Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Em Berlim, parada anual do orgulho LGBT leva milhares às ruas.

 

 
 
BERLIM - Durante o desfile do orgulho LGBT de Berlim, neste sábado, 22, milhares de pessoas foram às ruas para celebrar a lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, votada em junho no país. Na 39ª edição do "Christopher Street Day" em defesa dos direitos de gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros, o tema principal foi a luta contra a extrema direita. 

Participantes da 39ª edição do Christopher Street Day comemoram lei que permite casamento entre pessoas do mesmo sexo, aprovada recentemente na Alemanha.

Aprovado pelo Parlamento alemão, o texto que permite o casamento gay foi promulgado nesta sexta-feira, 21, pelo presidente da Alemanha, Frank Walter Steinmeier, e deve entrar em vigor a partir de outubro. A votação histórica coloca a Alemanha ao lado de outros países europeus como França, Grã-Bretanha e Espanha.

"O casamento gay é um passo na direção certa, mas ainda há muito a ser feito", disse Samuel Monars-Bellmont, um dos participantes da parada.


Justiça da Índia estuda descriminalizar a homossexualidade.

 
 
 
A Índia caminha para a descriminalização da homossexualidade no país. Ilegal no país desde 1860, quando era colônia britânica, o governo parece querer liberar o que já foi legal por lá entre 2009 e 2013.

Nove juízes da Suprema Corte de Nova Délhi, capital indiana, avaliam se o direito à privacidade pode ser definido como direito fundamental, o que é contrário no Código Penal do país.

Agora, o Supremo reavalia o que foi decidido há quatro anos, permitindo que a comunidade LGBT indiana não mais se esconda no país.
 

Governo do Hati vota medidas e encurrala comunidade LGBT.

 
 
 
 
 O Haiti vem vindo na contramão no mundo e nesta semana, o Senado do país aprovou resolução que impede membros da comunidade LGBT de obter documentos no país.

E não só isso: o parlamento está debatendo lei que proíbe e criminaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A situação, denunciada por ativistas da comunidade LGBTI em Porto Príncipe, ainda deixa explícito que um senador do país atribuiu os homossexuais a responsabilidade de “todo o mal” que por lá ocorre.

Presidente da Kouraj, única organização de defesa dos direitos LGBTI no Haiti, Charlot Jeudy relatou a denúncia que o grupo vem sofrendo. “Há senadores que abertamente expressam sua homofobia, o que representa um claro ataque contra nós. Toda a comunidade no Haiti está preocupada pelos últimos ataques. A proposta de proibir o casamento de pessoas do mesmo sexo é tempo perdido, já que a lei não reconhece esse tipo de união. Agora o que eles querem fazer é criminalizá-la”, relatou.

Nos últimos anos, líderes políticos e religiosos do Haiti organizaram diversos protestos contra a comunidade LGBTI e a própria Kouraj sofreu ameaças para deixar de funcionar abertamente.

 Igreja evangélica compara casais homoafetivos com pirataria, fala em 'safadeza' e gera revolta na internet.

 
 
 
Igreja de São Carlos é acusada de publicação homofóbica
 
 
Post de comunidade cristã dizia "Deus fez a família original, diga não à pirataria" e foi removido de rede social após denúncias.

Uma publicação feita por uma igreja evangélica de São Carlos (SP) em uma rede social causou revolta em internautas. A imagem postada continha desenhos de uma família composta por um casal heterossexual e de um casal homoafetivo com os dizeres “Deus fez a família original, diga não à pirataria”. Após denúncias, o post foi removido pelo Facebook.

Os internautas iniciaram uma série de questionamentos e debates nos comentários da publicação, alegando que a igreja fazia postagens homofóbicas. Também fizeram uma “campanha” para que as pessoas denunciassem a página por intolerância à gerência da rede social.
 
 
Imagem usada por igreja evangélica causou revolta em internautas
 
 
Após a polêmica, a Igreja Projeto de Deus fez outra publicação afirmando que "estão acostumados com os ataques justamente daqueles que dizem sofrer por serem oprimidos" e publicou uma carta aberta afirmando que não possui nada contra os homossexuais.

O texto diz que "a sociedade laica pode escolher não temer a Deus, mas a Igreja como instituição privada escolhe seguir os ensinamentos bíblicos. Quem quiser fazer parte da Igreja Projeto de Deus deve seguir o CREDO da igreja. É apenas uma questão de escolha". Por telefone, o pastor Jean Calegário, responsável pela página e pela comunidade cristã, disse ao G1 que não iria comentar o caso com a imprensa.
Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...