Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Homem é apedrejado em festa por dançar de um jeito “muito bicha”.

Resultado de imagem para Homem é apedrejado em festa por dançar de um jeito “muito bicha”

 
O americano Adrian Brown estava de férias pelas Bahamas e foi atacado com pedras e garrafas de vidro por dançar de um jeito “muito bicha”. O rapaz estava curtindo o festival de música local Junkanoo quando foi agredido por dois homens.

No momento do ataque, não havia nenhuma autoridade policial por perto. Mais tarde, a polícia de Nassau alegou que não teve conhecimento da agressão e que ninguém solicitou ajuda.
Alexus D’Marco, presidente da Transgender Intersex United, ressaltou que o caso preocupa, principalmente porque as Bahamas recebe muitos turistas LGBTs anualmente.
 
“Recebemos muitos turistas LGBT e isso não pode acontecer e nem ficar por isso aqui em Bahamas”, afirmou a presidente.
 
Pessoas próximas a Adrian o socorreram e levaram-no ao hospital. Em decorrência da agressão, a vítima teve cortes no rosto e em outras partes do corpo. Um dos criminosos conseguiu escapar e o segundo foi preso. A polícia continua investigando o caso.
 

Torcida do Paysandu bane cantos homofóbicos e leva bandeira LGBT ao estádio.

 
 
 
A torcida Banda Alma Celeste, do Paysandu, deicidiu banir das arquibancadas um canto que já era tradicional e chamava o mascote Leão, do rival Remo de “gay”. O encontro entre as duas equipes tradicionais do futebol paraense é um dos maiores clássicos do futebol brasileiro.

“Erramos durante vários anos, propagando cantos homofóbicos disfarçados de rivalidade”, admitiu a torcida, em seu pedido de desculpas. “Em decisão tomada em uma das nossas reuniões mensais, viemos comunicar que músicas e manifestações de cunho racial/homofóbico estão extintas do nosso repertório, entre elas a famosa música que chama o mascote do rival de gay.”
 
O Governo do Pará, que patrocinou o Campeonato Paraense, propôs que na final do torneio, há alguns dias, os jogadores entrassem em campo com camisetas pedindo respeito à diversidade.
Três dias depois, quando o Paysandu enfrentou o Santos pela Copa do Brasil, a torcida também estendeu a bandeira do arco-íris, símbolo LGBT, na arquibancada.
 
Rivais reagem com provocação e apoio.
 
O Paysandu apoiou a ação da torcida. E, enquanto alguns torcedores rivais usaram a bandeira do arco-íris para alimentar suas provocações, outros apoiaram a atitude.
 
“É uma atitude louvável deles e você não percebe nada parecido no nosso lado”, disse o fotógrafo Salim Wariss, que vai a jogos do Remo há 27 anos.
 
“Muitos torcedores se revoltam porque a nossa torcida não tem nenhuma ação mais concreta de combate ao preconceito, nada de forma institucionalizada.”
 
Procurada, a Camisa 33, uma das barra bravas do Remo, disse que foi também convidada a estender a bandeira do arco-íris, mas temeu que a ação pudesse causar conflitos e decidiu só aceitar o convite se todas as outras torcidas também o fizerem.
 

Parada LGBT de São Paulo anuncia defesa do estado laico como tema.


Transexual Viviany Beleboni usou uma fantasia 2016 em protesto contra a bancada evangélica e a Justiça.


Desfile ocorrerá na Avenida Paulista em 18 de junho. Anúncio ocorre no dia internacional do combate à LGBTfobia.

A organização da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, a maior do país e uma das maiores do mundo, anunciou nesta quarta-feira (17), dia internacional de luta contra à LGBTfobia, que este ano, no dia 18 de junho, terá como tema: "Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei. Todos e todas por um estado laico".

Como nos anos anteriores, a Parada LGBT de São Paulo ocorrerá na Avenida Paulista, região central da capital. A organização ainda não anunciou quais serão as atrações e nem quantos trios elétricos animarão a manifestação nesta edição.

Participaram de entrevista coletiva nesta quarta-feira para anunciar o tema da Parada a presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, Claudia Regina, o secretário de Justiça do estado de São Paulo, Márcio Rosa, e a drag queen Tchaka Rainha.

"A religião é uma questão de foro íntimo. Cada religião é um caminho e ele não pode ser imposto a toda uma sociedade. Cada caminho, cada religião, centro e templo têm suas pessoas com suas afinidade e não pode impor regras e comportamentos a todos. Tudo o que diz respeito ao público e a toda a sociedade deve ter uma postura de laicidade e não deve contemplar religiões”, disse Claudia Regina.

A drag Tchaka também falou em defesa do tema do evento deste ano. "É urgente o tema. Ele precisa ser debatido, conversado e resolvido ao longo do tempo. O crescimento da Parada tem sido sistemático. E ela é uma ferramenta de debate na sociedade."

Também foi anunciado nesta quarta-feira (17) o apoio ao evento da empresa de aplicativo de transporte individual Uber e da marca de cerveja Skol, que deverão promover ações com o durante o mês do orgulho LGBT e no dia da Parada.

A data desta quarta-feira, 17 de maio, foi escolhido como dia internacional do combate à LGBTfobia por ter sido o dia que, em 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) excluiu a homossexualidade da classificação de doenças, ou problemas relacionados à saúde.

Rapaz gay é atacado com ácido e pode perder a visão em Curitiba.




Um ataque homofóbico brutal está sendo investigado pelo setor de Vulneráveis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil de Curitiba. No último domingo, Cleverson, um homossexual de 40 anos, vendedor autônomo, foi alvo de um suposto assalto em que acabou banhado com uma substância que o levou a ser internado em seguida com queimaduras por todo o tórax. O rapaz está internado no Hospital Evangélico, com queimaduras de segundo e terceiro graus, e corre risco de perder a visão de um dos olhos.

Ele mora no centro e havia saído para comprar um lanche no Mc Donalds e retornava para casa quando foi abordado na rua Alberto Bolliger, no Alto da Rua XV, próximo ao estádio Couto Pereira por volta das 19h30. O agressor teria anunciado assalto, chamado a vítima de “viado” e jogado a substância ácida. O agressor evadiu do local sem levar nenhum pertence. Um casal que passava pelo local chamou ajuda e a polícia.
 
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...