Slide 1 Slide 2 Slide 3

LITERATURA GAY






Sou Homem e Amo Outro Homem
Susane mãe de Marcelo fazia uma consulta por exigência médica do seu clínico geral com especialista em doenças cardíacas sendo ela acompanhada por seu único filho Marcelo. Jovem em seus 21 anos, dono de uma beleza e sensualidade masculina dando inveja a muitos. Marcelo cursava engenharia e por vezes fora motivo de olhares desejosos por colegas homossexuais da faculdade que freqüentava. Considerava que ele não era melhor que ninguém, por isso não os desprezava mesmo com as tentativas de conquistas sobre ele que sorria sem repreensões verbais…

 

O Homem Casado
Austin Smith é um professor norte-americano especializado em artes que vive em Paris. Beirando os cinquenta anos, desiludido com o amor e conformado com seu destino solitário, um dia encontra Julien: francês, arquiteto, muito mais jovem — e casado. Contra qualquer expectativa, o contato casual entre eles evolui para um relacionamento de intensidade incomum. No princípio, as dificuldades que enfrentam se resumem às cômicas — e superáveis — diferenças culturais, de idade e de temperamento. Com o tempo, no entanto, o passado de ambos começa a cobrar seu preço, e o leitor é transportado a um desconhecido território emocional, de desespero contido, no qual os protagonistas empreendem uma luta obstinada contra uma doença implacável. O homem casado mostra Edmund White — autor refinado, que traduz sentimentos com a palavra exata—em sua melhor forma. Os cenários mudam — Austin e Julien ora estão na Europa, ora na América, ora na África —, e o leitor é sempre ambientado com uma descrição precisa e original de cada lugar, mas é no comportamento, nos impulsos, no interior dos personagens que se desenrola uma história de amor encantadora e ao mesmo tempo trágica.



Eles Perguntam, Ele Responde
Por diversas vezes eu ouvi dizerem que o gay é um ser promíscuo, só pensa em sexo e trai quase sempre. O pior de tudo é que quem dizia tais afirmações eram os próprios gays, classificando sua realidade como "mundinho". Não que eu pensasse diferente, mas seria injustiça apenas nomear os homossexuais como promíscuos, embora eu também não
pudesse afirmar que heterossexuais exibiam o mesmo comportamento. Diante disso, comecei a observar o comportamento dos meninos independente de sua sexualidade. Reparei que não haviam tantas diferenças assim, e que em muitas vezes a forma de pensar era similar, ou até mesmo igual, diferenciando apenas do interesse por meninos no caso dos gays e por meninas no caso dos heteros…



O Bom Criolo
…Herculano foi surpreendido, por outro marinheiro, a praticar uma ação feia e deprimente do caráter humano. Tinham-no encontrado sozinho, junto à amurada, em pé, a mexer com o braço numa posição torpe, cometendo, contra si próprio, o mais vergonhoso dos atentados. O outro, um mulatinho esperto. que tinha o hábito de andar espiando, à noite, o que faziam os companheiros, precipitou-se a chamar o SantAna, e, riscando um fósforo, aproximaram-se ambos para examinar.... No convés brilhava a nódoa de um escarro ainda fresco…

BOA LEITURA !!!

Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...