Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

História de amor e música: Noivas se preparam para casar no Rock in Rio.

 
As noivas Cecí e Marina estão se preparando para casar no Rock in Rio
 
 
As noivas Cecí e Marina se conheceram em 2016 e se apaixonaram; agora elas estão se preparando para se casar em frente ao público do Rock in Rio

Maria Cecilia Romera, 29 anos, e Marina de Assis, 24 anos, estão vivendo uma linda história de amor. Juntas há um ano, as duas deram mais um passo no relacionamento e agora estão noivas. Mas o casamento delas não será feito em uma cerimônia comum, já que elas vão trocar as alianças em um dos maiores festivais de música do mundo: o Rock in Rio .

As noivas Cecí e Marina se conheceram em 2016 e se apaixonaram; agora elas estão se preparando para se casar em frente ao público do Rock in Rio

Maria Cecilia Romera, 29 anos, e Marina de Assis, 24 anos, estão vivendo uma linda história de amor. Juntas há um ano, as duas deram mais um passo no relacionamento e agora estão noivas. Mas o casamento delas não será feito em uma cerimônia comum, já que elas vão trocar as alianças em um dos maiores festivais de música do mundo: o Rock in Rio .
 
 
As noivas Cecí e Marina estão se preparando para casar no Rock in Rio
 
 
As noivas Maria Cecília, apelidada de Cecí, e Marina se conheceram em fevereiro de 2016, enquanto trabalhavam em uma ONG que as duas atuam como voluntárias. Logo, elas se aproximaram e viraram grandes amigas, mas foram percebendo que havia mais sentimento do que apenas amizade por ali. “Eu andava dando umas investidas nela e ela até aceitava”, relata Cecí. “Mas quando a coisa ficou mais intensa, ela me deu um fora dizendo que não queria estragar nossa amizade e que ficar com amigos sempre estragava tudo”.

Então, Cecí começou a tratar Marina apenas como amiga para ela sentir a diferença, mas, dois dias depois, Marina disse a ela que não queria fugir de mais nada. “Estávamos em um bar e, antes de ir embora, fui ao banheiro. Quando saí de lá, ela estava subindo as escadas na minha direção e me deu um beijo”, conta Cecí. Então, elas começaram um relacionamento que sabiam que era diferente de todos os que elas já haviam tido.

Ao contrário de Cecí, que já era assumida para todos, Marina ainda não havia contado sobre sua sexualidade para as outras pessoas. “Na família da Marina foi muito difícil no começo porque ela nunca tinha se relacionado com mulheres”, afirma Cecí. “Mas eles nos surpreenderam positivamente e estão aceitando bem e participando mais da nossa vida agora”.

O relacionamento das duas teve uma grande mudança em um viagem que elas fizeram no começo de 2017. O local escolhido para elas curtirem juntas foi o Rio de Janeiro, a cidade favorita de Cecí.

“A gente tinha acabado de voltar da praia e eu fiquei esperando ela na cama do hotel. Deitamos por um tempo para descansar para depois ir curtir a noite”, diz Cecí.  Neste momento, Marina falou como tudo estava maravilhoso e que só faltava ela ser pedida em casamento. “Então eu tirei a caixa do bolso e a pedi em casamento ao som de 'Thank You For Love Me', do Bon Jovi”, conta Cecí.

Casamento no Rock in Rio.

Elas tinham certeza que não queriam um casamento tradicional, mas não sabiam bem como fazer isso. Então, em abril, elas ficaram sabendo da promoção para se casar durante o Rock in Rio e decidiram se inscrever, sem grandes expectativas de serem as ganhadoras. Na primeira fase do concurso era necessário enviar uma carta contando sobre a história de amor de casal e porque eles mereciam casar durante o festival.

Nesta carta, Cecí dizia que essa era a história que ela mais gostava de contar. “Não só por ser a minha história, mas por saber que ela também pode transformar quem a escutar”, escreveu ela. “Somos um casal como tantos outros, mas não nos resta dúvidas de que o mundo é muito melhor com o nosso amor nele, mesmo que esse mundo seja só o nosso nesse momento”.

Para elas, casar no Rock in Rio não era apenas um ato de união entre duas pessoas em um festival tão grandioso. “Além de uma incrível história para contar para nossos filhos e netos, queremos contar essa história para tantas outras pessoas, em um espaço de diversidade, respeito, fazendo com que o nosso felizes para sempre, seja um capítulo nas páginas que o Rock in Rio escreve para um mundo melhor. Entre tantos sonhos que temos, esse se tornou o maior deles. Nós estamos prontas pra dizer 'sim'”, finalizou Cecí na carta.

Mesmo com cerca de 1300 casais inscritos, a história das duas se destacou entre todas as demais e elas fizeram parte dos 100 selecionados para a segunda etapa da promoção. Então, todos os casais tinham que tinham que mandar um vídeo se apresentando e contando mais sobre o amor deles. E mais uma vez elas passaram de etapa.

Detalhes da cerimônia.

As duas terão a presença da família na cerimônia, que será realizada no dia 15 de setembro, dia da abertura do festival. Entre os parentes, os irmãos das noivas são os mais empolgados com o casamento. “A irmã da Marina tem apenas seis anos. Isso é o que faz a gente ver que crianças são livres de preconceito”, conta Cecí.

Mesmo o casamento sendo só daqui dois meses, as noivas estão na expectativa para a chegada do dia especial. “Estou ansiosa para que chegue logo, mas com um certo medo de eu ficar muito emocionada”, afirma Cecí. ”A ideia de ficarmos em camarins diferentes para nos arrumarmos me apavora porque somos muito grudadas, mas é necessário”.
 

Foto de garoto trans chorando por causa de lei anti-LGBT viraliza na internet.

 
Garoto trans Max é consolado pela mãe em protesto contra lei anti-lgbt, no Texas
 
 
Uma foto de um garoto transgênero chorando no chão da sede do governo do Texas, nos Estados Unidos, comoveu e viralizou nas redes sociais, nesta terça-feira (25). Nela, o pequeno Max de nove anos aparece sendo consolado pela mãe, que publicou a imagem na internet, tirada durante um dos protestos que ocorreram no estado contra o projeto de lei que obriga pessoas trans a utilizarem o banheiro a partir do sexo biológico na qual foram designados no nascimento, e não com o que se identificam.

A proposta tramita em caráter de urgência no Legislativo local, e tem o apoio do governador Greg Abbott, e também do presidente Donald Trump. Amber Briggle, mãe de Max, publicou um desabafo nas redes sobre a situação. “Esse é o meu filho transgênero aos prantos na sede do governo do Texas. Tenho que admitir que estou cansada de proteger o meu filho dos bullies de Austin [a capital do Estado]. Isso é triste demais. Ele merece um verão tranquilo com os amigos e não ficar se preocupando com o empurra-empurra político do Legislativo texano. Não é justo. Estou muito brava”, escreveu ela no post.



Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...