Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Polícia prende suspeito de  matar homossexual nos EUA.


Vítima era homossexual e foi morta com várias facadas


A polícia norte-americana prendeu um homem suspeito de matar o jovem Deon L. Brown, de 24 anos.

O carro do acusado, Christopher Gadsden, tinha resquícios de sangue por dentro, e ele foi encontrado no Estado da Carolina do Norte.

O crime ocorreu no início de novembro em Nashville, Tennessee. O corpo de Brown foi encontrado com diversas facadas em um estacionamento. As autoridades suspeitam que tenha tido motivação homofóbica. 

A vítima foi achada com roupas femininas, mas não há nenhuma indicação de que tivesse uma identidade trans. Brown trabalhava como cosmetologista.

DISCRIMINAÇÃO - Jovem é impedido de cantar em funeral da avó por apoio a parada LGBT.


Um jovem de 23 anos foi proibido de cantar no funeral da sua avó após o padre ver uma foto dele em uma parada LGBT.


Em sua página no Facebook, Connor Hakes compartilhou uma mensagem que recebeu do padre, Bob Lengerich. O religioso diz que um escândalo é provocado por “qualquer pessoa que peca e depois age em nome de Deus”.

“Este é o principal motivo para você não poder (neste momento) oferecer seus dons à da Igreja Católica da Assunção de Santa Maria [onde ocorreu o funeral]“.

O jovem disse que o superior do padre, o bispo Kevin Rhoades, entrou em contato com ele para se desculpar.

ENGLAND: Homem de 52 anos é assassinado por jovem de 18, que conheceu no Grindr.




Nós publicamos uma série de notícias envolvendo ataques homofóbicos que são praticados através de aplicativos de pegação, como o caso do serial killer de Uberlândia que matou três gays após marcar encontros sexuais.

Pois foi registrado mais um caso semelhante de um jovem de 18 anos que foi preso e condenado por assassinar um homem de 52 anos, após conhecê-lo no Grindr. A vítima teve a garganta cortada em sua casa, em Sussex na Inglaterra. O crime aconteceu em fevereiro desse ano, mas só foi julgado agora em novembro.



Paul Jefferies teve mais de 40 ferimentos causado pelo ataque de Ben Bamford, o corpo foi encontrado nu no chão da cozinha da casa da vítima, com um pano de pratos cobrindo seu rosto. Segundo informações da imprensa local, os dois se encontraram pela primeira vez quando o assassino tinha apenas 15 anos.

De acordo com o The Telegraph, Bamford devia a um traficante de drogas em torno de £ 400 (cerca de R$ 1400) e estava sendo pressionado a pagar. As mensagens de texto que mostram o traficante ameaçando Bamford foram lidos no tribunal.

Os promotores acusaram Bamford de roubar Jefferies, a fim de conseguir o dinheiro para pagar a dívida. Após o assassinato, Bamford roubou o carro da vítima e foi a um hospital onde foi levado para tratar os ferimentos na cabeça e braço.

No tribunal, Bamford negou o assassinato e alegou legítima defesa, já que Jefferies teria o ameaçado. O juiz chamou o episódio de “ato de carnificina implacável” e o condenou a 16 anos de prisão.

CAMPINAS (SP): Boate indenizará trans por fazê-la pagar ingresso masculino.


Advogado da vítima considera valor de indenização baixo


A boate Banana República de Campinas (SP) deverá pagar uma indenização de R$ 2,5 mil a uma transexual que foi obrigada a pagar ingresso masculino para entrar no local.

A sentença, da 2ª Vara Cível da cidade, foi publicada na semana passada, um ano após Branca Bacci ter entrado com ação na Justiça. Ainda cabe recurso.

No processo, a vítima exigia uma indenização de R$ 15.575 por danos morais à dignidade humana. O advogado de Branca, Filippe Martin Del Campo Furlan, disse que apesar da decisão do juiz ser favorável, o valor da indenização não serve para reparar uma situação de constrangimento.

Branca disse que considera a decisão do juiz uma vitória e que vê como um primeiro passo para que as identidades femininas sejam respeitadas.

TRANSFOBIA? Transexual é encontrada morta em zona rural da Paraíba.


Vítima foi vista pela última vez em bar com amigos


Uma transexual foi assassinada na área ruara de Guarabira, região central da Paraíba, na sexta-feira, 2.

Conhecida como “Zizo”, a vítima apresentava sinais de estrangulamento, segundo informações do programa “Cidade Alerta” local.

Pessoas que passavam pelo local encontraram o corpo e chamaram a polícia. Familiares contam que Zizo foi vista pela última vez na tarde de quinta-feira, 1º, quando saiu para beber com amigos.

De acordo com a polícia, a vítima fazia ponto próximo à estrada onde ficava a rodoviária municipal e não tinha passagens pela polícia, que não descarta a hipótese de transfobia.

Homofobia: Jovem é atacado brutalmente por vizinho em Curitiba.




Sair da casa dos pais é sempre um desejo de muitos jovens gays, em busca de seu espaço e liberdade, mas nem sempre o resultado é ir morar em um local tão seguro. Foi o que descobriu o chef de cozinha Ricardo Lacerda, de 30 anos, de Curitiba. Há alguns meses morando no bairro do Seminário, em razão da proximidade ao seu trabalho, ele foi surpreendido por um vizinho que o atacou com um facão dentro da cozinha de sua casa.

Ele conta que não está trabalhando no momento e que por isso foi dar uma volta de bicicleta à noite e que quando voltou precisou acender a luz externa de sua casa pois a da cozinha estava queimada. Neste momento, Luiz Lopes dos Santos, 40 anos, que segundo a vítima estava embriagado, e mora em uma das casas no mesmo terreno onde fica a casa locada pelo chef de cozinha, entrou no local gritando: “Você tá me tirando viado” e deferiu dois golpes de facão que atingiram o rosto e o braço de Ricardo que passou a pedir socorro e foi atendido pelos vizinhos. O crime ocorreu no último dia 17 de Novembro, na Rua Olavo Bilac, no bairro Seminário, por volta das 3h da madrugada.

Conta o jovem que conversava normalmente com o acusado nos dias antes do fato e que comprou dele uma geladeira quando se mudou, da qual há duas semanas o homem quis reverter o negócio mas que ele não aceitou, mas que não ficou qualquer avença entre os dois.

Ricardo precisou colocar uma placa de titânio em seu cotovelo e para isso levou mais de 40 pontos na cirurgia e ficou 10 dias hospitalizado. Ao fazer o boletim de ocorrência, estranhou o fato dos policiais terem registrado como “vias de fato” ao invés de tentativa de homicídio. “Eu só estou vivo porque o facão não estava afiado”, declarou ele para a Lado A. Ainda, ao procurar auxílio na Defensoria Pública do Paraná foi informado que, por motivo de contenção de despesas, apenas os réus estavam recebendo Justiça gratuita no momento.

Ricardo está na casa da mãe no Bairro Alto e hoje entrou em contato com advogados do Grupo Dignidade na esperança de ter seus direitos respeitados e processar tanto a dona do imóvel quanto o agressor.  A “homofobia” foi registrada nas falas da vítima como motivo, mas tivemos acesso ao B.O. e ele claramente não expressa a gravidade do ocorrido e nem cita as falas do autor. Segundo Ricardo, o seu agressor ficou em liberdade no dia seguinte, mesmo tendo antecedentes criminais.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...