Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR


Brothagem
(Final)



Fala Brothers sou o Binho e estou de volta para contar a segunda parte do conto, segura ai!




 

Depois da dancinha safada que filmamos entre Dinho e eu a coisa pegou ainda mais e ficou mais quente que o sol lá fora.

Eu estava sentado com as pernas flexionadas e abertas no sofá assistindo o vídeo que tínhamos acabado de gravar e então comentei que no vídeo parecia que ele estava me comendo. Então Dinho pegou no meu pau e começou a safadeza. Claro que, para manter a postura de macho, tirei a mão dele do meu pau. Ele então decidiu ir embora, mas o tesão falou mais auto e decidi entrar na putaria colocando a mão dele no meu pau de volta. Meu amigo então enfiou a mão dentro de minha bermuda pegando em meu pau duro.
 

_ Eita macho tu tá puto hoje hem?
Disse para meu amigo.
_ Você ainda não viu nada!
 

Disse Dinho ficando de joelhos entre minhas pernas tirando meu pau para fora e enfiando ele todinho dentro da boca.
_ Puta que pariu cara que boca é essa!
Disse eu puxando seus cabelos.
_ A boca do teu puto! Curtiu?
 


 

Disse ele tirando meu pau da boca e depois lambendo meu saco pentelhudo.
_ Delicia man!

Dinho levantou mais minhas pernas deixando minha bunda exposta para ele, cuspiu no meu cu e enfiou um dedo dentro dele. Antes que eu contestasse, ele colocou meu pau em sua boca me masturbando com ela, me proporcionando um prazer nunca antes sentido por mim. Era sua boca quente e molhada no meu pau e seu dedo entrando e saindo do meu cu. Não resisti e passei a gemer.
_ Isso geme, geme putinho safado! Tá gostando tá?
_ Tô! Chupa! Chupa teu macho vai!
_ Chupo seu puto safado!
_ Isso mama gostoso meu cacete!

Dinho mamou meu pau que pulsava super duro em sua boca. Nunca tinha sentido ele tão duro como estava naquela hora. Não consegui aguentar por muito mais tempo e acabei gozando na boca de Dinho, chegando a escorrer porra do lado dos teus lábios. O moleque veio e me deu um beijo me fazendo sentir o gosto da minha própria porra.
_ Agora é a sua vez!

Disse ele já descendo o calção exibindo seu cacete de 14 cm duro feito rocha, e um delicioso saco, assim como o meu, cheio de pentelhos negros. Como eu estava sentado no sofá e ele em pé o puxei e ele sentou nas minhas pernas. Eu mamei aqueles mamilos durinhos dele. Sempre tive tara naqueles mamilos pontudinhos da cor de chocolate. Depois levantei do sofá e ele deitou, coloquei a sua perna no chão e sentei no sofá. Peguei em seu cacete e comecei a mamar como ele tinha feito em mim, chupando o cacete e lambendo o saco.


Passei alguns minutos fazendo isso. Depois ajudei ele a colocar a bunda em cima do braço do sofá, levantei suas pernas e coloquei as duas em meu ombro. Fiz como ele tinha feito comigo, cuspi em seu cu enfiei meu dedo naquele buraco quentinho enquanto chupava seu cacete, que soltava aquela babinha salgadinha em minha boca.
_ Delicia de bocaaaa!
Disse ele gritando.
_ Alcancei o controle e aumentei o som e disse “agora pode gemer gostoso seu puto que ninguém vai ouvir!”
_ Quero gemer sentindo seu cacete dentro de mim!
Disse ele com a maior cara de puto.
_ Tem certeza brother?
Questionei Dinho.
_ Claro, você não quer?
_ Fodasse!

Disse eu que já estava de pau duro novamente. Cuspi em meu pau, aproveitei um pouco daquela babinha que saia do pau de Dinho, lubrifiquei bem meu cacete e encostei bem nu cuzinho do meu amigo, que piscava. Foi lentamente engolindo meu pau enquanto eu forçava vendo meu cacete entrando na sua gruta apertada e quente. Nossa que delicia sentir o calor do meu amigo aquecendo meu pau!

 

Dinho gemia, apertava os olhos e os lábios. Segurei suas pernas em meus ombros e comecei a movimentar meu quadril.
_ Haaaaa isso mete!
_ Ta doendo?
_ Um pouco, mas soca que esta gostoso sentir sua pica no meu cu, soca porra!

Acelerei o movimento e Dinho gemia alto enquanto o som abafava seus gritos e gemidos de prazer. Eu também gemia e ambos suávamos no calor que estava na sala, tanto do sol quanto do contado dos nossos corpos.

Dinho pediu para mudar de posição, mas como uma de suas pernas era mecânica e ele não queria tirar. Não deu para ele ficar de quatro ajoelhado então ele teve a ideia de ficar de joelho com a perna verdadeira no sofá e a outra apoiada no chão e deu certinho. Segurei em sua cintura ele empinou a bunda e eu meti gostoso até gozar e depois foi a sua vez.

Resolvi fazer lá no meu quarto. Colocamos alguns travesseiros para levantar um pouco minha bunda de modo que Dinho ficasse com sua perna normal flexionada na cama e a mecânica apoiada no chão. Eu fiquei de barriga para cima, enquanto ele segurava minhas pernas, deixando meu cu arreganhado para meu amigo socar aqueles 14 centímetros em meu cu.

 

Delicia ver Dinho mordendo os lábios, suando e socando em meu rabo. Meu amigo pediu para mudarmos de posição, então fiquei de quatro na cama e ele com as duas pernas no chão socava depois de algum tempo assim ele disse que queria de uma forma que sempre sonhou em me comer.
_ Como assim?
_ Cara já tem anos que sonho em socar nessa sua bunda e queria ver ela engolindo meu cacete com você sentando nele, pode ser?
_ Vamos tentar, já estou todo fudido mesmo!

Dinho deitou em minha cama e eu fui sentando em seu cacete, ele segurando meu quadril e eu subindo e descendo ouvindo ele gemer.
_ Haaaa que delicia! Que cu gostoso cara!

Eu sentava e me masturbava com uma mão até que não aguentei mais e gozei, minhas pernas bambearam eu sentei engolindo todo o cacete de Dinho. Ele gemeu auto e gozou em meu cu. Eu sentia seu pau pulsando e soltando os jatos de porra quente lá dentro de mim.



Quando me levantei pude sentir sua porra escorrendo em minhas pernas. Fui para o banheiro e logo Dinho veio atrás. Tomamos banho juntos, nos beijamos muito durante o banho.

Esta história acaba por aqui, mas se curtiram comentem que tenho várias outras histórias entre Dinho e eu, pois depois disso passamos a foder direto.


Autor: Mrpr2

Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...