Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONFISSÕES DO DIVÃ






Os textos apresentados nesta seção buscarão ilustrar situações, angústias, problemas e experiências vivenciadas por alguns homens gays. Não existem experiências universais, comuns a todos os homens gays, cada um de nós é constituído e atravessado por diversas características que tornam a sua experiência única.  Nossa principal ideia aqui é pensar em possibilidades de enfrentamento para as questões aqui representadas, que em menor ou maior grau podem ser semelhantes com alguma das histórias vivenciadas por você. Essas histórias não são uma representação literal de histórias reais e sim textos fictícios.

O Dr. Alexandre é formado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como psicólogo clínico no Espaço Recontar na região de São José / SC. Fundamenta seu trabalho pelos princípios da Psicologia Sistêmica. Compreender os fenômenos psicológicos sistemicamente significa, literalmente, “colocá-los” dentro de seu contexto, estabelecendo a natureza das suas relações.

Você pode fazer perguntas e sugerir temas que nosso psicólogo responderá com todo prazer.
Bem, vamos ao tema de hoje:


Fico incomodado pela homofobia que sofre o meu melhor amigo que é Hétero       
Alexandre de Souza Amorim, Psicólogo
alexandresouza.psicologo@gmail.com

 

Eu e o Alan somos amigos de infância. Passamos por muita coisa juntos, descobertas, amores, confusões, brigas, problemas e perdas familiares e sempre estávamos lá para dar suporte um para o outro. Nada mudou depois que assumi minha homossexualidade para ele. Na verdade, mudou sim, ficou muito melhor. Ficamos muito mais próximos. Bom, mas ultimamente nem tudo tem sido 100%. Alguns familiares meus e dele começaram a fazer piadas sobre a nossa amizade. E alguns “amigos” começaram a se afastar dele. Fico muito incomodado com isso e apesar dele não me culpar, percebo ele mais triste e pensativo. Ele fala que nada nem ninguém nunca irá nos separar, mas sei que esta sendo muito difícil para ele lidar com toda essa homofobia (é isso mesmo?) e fico me questionando se uma amizade entre um homem gay e um homem hétero pode dar certo.
Renan, 18 anos



Olá Renan. Já falamos aqui algumas vezes sobre as normas que regem nossa sociedade. Que entre tantas coisas espera e exige que seus sujeitos sejam heterossexuais. Explicando de maneira simples: A heterossexualidade passa a ser uma exigência para todos os corpos, e os que não se adéquam a ela são literalmente excluídos e indesejados, passam a ser considerados por muitos como menos que humanos, sendo relegados a uma vida (que não é considera vida) cheia de restrições.

As exigências impostas pelo sistema sexo-gênero-desejo heteronormativo são muitas, e prescrevem uma série de comportamentos, como por exemplo, que o homem tem que ser másculo e viril e, a mulher tem que ser delicada e feminina (As prescrições vão muito além, mas esse foi apenas um exemplo).

Entre as muitas definições que temos, podemos simplificar e dizer que o que chamamos de homofobia (lesbofobia, transfobia, etc) é uma resposta social, produzida por uma série de normas que hierarquizam sujeitos. Essa normatização dos corpos e dos comportamentos nos separa, nos hierarquiza e mantém a dominação simbólica de um grupo sobre o outro. Essas respostas são expressas tanto na esfera individual como na coletiva, e possuem um grande número de manifestações.

Mas ao contrário do que muitos pensam, a homofobia (lesbofobia, transfobia, etc) não atingem só os sujeitos que pertencem a comunidade LGBT. Ela atinge a tod@s de maneira direta ou indireta, pois, quando a vítima é LGBT seus familiares e amigos são violentados indiretamente, pois compartilham a dor e o sofrimento. A maneira direta é quando acontece o que está acontecendo com o Alan, que mesmo não sendo gay sofre violência homofóbica direcionada a ele.

Muitas vezes, as amizades passam por adversidades complexas como essa, como outras que vocês já enfrentaram antes. E como venceram? Permanecendo juntos, guiando um ao outro, por um caminho que sempre irá causar estranhamento em alguém. São essas complicações que nos fazem reconhecer os amigos verdadeiros. Se um é hétero e o outro é gay, isso não faz a menor diferença, e não é condição para dar ou não dar certo. Falo como profissional e como pessoa, por que o meu melhor amigo também é hétero.

Lute por isso. Esteja lá para o seu amigo. Deixa a porta aberta para ele conversar sobre as dificuldades dele, mas respeite também o silêncio. Às vezes basta ficarem juntos e esperar a tempestade passar.

           


Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. Cara. Eu tenho amigo de tudo o que é tipo: gays, como eu, heteros, bi, lesbicas, travestis e nenhum deles tem esse tipo de problema com os outros círculos deles. Inclusive tenho muito amigo heterossexual que "deixou" de ser homofóbico pela convivência comigo. Não creio que o problema seja a amizade entre você e o seu hétero e sim entre ele e as outas amizades dele. Se não são capazes de entender o que é essa amizade e se distanciam dele, é o melhor que fazem, para ele. Certamente, ficarão no círculo dele somente os que realmente valem a pena e são amigos de verdade, independente de rótulo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...