Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ






Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.

Bem, vamos ao tema de hoje:

Ele não diz: “EU TE AMO”

Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com

 

Eu namoro há 1 ano e meio e sinto que nossa relação é muito especial. Quase nunca brigamos, passamos todo o tempo livre juntos, rimos de nós mesmos, conhecemos as famílias um do outro, fazemos planos para o futuro, nos apoiamos quando algum problema parece grande demais para enfrentar sozinho e estamos pensando em ir morar juntos. Tudo realmente não só parece como é perfeito, com exceção de uma única coisa: Ele não diz “Eu te mo”. Nunca disse. Já fez diferentes juras de amor do tipo: “Eu sou só seu”, “Quero ficar com você para sempre”, “Você é a pessoa mais especial do mundo para mim”, porém nunca disse que me ama. E isso me incomoda, eu já disse que o amo. Foi o primeiro cara para quem eu falei. Não sei se deveria dar tanta importância a isso, mas o fato é que queria ouvi-lo dizer. Estou errado? É possível amar uma pessoa e não dizer a ela?O que eu posso fazer para ele falar?  
Ricardo, 23 anos



Oi Ricardo. Vou começar com uma provocação: O cara diz que te AMA, então tá! Ele te AMA. Será mesmo? Como podemos saber se somos amados? Será que basta dizer as três tais palavrinhas mágicas? Você sabe que é amado porque lhe disseram isso? É muito gostoso ouvir. Mas entre ouvir que é amado e sentir-se amado existe uma grande distância.           

Mas vamos devagar. Primeiro é preciso respeitar o tempo, o seu e o do outro. É preciso entender que nossos sentimentos e todas as implicações que ele envolve nos deixam claro que os caminhos para o amor nunca são ou estão prontos, mas certamente, passam por nossa maturidade.            

Vamos falar um pouco dos perigos de se apressar as coisas. Os gregos costumavam dizer que o amor é “uma questão de despertar para a vida”, e logicamente nem todos despertam ao mesmo tempo, assim como não tem as mesmas expectativas nem as mesmas necessidades.

Amar é um processo. Requer tempo, conhecimento, entrega, reconhecimento das nossas e das limitações do outro. Corremos o risco, ao tentarmos acelerar esse processo, de “matar” o amor. É como uma construção, você não pode fazer às pressas ou “de qualquer jeito”. É um processo delicado: escolhe-se o terreno, planejam-se as fundações e a base para que a obra seja realizada, colocamos um a um cada tijolo, depois cobrimos a casa e iniciamos o acabamento interior. Os detalhes vem com o tempo: os jardins, a decoração, os cuidados.
Entende porque o amor não pode ser exigido com urgência? Uma casa feita “de qualquer jeito”, com material de qualidade ruim, tende a apresentar problemas na estrutura, podendo cair antes do tempo.

Sei que pode ser muito frustrante não ouvir um 'eu também te amo' como resposta, mas você “abriu a porta”. Você fez o certo, disse no seu tempo. Ele pode estar escolhendo outra situação para demonstrar todo o amor e carinho que sente por você. Amor acontece naturalmente, não se pode cobrar e exigir.      

Não precisa desesperar se ele esta demorando um pouquinho mais. Isso não necessariamente significa nada de ruim. Ele pode dar outros indícios do que sente por você.  

Lembra quando eu falei sobre o “sentir-se amado”. Sentir-se amado, é sentir que a pessoa tem interesse autêntico pela sua vida, é ver como ela fica triste quando você está triste e como ela sorri com delicadeza quando olha para você e diz que você está fazendo uma tempestade em copo d'água; é sentir que ela se preocupa quando as coisas não estão dando certo para você, que zela pelo seu bem estar, que se importa com a sua felicidade, que está sempre disponível para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você sempre que é preciso.       

Sente-se amado aquele que vê que o outro lembra coisas que você contou há anos atrás. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que pode dizer tudo sem medo, que compreende. Sente-se amado aquele que perdoa um ao outro sem transformar a mágoa em munição na hora da discussão, aquele que se sente aceito, que se sente inteiro,       

Sente-se amado quem não precisa inventar um personagem, quem pode ser como é; quem não ofega, mais suspira depois de transar, depois de um abraço forte; Sente-se amado quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda; mas escuta. Agora, sente-se e escute: Eu te amo não diz tudo!    




Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...