Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Secretário-Geral da ONU denuncia  intolerância com os LGBT.


Para secretário, populismo aumenta intolerância 


No Conselho dos Direitos Humanos das Nações Unidas, na segunda-feira, 27, o secretário-geral da ONU, António Guterres, lamentou o populismo que tem tomado conta de alguns países e considera que as minorias estejam sofrem com a intolerância.

“Vemos prosperar o fenômeno perverso do populismo e do extremismo em um contexto de crescente onda racista, xenófoba, antissemita e islamofóbica, entre outras formas de intolerância”, disse Guterres, segundo a Agência France-Presse.

“As minorias, as comunidades autóctones e outros grupos sofrem discriminações e abusos em todo o mundo. E o mesmo acontece com a comunidade LGBT”, afirmou. 

“Os direitos dos refugiados e dos migrantes são gravemente questionados (…) Diante da multidão de pessoas fogem da guerra, a comunidade internacional não deve fugir de suas responsabilidades”, completou.

1ª vez: Índia terá filme com  protagonista trans.


Atriz disse que foi encorajada pelo companheiro de elenco o tempo todo


Pela primeira vez um filme de grande orçamento na Índia terá um atriz transexual como protagonista.

Anjali Ameer, de 21 anos, estrelará o longa bilíngue “Peranbu” ao lado do ator Mammootty, que foi quem recomendou Ameer para o elenco.

A atriz disse ao India Times que inicialmente ficou intimidade no set, mas que Mammootty a encorajou e a apoiou durante todo o processo.

Gays são agredidos violentamente no Carnaval de Florianópolis.




O carnaval de muitos foliões pelo Brasil é só alegria e folia. Mas não foi o caso de Vítor Delboni, de 25 anos e seu namorado Leomir Bruch, de 23 anos. Ambos estavam se divertindo em Florianópolis, no bairro Lagoa da Conceição, quando Bruch decidiu ir embora antes, e para despedir, deu um beijo em Leomir. Foi quando um homofóbico os empurrou gritando “Vocês não podem se beijar aqui! Vão embora!!”.

Vitor contou sobre o acontecido: “Eu olhei pra ele tentando entender. Deixei pra lá e continuei beijando porque sou livre e não estava fazendo nada demais. Aí o cara veio, me puxou pelo cabelo e me arrastou.”. Leomir também acabou sendo agredido e jogado no chão. Caído, levou socos e chutes.

Segundo fontes, o homofóbico em questão faria parte da Escola de Samba do bairro, a União da Ilha da Magia. De acordo com o agredido, a pessoa estaria usando uma camiseta que indicava que era da escola. Quando conseguiram, os dois saíram correndo e foram para longe da confusão.

O crime foi registrado pelas duas vítimas na 10ª Delegacia de Polícia da Capital. A União da Ilha da Magia nega que o agressor seja integrante da escola de samba e afirma que ele seria apenas um morador local entre os foliões.

O presidente da escola de samba, disse: “Um grupo dizia que era homofobia e o outro dizia que tinha sido assediado por um menino. Eu posso confirmar com toda certeza que a pessoa não é membro da escola, ele é morador da região onde é a sede da escola”, reforça Nena. “A União da Ilha da Magia repudia qualquer ação neste sentido [da homofobia]. Tanto é que os casais gays que estavam dentro do nosso pavilhão não sofreram nenhuma repressão de nossa parte.”

Mãe encontra corpo de transexual morta a pedradas após sequestro.


Emanuelle Muniz, de 21 anos, foi morta a pedradas, em Anápolis, Goiás


Emanuelle Muniz, uma transexual de 21 anos, foi morta a pedradas após ser vítima de um sequestro no domingo (26), em Anápolis, a 55 km de Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, o corpo dela foi encontrado pela própria mãe, em uma estrada na zona rural da cidade. Conforme a corporação, a jovem desapareceu após entrar em um carro na porta de uma boate. 

Segundo o delegado Cleiton Lobo, do Grupo de Investigação de Homicídios de Anápolis (GIH), a mãe estava com a filha em uma festa e, na porta do evento entraram em um carro para pegar carona. Ao perceber que o veículo estava cheio, ela saiu e chamou Emanuelle, a puxando para fora. No entanto, segundo a corporação, o carro saiu em alta velocidade com a jovem dentro. 

“Diante disso, a mãe procurou uma amiga e começou a percorrer toda a cidade atrás da filha. Quase cinco horas depois do desaparecimento ela entrou em uma estrada de chão, mas o pneu do carro furou. Quando ela saiu do veículo para trocar o pneu com a amiga, encontrou o corpo da filha a poucos metros e ficou desesperada. Imediatamente ela acionou a Polícia Militar”, disse o delegado. 

O crime aconteceu na madrugada de domingo, em uma estrada que dá acesso à BR-060, em Anápolis. De acordo com o delegado, a jovem saiu da festa com a mãe 1h, e foi morta meia hora depois. O corpo foi encontrado às 7h. Conforme as investigações, a jovem teve o celular levado pelos criminosos. No entanto, o delegado afirma que o crime pode ter sido motivado por transfobia. 

“Apesar de, a princípio, ser tratado como latrocínio, não descartamos qualquer outra hipótese. Inclusive, que tenha sido um homicídio motivado por ódio de gênero. Ela era uma transexual com traços femininos, tinha seios, mas ainda não tinha feito cirurgia de mudança de sexo. A gente ainda não sabe se eles sabiam ou não que ela era transexual e se isso foi um fator que motivou o sequestro e o crime”, afirmou. 

Segundo o investigador, próximo do corpo a polícia encontrou a pedra utilizada para matar a jovem. “Uma pedra enorme. Todos os fatos que envolvem este crime só revelam a tamanha brutalidade com que ele foi cometido”, revelou o delegado. 

A Polícia Civil vai analisar imagens de câmera de segurança e ouvir testemunhas para tentar identificar o veículo que foi usado. 

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...