Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Durante o encontro uma dúvida surge: ""Ele é ativo ou passivo?"




No processo psicoterapêutico, vejo que essa preocupação surge com certa frequência diante de uma transa. Que papel terei no sexo: passivo ou ativo?

Os incômodos e conflitos no que diz respeito a ser ativo ou passivo, geralmente são frutos de sentidos e significados atribuídos aos papéis de submissão e dominação. O papel passivo revela uma identificação com a fêmea, que durante o sexo é tomada e submetida à dominação do macho viril, “é comida”, no sentido brasileiro. Ela é a figura desvirilizada


Da mesma maneira, no sexo homoerótico, manter o ânus intacto é ser o dominante e o macho viril na relação, ideia valorizada desde a Grécia Antiga.

Precisamos entender que os papéis de dominação e submissão fazem parte do jogo erótico e é um conjunto de atitudes para a obtenção do prazer sexual, tanto para homossexuais quanto para heterossexuais.

A apreensão, também pode vir do medo pelo desconhecido, quando é a primeira vez. Ou por não querer frustrar a expectativa do parceiro quando uma das práticas não é a sua praia.

Outros gays têm prazer como passivos, mas depois da transa ficam péssimos e juram nunca mais repetir. Tem aqueles que só se permitem ser ativos, apesar de desejar outra forma de prazer.

Um bom sexo só acontece quando as pessoas vivem sua sexualidade livres de preceitos e de papéis definidos que impeçam a plenitude do prazer. E, sempre, com respeito a si mesmo e ao outro.

Durante o sexo experimentamos dar, receber afeto e prazer sexual através dos toques, beijos, falas e práticas sexuais variadas. Pensar na transa e no prazer apenas pela prática de quem vai penetrar ou ser penetrado é diminuir as chances de ter um ótimo momento.

Caro leitor, não sei em qual situação você se encaixa e o grau da sua preocupação, a ponto de impedir seu encontro. Relaxe!

Você só tem duas formas de saber: conhecendo alguém que já transou com ele ou descobrir sozinho. Em minha opinião, a segunda opção pode ser a melhor, afinal você nem sempre contará com uma referência. Por outro lado, tem a chance de viver novas sensações.

Lembre-se que o respeito por seus limites é imprescindível, se aquele não for um bom momento para experimentar uma novidade, diga “não”.

* Fátima Protti é psicóloga, terapeuta sexual e de casal. Pós-graduada pela USP e autora do livro “Sexo, Amor e Prazer”.

PERGUNTAS & RESPOSTAS

Fiquei com um cara do meu trabalho.




Minha historia é a seguinte: não sou efeminado, por isso nunca tive problemas em ser discreto. Porém na empresa onde trabalho sou ainda mais discreto. Os únicos que sabem que sou gay são aqueles que ouviram por ae da boca de meia duzia de gatos pingados ou sacaram alguma coisa e chegaram para perguntar, confirmei sem problemas, mas pedi para que não espalhassem aos quatro ventos.

No entanto apareceu um rapaz novo na firma (tipo deus grego de 20 anos). Logo percebi sua sexualidade (acho que um que é sem pre reconhece outro nas redondezas), e comecei a investir.

Acontece que deu certo, ficamos, passamos uma noite que sei que me daria muita inveja se não estivesse presente (risos), trocamos números e facebooks (isso é o que me intriga, pois foi ele quem pediu), mas no fim do papo ambos concordamos que seriamos apenas conhecidos de escritório para os demais funcionários da empresa.

Trocando ideia no escritório mesmo, mas não mais nos encontamos em particular, apenas mensagens calientes. No entanto, desde a coisa mudou; ele foge de minhas mensagens no celular, no face, se mostra em Off pra mim no msn, porém dentro do escritório ele tem se mostrado mais saidinho para com a minha humilde pessoa. Vem trocar idéia na mesma mesa (nem espera pelo cafezinho como costumáva-mos fazer), quando chega na mesa, senta sobre ela, solta piadinhas que poderiam ser consideradas mais intimas e todo dia na hora de sair do escritório, ele passa na minha mesa, aperta minha mão e lança um sorriso que me derruba e que sei que derruba qqer uma ao redor (até heteros se bobear).

Para quem tenta manter imagem de hetero isso pode ser meio perigoso, mas não ligo pra isso, e nunca liguei. Me preocupo mais com os sentimentos e o clima que pode ficar entre nós caso esse planinho dê errado.

Eu quero pedir para que pare com essa criancisse, mas tenho medo de estar entendendo mal a coisa toda e acabar perdendo de vez o afeto do boy. E como não estou conseguindo contato fora da empresa e ainda não tive a chance de agarrar o garoto em um dos elevadores (que percorre 7 andares) para ‘conversar.

A minha grande dúvida é: será que corro muito risco de perder o garoto caso chegue pedindo para que cresça e se assuma de uma vez? Têm alguma outra sugestão?

Muito obrigado pelo espaço.

Junior, 22 anos – Campinas/SP

-*~

Situações assim no ambiente de trabalho realmente são um pouco complicadas. Não digo de saberem que você é gay, mas o ‘relacionamento’ entre vocês. Muitas empresas não gostam que seus funcionários tenham tal intimidade, porque as vezes pode dar problema.

Pelo que entendi, o rapaz é novo e nem sempre nessa idade temos maturidade para viver um relacionamento assim. Outra coisa que me passou pela cabeça é de que ele ainda está se descobrindo como gay, e ainda precisa se entender um pouco antes de qualquer coisa. Talvez, por isso, que ele fique com esses joguinhos de na empresa dar bola e nas mídias sociais não responder. OU…

… Se ele não fala com você nas mídias sociais e celular, você já pensou se ele tem alguém mais sério na vida dele? Pode acontecer de não responder nada no Facebook com medo de que o namorado leia [ou algum familiar].

Acho que uma conversa SEMPRE AJUDA. Sentar e trocar ideia sobre o que acontece não é encostar uma arma na cabeça dele, mas sim mostrar que você está interessado nele e gostaria de saber se é correspondido ou se pode ter esperança de ter algo mais profundo.

Quanto a ele se assumir de uma vez a coisa complica, porque não sabemos se ele quer isso para a vida dele. Sim, algumas pessoas passam a vida escondendo sua sexualidade por medo do preconceito. Sempre sou a favor da verdade, até para levar uma vida mais livre, leve e sem stress. Nem todos pensam assim, então o melhor mesmo é deixar isso a cargo dele escolher.

Se você sente algo por esse boy magya e acha que pode dar certo, qual o problema de chamá-lo para um conversinha quando ele sentar na sua mesa de novo? Convide-o para um café, suco, cerveja, vinho… qualquer coisa. E seja feliz!!!

[PS- Por favor, antes de agarrá-lo no elevador verifique se há câmeras, porque isso sim pode ser um grande problema para vocês]

~*~

O misterioso mundo do macho vagabundo, ousado e com odor atraente…


Deve ter gente que sente atração por esse boy e a ciência explica: feromônios (ou cachaça).


1 -Por que os homens com um jeito mais masculino, vagabundo e ousado teem um magnetismo gigantesco em quase todos nos, enquanto os mais ‘afeminados’ ja não têm tanto poder?
 
2 -Por que o cheiro que alguns homens emanam são tao ‘convidativos’?
 
– Sanderson, 16, Mossoró.

~*~

Resposta 1 – gosto é igual bunda, todo mundo tem, mas varia de forma e tamanho: tem quem goste de cara mais machão, tem quem goste de um afeminado. Agora, quanto a ser vagabundo e ousado…isso fica por sua conta. Eu trabalho, sou limpinho e não quero saber de gente vagabunda do meu lado. Mas, se o que você se referiu é que amamos um cara safado, bom… Antes safado do que tapado. (Esse é meu lema!). É preciso lembrar que por mais cafajeste e apaixonante que o cara seja, por melhor que transe e te deixe louco, você precisa se amar e se dar o respeito, no sentido de não virar um brinquedo nas mãos do cafa. Mais ou menos assim: entregue seu corpo pra quem sentir vontade, mas só entregue seu coração pra quem fizer por merecer e souber te dar valor.

Resposta 2 – Eu acho que você ta com os hormônios gritando, querendo que eu te dê uma desculpa pra justificar que você ta querendo rodar a banca e ganhar o apelido de “corrimão” em Mossoró. Mas, enfim, todo ser humano emite sim um “odor” que serve para atrair o sexo oposto, isso vem do reino animal, que é uma “ajudinha” da natureza para que ocorra o acasalamento. Talvez, nós gays, tenhamos algo em nosso cérebro que nos faça sentir atração pelo odor masculino, ao invés do feminino. O fato é que, se você não se referia a isso, e gosta de cheiro de suor, cheiro forte de homem… vou ali orar pela sua alma, digo, não vou te julgar, apenas direi que prefiro homens cheirosos.

Acho que é isso, tem boy que tem um magnetismo sexual tão forte que prestamos mais atenção nele e o desejamos loucamente. Tem dias que estamos subindo pelas paredes e passamos a olhar com bons olhos até o boy mais zuado. Tudo na vida depende.

Beijos.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...