Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Preconceito dentro da diversidade sexual.




Há 43 anos lutamos por direitos iguais e o fim da homofobia, desde A Revolta de Stonewall que gays, lésbicas, bissexuais, travestis e trangêneros saem as ruas, brigam contra uma sociedade machista.

Tal sociedade sempre colocou os LGBTs como cidadãos de segunda categoria, mas até que ponto dentro do universo gay nos categorizamos como 1ª, 2ª, 3ª… categoria? Existe o preconceito dentro da diversidade sexual.

Cada dia mais vivemos em guetos mais segmentados, e esquecemos que dentro da diversidade sexual somos todos iguais. O grupo de barbies e homens sarados que faz pouco caso com os bears, que por sua vez acham ué gays mais efeminados, que não gostam de travestis, que acham as barbies horrendas completando um círculo vicioso de preconceito em um grupo que deveria se unir contra o preconceito que todos sofrem.

Esses são apenas exemplos de como nós mesmos sofremos e infligimos o preconceito dentro de nosso micro universo. Até que ponto somos vítimas ou algozes? Até que ponto não precisamos realmente nos unir [dentro de nossas diferenças] para realmente lutar como uma verdadeira comunidade LGBT?

Logo que conheci o universo gay fiquei super feliz porque via que [aparentemente] todos eram iguais dentro de sua diferença, mas depois de anos convivendo dentro do meio percebi o quanto somos frágeis como grupo e o quanto isso nos torna fracos pela luta do bem comum. Sempre ouvia que as travestis eram perigosas e mal educadas mas depois de conhecer várias, pude perceber que não são assim. Adoro minhas amigas travas.

Se falar sobre bissexuais então… A coisa fica pior ainda. Talvez sejam eles que sofram mais o preconceito [juntamente com as travestis], porque além da maioria do população não entender como alguém pode gosta de ambos o sexos, os próprios LGBTs os chamam de inconstantes, que não sabem o que quer… mas a bissexualidade é uma realidade tão constante quanto a própria homossexualidade.

Como podemos apontar o dedo para alguém que fala mal de LGBTs se nós mesmos não estamos preparados para conviver como as nossas diferenças? Como cobrar do outro aquilo que nem nós conseguimos colocar em prática?

Assim como a maioria não é homogênea, a minoria tampouco seria, e o dia que aprendermos a respeitar a diversidade dentro da diversidade passaremos a realmente ter orgulho não de gays, lésbicas, bissexuais, travestis ou transgêneros, mas seres humanos.

Concorda? Discorda? Comente!

PERGUNTAS & RESPOSTAS


Tirando o relacionamento gay da rotina.



Vcs poderiam dar ideias ou sugestões do que fazer quando o relacionamento fica com cara de domingo, monótono ? Tanto no dia a dia e no sexo.

Anônimo.

~*~

Para começar, a rotina de um relacionamento gay [ou qualquer outro] nunca é ‘culpa’ de apenas um lado, mas sim dos dois que por algum motivo deixam de se comunicar de forma correta e acabam guardando muitos desejos com vergonha de revela-los. Primeiro passo para um relacionamento saudável é ter completa liberdade para conversar sobre tudo [TUDO MESMO] com o namorado. Seja sexo, problemas, alegrias, estudos, trabalho, família, etc.

Apimentar a relação nem é tão difícil, viu? O passo inicial é ter algumas ideias bacanas para quebrar um pouco a mesmice diária. Já pensou em conhecer algum sex shop com o namorado? Pois conheça, mas faça questão de irem juntos! Além da diversão vocês terão um encontro diferente e só isso já é sair da rotina, o que dirá usar os produtos, né?

Alternar quem faz passivo e quem faz ativo é uma forma bacana de sair da rotina de um relacionamento. ‘Ah Peagá, eu curto ser ativo [ou passivo]’. Ué, você não quer sair da mesmice? Poxa, é uma ótima forma de mudar um pouco as coisas, e isso não significa que é pra sempre. Até porque, alternar as coisas de vez em quando é saudável.

Você já ouviu falar em Kama Sutra? Há diversas posições sexuais para sexo anal que são IN-CRÍ-VEIS! Já tentaram fazer algo nesse sentido? Pode-se apimentar ainda mais as coisas com locais inusitados. Eu mesmo já transei numa construção com um namorado de noite enquanto os funcionários não estavam. Outra lugar diferente que transei foi durante uma trilha no Pico do Jaraguá. Sim, ali no meio do mato mesmo!

A dica principal eu deixo por último: Para seu relacionamento não cair numa rotina use a IMAGINAÇÃO! Com ela aposto que seu relacionamento será diferente todo dia.

Beijos e boa sorte!

~*~

O medo de não dar conta do recado.


Pois bem, meu causo é o seguinte: estou com 25 anos, tenho dois empregos durante a semana e ainda faço faculdade a noite. É minha segunda graduação, to no último ano e as coisas andam tão corridas, que até a academia eu parei. To namorando um cara, ele tem 22 anos, um trabalho tranquilo, faz o 2º ano de faculdade a noite e ainda mora com os pais. Mas ele tem um fogo do caralhoooo, estamos namorando fazem 2 meses e rola uma ótima quimica entre a gente. Estamos transando de duas a três vezes por semana, geralmente quando ele vem dormir no fds aqui em casa. Fui fazer um carinho nele e vi que o saco dele estava pequeno, brinquei perguntando se ele estava se masturbando em casa, e ele disse que sim, pois eu não estou comparecendo como deveria….. EU PIREI… pois fds quando estamos juntos rola muita pegação entre a gente. nos vemos todos os dias, mas só transamos quando ele dorme fds aqui em casa. 

Agora vem a questão, estou comparecendo pouco? É normal sexo 2 ou 3 vezes por semana? Será que o problema sou eu ou ele? O que eu poderia fazer pra deixá-lo mais feliz sexualmente? E se ele se masturba em casa sozinho é porque realmente falta algo na cama? To pirando com isso…  

L., Ribeirao Preto – sp.

~*~

Você ta pirando por causa disso? Imagina, nem ficou aparente nas 800 indagações sobre sexo que fez no e-mail… Valeu por me mandar beijo, mas prefiro minha parte em dinheiro mesmo… ou me apresenta algum amigo solteiro. Aliás, me apresenta um amigo solteiro e me paga também, já que deixou de me paquerar e ainda escreve pro blog pra jogar na minha cara que transa 3x por semana e que seu namorado ninfomaníaco ainda pede mais! DESAFORO… huahauhau

Brinks a parte, já parou pra pensar que o saco dele tava pequeno por causa do frio e ele fez a maldita, pra te provocar, falou que você não tava dando conta do recado? 

Enfim, essa coisa de quantidade de transas x Casas Bahia Feelings = satisfação total a você, é subjetiva demais. Cada gay é uma gay. Se eu transasse 3 x por semana, seria muito feliz, além de ter a pele ÓTIMA. Mas o ser humano sempre quer mais… né? Então, se tivesse 3 transas garantidas, iria querer transar 7x por semana… Em compensação, tem gente que nem de transar gosta.

Acho que esse fogo todo é normal no começo do namoro, depois dos 5 meses vai dar uma baixada, e se chegarem aos 10 anos de namoro, num vão nem lembrar o que significa um Canguru Perneta…

))) Quanto a poder deixá-lo mais feliz sexualmente… É sempre possível, mas daí é bom perguntar pra ele se gostaria de realizar alguma fantasia… apimentar a relação ou se você pode melhorar algo. Como está no começo, acho até normal perguntar. Melhor do que dar uma de fodão, fazer algo que ele odeia só porque você gosta ou viu num filme e assumiu que ele deveria curtir também.

Sobre ele se masturbar sozinho em casa, MEU FILHO, se manca. O menino não tem direito a bater punheta longe de você? Ele assinou contrato com a exigência de só gozar na sua presença? Respeita o espaço dele… tem gente que está acostumado a se masturbar todo santo dia, mesmo casado e morando junto. Respeite a individualidade.

Agora, não deixe as coisas caírem na mesmice. Esperar até o final de semana pra transar? Já que se encontram todos os dias… aproveita e taca esse boy na parede sempre que tiver chance. Sem que ele espere por isso…

Boa sorte com o meu substituto. 

Beijos!

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (3) Comente aqui!

3 comentários:

  1. Preconceito dentro da diversidade sexual, nada mais é do que o reflexo da ideologia de igualdade. Cada vez que alguém fala em igualdade ignora que somos diferentes e temos que respeitar as diferenças. Temos que levantar a bandeira da tolerancia e não da igualdade. Só com tolerancia é que as diferenças serão respeitadas. Pois somos todos diferentes e não iguais. Viva a diferença, abaixo a igualdade.Igualdade é massificação. Diferença é liberdade.

    helioi

    ResponderExcluir
  2. E´bem por ae. Nos podemos nao gostar de um grupo, mas tolerar e respeitar, mesmo porque, nem todos sao o que nao gostamos neles. Todos, independente do grupo que pertença, sofre preconceito e ate crime de odio na sociedade. Logo, todos os grupos LGBT´s tem algo em comum. E por lutar por direitos, todos devem esquecer as diferenças e lutar por um bem comum: o respeito.

    ResponderExcluir
  3. O cara reclamando do namorado quer demais. Ja faz quase um mes q nao transo com o meu. Ele ja tem 43 anos, e sexo pra ele ja nao eh algo q o estimule, ainda mais pelo remedio q ele toma (ele eh soropositivo negativo). Hoje mesmo ele me pediu desculpas por nao me dar sexo mais. Eu disse pra ele, nao preciso de sexo, q eu o amava e q estarmos juntos era mais importante q sexo. Eu tambem tenho 22 anos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...