Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

A história por trás da bandeira arco-íris, símbolo do orgulho LGBT.


A bandeira original tinha as seguintes cores. Tempos depois, a bandeira foi reduzida a seis cores, sem o rosa e o anil. O azul também acabaria por substituir o turquesa.

Criador do estandarte, designer Gilbert Baker morreu nos Estados Unidos aos 65 anos.

O criador de um dos principais símbolos do movimento LGBT – a bandeira arco-íris – morreu aos 65 anos em sua casa em Nova York, nos Estados Unidos, informou a imprensa americana.

Gilbert Baker morreu enquanto dormia. As causas da morte ainda não foram divulgadas.

Mas qual é a história por trás de sua maior criação? E como a bandeira arco-íris se tornou um símbolo do movimento LGBT?

Baker criou o estandarte, originalmente com oito cores, em 1978, para o 'Dia de Liberdade Gay de San Francisco', na Califórnia (Estados Unidos).

A data é considerada precursora da parada de Orgulho LGBT moderna.

A bandeira original tinha as seguintes cores, cada uma representando um aspecto diferente da humanidade:

Rosa - sexualidade
Vermelho - vida
Laranja - cura
Amarelo - luz do sol
Verde - natureza
Turquesa - mágica/arte
Anil - harmonia/serenidade
Violeta - espírito humano
Naquela ocasião, 30 voluntários ajudaram Baker a pintar a mão as duas primeiras bandeiras arco-íris. Elas foram hasteadas para secar no último andar de galeria de um centro da comunidade LGBT em San Francisco.

Sujos de tinta, eles tiveram de esperar até a noite para lavar suas próprias roupas - já que não podiam lavá-las em lavanderias públicas.

Tempos depois, a bandeira foi reduzida a seis cores, sem o rosa e o anil. O azul também acabaria por substituir o turquesa.

Falando sobre sua criação, Baker disse que queria transmitir a ideia de diversidade e inclusão, usando "algo da natureza para representar que nossa sexualidade é um direito humano".

Em 2015, o Museu de Arte Moderna de Nova York, o MoMa, adquiriu a bandeira para a sua coleção de obras, chamando-a de "poderoso marco histórico do design".

"Decidi que tínhamos de ter uma bandeira, que uma bandeira nos encaixasse em um símbolo, o de que somos pessoas, um tribo", disse Baker ao museu em uma entrevista.

"E as bandeiras são sobre proclamar poder, então é muito apropriado", acrescentou na ocasião.

PERGUNTAS & RESPOSTAS


Heeeeeelp: Eu tenho um bloGAY, e agora???


Resultado de imagem para IMAGEM:COMPUTADOR


Que dicas vocês dão para os BloGAYros iniciantes?

~*~

Ser blogueiro não é fácil, ainda mais quando se bloga por amor e não visando ganhos financeiros ou pessoais. Pouquíssimos blogs fazem realmente sucesso na blogosfera, e desses poucos tem ganhos interessantes para ser sua única fonte de renda.

Aprendi muita coisa tentando e estudando.

Dicas:

– Conhecer o universo gay. Gostar de escrever.
Não adianta saber o que rola no Universo Gay se você não curte escrever, ou se escreve com milhares de erros de português. Leitor é crítico, e as vezes pode ser muito contundente sobre esses erros.

– Expor seu ponto de vista sobre os assuntos.
Blogueiro não é jornalista, portanto dar sua opinião verdadeira sobre os assuntos é primordial para criar um vínculo com seu leitor

– Ter uma boa equipe.
Manter um blog sozinho e´muito complicado. Junte-se com amigos, converse sobre o assunto e veja se algum deles toparia te ajudar. Lembre-se: Eles te ajudam, portanto não fique cobrando muito se uma vez ou outra eles não puderem escrever.

– Ler muito sobre como escrever textos para internet.
Escrever para internet é diferente de escrever para um jornal. Faça texto breves, mas com informações objetivas. Dificilmente um leitor leria um post quilométrico.

– Seja diferente.
 Não adianta ter tudo que acabei de falar, se você faz tudo igual a outras pessoas. Buscar um diferencial é primordial pra conseguir um público fiel.

– Seja perseverante.
Ter não é fácil por ‘N’ fatores. As vezes você se chateia, perde um pouco o tesão mas tem que confiar que as coisas vão melhorar. Se você pensa em ganhar dinheiro com blog, a coisa complica ainda mais. Poucas agências olham para blogs que não sejam do mainstream [fato]. Se você tem um blogay a coisa piora ainda mais, porque poucas pessoas sabem o quanto nós somos consumidores e gastamos 30% mais que os heteros.

Problemas voce vai encontrar  com alguns visitantes: Eu por exemplo, deparei com um comentario na qual me acusava de pedofilia por ter postado imagens de jovens vestidos em  sugas em poses sensuais.e que me denunciaria na PF. Respondi-lhe que ficasse a vontade, pois as fotos, eram de uma agencia publicitaria e os ``jovens`` eram todos maiores de idade . Assim, repostei as fotos com o logotipo da agencia de modelos. Nao sabe ele , que eu tambem posso denuncia-lo por difamaçao e calunia mais o agravante de constragimento. Por  isso e´ muito importante o que voce vai dizer nos comentarios.

E, para nao prolongar mais, uma ultima em que abri um post de `fotos de visitantes``. A principio, os comentarios eram horrorosos de constrangimento e humilhaçao do expoente. Coloquei um anunciado para que nao houvesse tais comentarios, por que isso tambem pode dar em processo por parte do requerente.e , com o apoio de nossos visitantes em sua grande maioria de boa indole, cessaram.

Outro foi o acesso de menores no nosso blog de conteudo adulto. Isso nem o governo pode impedir, pois e´ impossivel o acesso de qualquer ser que seja. Para tanto, existe um alerta na entrada do blog sobre o conteudo do blog e que a responsabilidade fica a cargo de quem entra.

Boa Sorte!!!

~*~

F#$%-se o mundo! Pensem o que quiserem de mim.



Por que nos importamos tanto com o que os outros pensam sobre nós? E por que temos tanta aversão a tudo que é diferente?”

Anônimo por Formspring.

~*~

Basicamente, nos importamos com o que pensam de nós por um instinto de proteção. Ninguém gosta de fazer papel de bobo ou de ser o alvo das atenções, negativamente. O certo seria vivermos cada um na sua, sem ligar para os outros. Mas como vivemos em sociedade, algumas (muitas) regras de convívio foram criadas para “o bem de todos”. E quando algo acontece fora desse padrão estabelecido, é apontado como bizarro ou errado. O que torna a coisa passível de repreensão… Geralmente, quando somos repreendidos, ficamos tensos e procuramos não cometer os mesmos “erros” novamente.

Eu acho que essa “aversão” ao que é diferente vem dessas normas estabelecidas em sociedade pelo ser humano. Tudo que foge à regra causa desconforto. Por exemplo, se você andar de sunga nas ruas aqui em Sampa, vão achar que você é doidão. Capaz da polícia até te prender. Agora, se você fizer a mesma coisa no Rio de Janeiro, perto da praia, é normal.

Essa aversão é pura rejeição. A gente rejeita o que não entende. Mas, depois que passamos a entender a coisa antes “bizarra” começa a fazer parte do nosso dia a dia e não causa estranhamento…

Sobre a homossexualidade, as pessoas têm aversão aos gays por não entenderem e acharem que é errado, seja por conta do que a Igreja diz ou do que os pais/vizinhos/amigos pensam sobre isso. Pode ver que as pessoas sem preconceitos nos aceitam porque nos veem como seres humanos, não como um homem que transa com outro homem.

Beijos.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...