

Bacana que você se assume e se aceita assim. Confesso que sua narrativa no e-mail, essa coisa de querer ser fêmea etc, me pareceu engraçado, deu uma vontade imensa de fazer piadinhas enquanto respondia aqui. Mas como você foi homem o suficiente pra compartilhar um desejo com a gente, vou responder seriamente.

Super te entendo quando diz que essa coisa de transar por transar é mecânica. Também acho que o sexo é muito melhor quando há uma intimidade. A pessoa já sabe onde pegar, como pegar e até a hora de te soltar… rs

Mas acho que o ser humano não entende bem o conceito de transar sem compromisso, mas com intimidade. O mais próximo que existe disso seria o “amigo pra fodas”. Isso mesmo, um amigo que transaria contigo sempre que os dois tivessem vontade, mas não te cobraria satisfações, nem te monopolizaria, como um namorado. Um amigo que não sumiria após a transa, que te faria gozar mesmo depois de ter gozado. Diferente dessas transas tipo fast foda, onde o cara goza, sobe as calças e te deixa ali jogado como um lixo.

Já ouvi falar tanto dessa coisa de “amizade colorida” que até me interessei em arrumar um amigo assim, pois namorar sério ta foda (com o perdão do trocadilho), mas eu não sirvo pra isso. Na minha cabeça, amigo é igual irmão. E irmão não faz sexo com outro irmão… Agora, se pra você essa equação é diferente… tente procurar alguém que queira o mesmo que você. Sexo com intimidade, mas sem compromisso afetivo.

E bom, onde buscar isso? Continua tentando a sorte nos sites gays, nos chats para Bissexuais e apela pra reza brava caso nada disso dê certo.. Talvez seria interessante você ir num clube de sexo gay, sauna… vai que encontra alguém com o mesmo pensamento que você por lá.

Boa sorte pra ti.

Beijos. 

~*~

Correndo atrás do boy magia.



Eu tenho 18 anos, e há pouco tempo (2 meses) eu comecei a me relacionar com um cara de 20 anos. Eu o conheço há 1 ano e logo que o conheci falei da minha sexualidade e aos poucos fomos ficando amigos. Depois de um tempo nos falando, acabamos virando amigos e ele me confidenciou que nunca havia ficado com homens, mas que eu estava despertando isso nele. Aos poucos fomos ficando mais próximos, mas nada da gente ficar.

À medida que o tempo ia passando, ele ia ficando mais grudento, querendo me ver direto e tal, mas eu já não queria mais nada com ele, por ele ter virado muito chiclete. (e olhe que nem tínhamos ficado ainda). Comecei a dar foras e mais foras até que ele parou com as mensagens, ligações, e até se afastou de mim um pouco. Nesse ano começamos a fazer faculdade na mesma universidade, porém em cursos diferentes, e passamos a nos ver todos os dias, e a amizade foi voltando.

Voltou tanto que eu comecei a ficar a fim dele de novo. Eu chamei ele para vir aqui em casa um dia, quando estava só, e falei tudo o que sentia por ele, e pedi desculpas por ter percebido isso tão tarde. A gente acabou dando o primeiro beijo… E pra minha surpresa, o beijo foi maravilhoso! E eu me vi ali, totalmente apaixonado por um cara que eu passei um ano esnobando. Depois desse dia, ficamos conversando por mensagens direto, parecíamos até um casal mesmo.

Mas essa felicidade não durou muito. A gente parou com as mensagens e eu estava começando a sentí-lo mais distante. Até que teve um dia que nós ficamos de novo, mas ele veio conversar comigo depois, dizendo que eu não precisava me prender e que a gente tava só ficando. Ele ainda sentia algo pelo ex. (Quando a gente se afastou no ano passado, ele conheceu um cara e namorou com ele, mas o cara morava longe, em outra cidade e não deu certo o namoro).

Aquilo foi um baque pra mim, porque eu realmente estava gostando dele. Mas me fiz de forte e disse que tava tudo bem. A gente continua ficando, e é maravilhoso quando estamos juntos, eu sinto que ele realmente gosta de estar comigo.

O problema é depois, que sinto ele muito distante. Não sei se ele tá preocupado que eu ache que ele esteja sendo grudento de novo, por isso está mais distante dessa vez, ou se ele não gosta tanto assim de mim, só quer ficar mesmo.

Thiago Souza, 18 anos.

~*~

Olá Thiago, realmente é uma situação complicada. No começo você não queria e até esnobou o cara e agora você quer mas quem é esnobado [de uma certa forma] é você. Quem nunca passou por isso, né?

O que piorou tudo foi que nesse meio tempo em que você se afastou ele conheceu um outro cara. Isso pode acontecer sempre que deixamos alguém de lado por qualquer motivo. Eu mesmo passei por algo parecido no fim do ano passado.

Conheci um cara através de uma amiga, o cara é bonito e super bacana mas acabei deixando-o na ‘geladeira‘ porque estava numa fase que precisava resolver um monte de problemas e seria complicado alguém na minha vida exatamente nessa fase. Continuamos conversando normalmente. Um certo dia resolvi conhecê-lo. Fiquei com ele, foi bacana, maaaaaaaaas durante a semana comentei alguma coisa no Instagram dele e do nada aparece um cara dizendo que era namorado dele. Levei um baque porque não sabia que ele namorava e ~NÃO FICO~ com caras comprometidos. Não sou apaixonado por ele, mas sei que ele é um cara super bacana isso seria questão de tempo.

Sabe o que eu fiz? Continuei sendo amigo dele, conversando normalmente e se um dia ele terminar o namoro quem sabe não role alguma coisa? Se eu estiver solteiro e ele também nada nos impede. Sei que o erro nisso tudo foi meu por isso tenho que arcar com as consequências deles.

A forma do seu boy magia agir agora, mais distante, pode ser um reflexo da sua atitude no passado. Ele pode ter se magoado com seu distanciamento e agora tenta se preservar. Isso nada mais é do que uma proteção para que ele não se machuque novamente. As vezes ele até gosta de você mas agora vai com mais calma.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...