Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Disneyland Paris rejeita menino que queria participar do "Dia de Princesa".

 

 
Quem nunca ouviu a famosa frase de Walt Disney, "se você pode sonhar, você pode fazer". Lamentavelmente esta premissa foi ao chão, no momento em que a Disney de Paris destruiu o sonho de Noah, 3 anos, de participar do dia de princesa.

O evento conta com sessões de maquiagem, cabeleireiro e figurino, onde as crianças se fantasiam como sua princesa favorita, e a Disney faz de tudo para os pequenos se sentirem realmente como uma princesa.

Mas, na realidade o que aconteceu passou longe de ser um sonho. Logo após a mãe do menino, Hayley McLean-Glass, efetuar a inscrição de seu filho para participar do evento, ela recebeu como resposta: "no momento, não é possível agendar o Dia de Princesa para um menino".

Indignada, Hayley, escreveu uma carta aberta em seu blog, criticando a iniciativa do parque. "Se existe um superfã de Frozen é o Noah. Nós gastamos uma pequena fortuna em produtos da Disney, ele usa o vestido da Elsa (a protagonista da animação) todo dia. Ele inclusive se recusa a tirá-lo para dormir. Noah conhece toda a letra de "Let It Go" e das outras músicas do filme e tenho certeza que ele poderia ir em algum show no parque e ir melhor do que muitas atrizes que fazem a personagem”, escreveu a mãe.

Realmente, a negativa foi uma desilusão para o pequeno Noah, como nitidamente se percebe na publicação da mãe. O menino estava muito empolgado com a oportunidade de participar da atração e vir a realizar seu sonho.

Em comunicado ao jornal britânico The Guardian a Disney explicou que "esse foi um caso isolado, a resposta do funcionário do parque não reflete a política interna da Disneyland Paris”, acrescentando que “nós valorizamos a diversidade e queremos que todos os nossos visitantes tenham a experiência completa em nossos parques. Vamos trabalhar duro para que isso não se repita novamente”.

Realmente será que foi um caso isolado ou único que a mãe teve coragem de vir a público e apresentar sua indignação? O respeito pela diversidade tem que vir de todos, não importa a função e posição. Como haverá real respeito se não são todos que tem isso como premissa? Vamos deixar o preconceito de lado e sermos mais humanos e justos, não importa para quem que seja. O Noah e outras crianças inocentes merecem isso de nós.
 

Homem transgênero comemora gravidez e afirma que vai criar seu filho sem gênero.

 
O homem transgênero está esperando seu primeiro filho
 
 
O transgênero Alex Alvarez está esperando o primeiro filho biológico e afirma que quer dar ao filho a chance de ele escolher ser o que quiser

O homem transgênero Alex Alvarez, de 25 anos, de Los Angeles, está esperando seu primeiro filho biológico, concebido através da doação de esperma de um desconhecido. Junto com duas mulheres, ele planeja criar a criança com o gênero fluído - sem pertencer ao universo masculino ou feminino.

Alex percebeu que era transgênero aos 17 anos e começou a fazer o tratamento hormonal aos 19. "Conheci minha namorada Carla quando eu tinha 20 anos. Ela sempre soube que eu era trans", disse ele ao “The Sun”. A criança será criada por Alex, Carla, e Cole, uma amiga do casal. Apesar de viverem juntos, Alex afirma que os três não estão em um relacionamento.

Ao invés de impor um gênero ao bebê, Alex quer que ele ou ela decida o que quer ser quando crescer. “Nós iremos criar nossa criança com o gênero fluído  até que ele ou ela escolha qual será o gênero”, explica.

A gravidez.

Alex, que não planeja fazer uma cirurgia de readequação de gênero, decidiu gerar uma criança depois que a namorada Carla chegou a engravidar de doadores de esperma, mas sofreu dois abortos espontâneos. Para a felicidade do casal, eles receberam a notícia de que Alex havia engravidado no início de 2017. Como Cole também tinha vontade de ser mãe, o casal decidiu dividir a tarefa com a amiga.

De acordo com Alex, as pessoas ficaram felizes e confusas quando descobriram sobre a gravidez. "Apenas amigos e familiares próximos sabiam durante os primeiros sete meses”, diz ele, que costumava usar roupas largas para disfarçar.  "Eu nem pareço 'grávido'. Eu parei de tomar hormônios por causa do bebê e, mesmo quando eu tomava, eu não tinha muitos pêlos no rosto”.

O homem transgênero está planejando fazer o parto em casa e amamentar a criança. Sobre a chegada do bebê, Alex afirma que está nervoso, mas confiante porque sabe que tem uma ótima rede de apoio. "Espero conseguir criar esse bebê com amor incondicional e dar a ele a chance de escolher quem ele quiser ser”.

Gays se posicionam contra casamento homoafetivo e são duramente criticados.

 
Ben Rogers e Mark Poidevin deram uma entrevista afirmando que são contra ao casamento homoafetivo
 
 
Há 15 anos, em um site de relacionamentos gay, os australianos Ben Rogers e Mark Poidevin se conheceram e engataram um relacionamento. Até aí, não há nada de incomum, a não ser o fato de que, mesmo mantendo uma união estável por anos, os parceiros são contra o casamento homoafetivo.

"Se fizermos uma exceção para uma comunidade, isto é, os casais do mesmo sexo, onde isso irá parar?", diz Mark Poidevin, que é homossexual e católico

Sempre contra.

Como defesa, Mark garante que sempre se opôs à ideia da união homoafetiva e que há mais de cinco anos já tem falado sobre o assunto com o parceiro. “Na época, Ben disse que isso não era para ele, que ele não acreditava nisso, e eu disse: ‘E quando as leis mudarem, você gostaria [de se casar]?”, conta o católico, ao que o namorado respondeu "não".

Aparentemente, Ben não é totalmente conta ao matrimônio entre homossexuais, ele apenas não se vê subindo em um altar para trocar alianças, tanto que, na entrevista, ele e Mark afirmam que, mesmo que o casamento seja legalizado na Austrália, não vão se casar.

Conflito de opiniões.

Ambos acreditam que esse debate e a campanha podem resultar em problemas devido às opiniões divergentes. Mark conta que ouve muitos comentários negativos por ser gay e, ao mesmo tempo, contra ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, e aponta que todos têm o direito de ter uma visão sobre algo. “Intolerante é quem não consegue lidar com uma opinião diferente”, expõe.

Nas redes sociais, boa parte dos internautas detonaram os australianos que são contra ao casamento homoafetivo e o assunto provavelmente continuará em pauta até o Tribunal Superior australiano se posicionar sobre o assunto levantando pela campanha.
 
 

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (1) Comente aqui!

Um comentário:

  1. Homem transgênero comemora gravidez e afirma que vai criar seu filho sem gênero.

    A assistencia social precisa tirar a guarda dessa crianca ao nascer dessa mae e a entregar a uma familia que a posso educar corretamente! Desconstrução de genero e pura estupidez! Para os lgbts a desconstrução de genero nega a orientacao sexual por natureza e a coloca como uma opcao! Que existe mas nao e a maioria socialmente expondo a crianca ao ridiculo confundindo sua orientacao natural isso e uma degradacao! Voce nao precisa desconstruir a orientacao de genero de ninguem pra educar! E antes d mimi sou gay! Descanse em paz rogeria sentiremos sua falta!saudades! Diva! ♥

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...