Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

CANADÁ: Justin Trudeau respeitará identidade de gênero dos presos.


Justin Trudeau disse que tratará direitos trans como direitos humanos


O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, se comprometeu a permitir que presos transgêneros possam cumprir suas sentenças em prisões de acordo com sua identidade de gênero.

“Eu vou me certificar de olharmos isso e fazermos certo reconhecendo os direitos trans como direitos humanos e precisamos ter certeza de que estamos defendendo a dignidade e direito de todas as formas possíveis”, declarou o político.

A promessa veio depois do Serviço Correcional do país ter declarado de que pessoas trans devem cumprir penas de acordo com seu sexo do nascimento.

Anonymous cumpre ameaça e começa a divulgar dados secretos de Kassab.




O negócio ficou pequeno para Gilberto Kassab, que deu um susto nos brasileiros ao anunciar que em 2017 nós teríamos internet banda larga limitada. Diante de tal decisão, células da Anonymous, que haviam prometido atacar políticos e operadoras envolvidas na questão, agiram.

Há pouco, a AnonBRNews divulgou no Facebook informações pessoais do ministro Gilberto Kassab e da base de dados da Anatel. Tem endereço, CPF, telefones pessoais e mais um monte de coisas.

“O governo voltou atrás, mas o nosso aviso é permanente. Esse vazamento é uma pequena demonstração do que somos capazes de fazer contra um governo que parece ter perdido o medo do povo. Não tem problema, nós estamos aqui para lembrá-los. A base de dados da Anatel é nossa, e os dados do Ministro fanfarrão é de todos. Que tal se alguém solicitar o cancelamento da internet pessoal do Sr. Gilberto Kassab? Ou então… que tal se alguém encomendar uns 30 caçambas de entulho e mandar descarregar na porta da garagem da casa dele? Os dados estão aqui, aproveitem. Com amor, O povo”.

Kassab volta atrás e diz que não haverá limite na banda larga.




Depois de ser muito criticado (e até ameaçado por hackers), o ministro da Tecnologia, Gilberto Kassab, desmentiu nesta sexta-feira (13), que o governo iria permitir que as operadoras de internet banda larga fixa passassem, neste ano, a impor limites de dados para assinantes.

“O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, esclarece que não haverá mudanças no modelo atual de planos de banda larga fixa, reiterando seu compromisso em atender o interesse da população e do consumidor”, disse Kassab em nota enviada pela assessoria de comunicação do ministério.

“O nosso objetivo é beneficiar o usuário. O ministério trabalha para que o usuário seja beneficiado com melhores serviços. Esperamos que esse serviço seja o mais elástico possível, mas que tenha um ponto de equilíbrio, pois as empresas têm os seus limites”, continuou o ministro, que não explicou quais seriam os “benefícios” ao usuário.

Na manhã desta sexta-feira (13), o presidente da Anatel, Juarez Quadros, afirmou que o ministro teria “se equivocado” na entrevista sobre a limitação de dados.

“Conversei com o ministro Kassab e ele reconheceu que cometeu um equívoco. A Anatel mantém a ação cautelar [emitida em abril para impedir que as operadoras bloqueiem o serviço após superar o limite da franquia de dados] e não há hoje intenção ou política de governo que indique o contrário”, disse Quadros.

Ele reforçou o que havia dito em uma audiência pública em dezembro na Comissão de Transparência e Governança Pública do Senado: “A cautelar está em vigor e não penso em tratar dessa questão tão cedo”.

Vale lembrar que, apesar dos desmentidos, continua em vigor uma consulta pública da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para “colher subsídios técnicos” para fundamentar a decisão da agência sobre o tema. Além disso, personalidades do meio acadêmico estão sendo convidadas pela entidade para dar seus argumentos. O prazo da consulta pública se encerrará em 30 de abril.

Suspeita de matar o filho de 17 anos não aceitava sexualidade do jovem, diz tio.


Itaberli Lozano foi encontrado morto em canavial na Rodovia José Fregonezi.


Tatiana Lozano confessou à polícia que matou filho a facadas durante briga. Ela e o padrasto da vítima foram presos após corpo ser achado carbonizado.

O tio paterno do adolescente que foi encontrado morto em Cravinhos (SP) afirma que a mãe, que confessou ter matado o próprio filho, não aceitava a sexualidade do garoto. O corpo de Itaberli Lozano, de 17 anos, foi encontrado carbonizado em um canavial.

“A mãe dele não aceitava e a gente já desconfiava, porque ela não quis prestar queixa. Acho que a mãe tem que cuidar do filho e não fazer o que ela fez. Ele era um rapaz que trabalhava, era educado, era um menino, mas estava na fase de trabalhador”, disse Dario Rosa.

A mãe e o padrasto foram presos nesta quarta-feira (11), após confessarem à polícia serem os autores do crime. Em depoimento, a gerente de supermercado Tatiana Lozano Pereira, de 32 anos, contou que matou o filho a facadas durante uma discussão.

Já o padrasto, o tratorista Alex Pereira, de 30 anos, disse que levou o corpo de Lozano até o canavial, onde foi incendiado. Os restos mortais foram encontrados em 7 de janeiro, dois dias antes de a família registrar um boletim de ocorrência sobre o desaparecimento do jovem.

O advogado Fabiano Ravagnani Junior disse que pediu à Justiça a liberdade provisória do casal. A defesa também estuda ingressar com pedido de habeas corpus, alegando legítima defesa - a tese é de que a mãe tentou se defender do filho, ao ser ameaçada por ele, e acabou esfaqueando o jovem.

Tio paterno da vítima, Dario Rosa contou que o adolescente discutia muito com a mãe e, por esse motivo, decidiu ir morar com ele e a avó paterna, em 27 de dezembro do ano passado. Para Rosa, o crime foi motivado pelo fato de o jovem ser homossexual.

Ainda segundo Rosa, o adolescente ficou na casa da avó até a noite de 29 de dezembro, quando voltou para casa após receber uma ligação da mãe no celular. A partir daí, Lozano não foi mais visto pelos familiares.

"Chegou um carro em casa, ele entrou e saíram. Depois disso, minha mãe foi até a casa dele e perguntou. A mãe [Tatiana] disse que não sabia e falou que ele poderia estar morando na casa de algum amigo, tentando desviar a investigação”, contou o tio.

A mãe do jovem, Tatiana Lozano Pereira, e o marido, Alex Pereira.

Ameaça de morte
Em depoimento na delegacia, a mãe disse que o adolescente ameaçou ela e o irmão caçula de morte. Ainda segundo a Tatiana, nos últimos meses o filho passou a usar drogas e a apresentar comportamento agressivo com a família.

O tio da vítima disse não acreditar na versão da ex-cunhada e desmente que Lozano tivesse envolvimento com drogas. Rosa também disse suspeitar que mais pessoas estejam envolvidas no crime, mas ainda não foram identificadas.

“O crime foi premeditado porque a mãe dele estava muito tranquila e, assim que fizemos a queixa, ela começou a ter um comportamento diferente. Queremos que seja feita justiça. Se realmente foi ela, vai ter que pagar e os demais que estão envolvidos também", disse.

Mãe muda versão e agora diz que trio de jovens matou filho no interior de SP.


A gerente Tatiana Lozano Pereira confessou ter matado o filho de 17 anos em Cravinhos.

A mãe que tinha confessado ter matado o filho a facadas no interior de São Paulo, segundo a polícia, mudou a versão do crime em novo depoimento.
Na noite desta quinta-feira (12), Tatiana Ferreira Lozano Pereira, 32, responsabilizou três pessoas –dois rapazes e uma adolescente– pela morte de Itaberly Lozano Rosa, 17, assassinado a golpes de faca em 29 de dezembro, em Cravinhos (a 292 km de São Paulo).

No depoimento de cerca de 40 minutos ao delegado responsável pelo caso, Tatiana disse que os três chegaram à noite em sua casa no dia 29 de dezembro e perguntaram se o jovem estava lhe "dando muito trabalho" e se precisava de um "corretivo".

Ela disse que sim, segundo o depoimento, dizendo-lhes que não deixassem o filho machucado. O trio então esperou Itaberly chegar em casa, segundo ela, e entrou no quarto da vítima vestindo capuzes. Somente a adolescente foi identificada por ela. Os outros dois, Tatiana disse desconhecer.

A mãe disse que saiu de casa neste momento, mas que ouviu o pedido de ajuda do filho. "Mãe, vou morrer", gritou o jovem, segundo depoimento da mulher à polícia. Vinte minutos depois, ela voltou para o interior da casa e se deparou com o filho morto, disse.

Desesperada e com medo de ser culpada pela polícia, segundo seu depoimento, ela teve a ideia de ocultar o corpo. Foi aí que ela acordou o marido, padastro de Itaberly, que a ajudou a enrolar o cadáver em um edredom, jogar em um canavial e atear fogo, para sumir com as impressões.

Apesar do novo relato, Tatiana não soube explicar os motivos de não dar o nome dos três suspeitos do crime. Segundo o delegado Eduardo Librandi Junior, que investiga o caso, ela preferiu ser mantida presa, mesmo com as garantias de guardar a sua vida com ajuda policial.

Cabeleireiro gay é espancado e roubado em Três Lagoas (MS).


Polícia de Três Lagoas está investigando o caso


Um cabeleireiro foi agredido covardemente e roubado dentro de um banheiro público da Praça Senador Ramez Tebet, em Três Lagoas (MS).

“Ele estava na praça, no centro da cidade, em um momento de lazer como qualquer outra pessoa e resolveu ir ao banheiro compartilhado e lá foi cruelmente espancado por três vândalos”, relatou Paula Ribeiro, presidente da Associação Três-lagoense de Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais, ao site MidiaMax.


“Engraçado que quando vão roubar um casal eles não batem, roubam a moto e pronto. Dá para ver que ele [vítima] é gay, e bateram por isso. Eles vão bater porque é gay, você vai apanhar porque é gay. Eu não posso aceitar isso, é muita indignação”, disse.

A vítima postou no Facebook imagem se recuperando da agressão nas redes sociais. “Ainda estou muito deformado …mais em casa vivo e melhorando… obrigada por todos as visitas”, escreveu.

A polícia está investigando o caso e buscaria imagens de câmeras da região para tentar identificar os criminosos.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...