Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Caça aos gays no Egito já prendeu mais de 250 homens.




Apesar da homossexualidade não ser proibida pela Lei, o Egito é um país conservador, onde a discriminação é frequente. Gays são frequentemente presos e acusados de devassidão, imoralidade e blasfêmia.

A religião mais comum no Egito é os islamismo. E todo mundo sabe que os muçulmanos são conhecidos por serem bastante conservadores em relação à causa LGBT. E uma pesquisa recente confirmou o conservadorismo egípcio: em 4 anos, o governo egípcio prendeu mais de 250 homens por serem homossexuais.

Assim como também acontece na Rússia e na Indonésia, a comunidade LGBT vem sendo pressionada no Egito, vendo seus direitos serem cassados e tendo que inclusive passar por exames anais para comprovar sua sexualidade.

De acordo com Dalia Abdelhamid, ativista da ONG Iniciativa Egípcia para os Direitos Pessoais, desde o ano de 2013 o país vem promovendo uma verdadeira caça aos gays, pesquisando em redes sociais publicações suspeitas que possam ser consideradas uma propaganda da homossexualidade e até mesmo fazendo autoridades egípcias se passarem por gays para marcarem encontro através de aplicativos de relacionamentos.

A ativista revela que acredita que a situação no país piorou quando o presidente Abdelfatah al Sisi, assumiu o governo do Egito em julho de 2013, através de um golpe de estado. Dalia também revelou à agência Efe, que entre o período de 2013 e março de 2017 foram presos pelo menos 232 pessoas suspeitas de praticarem homossexualidade e que neste ano, a ONG registrou pelo menos, outras 57 prisões, totalizando 289 detidos.

Dalia destaca que a mídia no país é fortemente influenciada e controlada pelo governo visando reforçar a mensagem de discriminação aos LGBTs. Ela conta também que a polícia egípcia estimula a sociedade a posicionar contra à comunidade LGBT prezando por valores da família e religiosos.

Na reportagem da Efe, alguns jovens gays, que não preferiram não revelar seus nomes, revelaram que desde que a “caça aos gays” no Egito começou, eles começaram a esconder sua sexualidade, passaram a não frequentar “lugares gays” e passaram a evitar marcar encontros com outros homens.

Gilmar Mendes pede vista de ação sobre doação de sangue por homossexuais.


Mendes pediu mais tempo para analisar a questão.


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes pediu hoje (26) vista da ação na qual a Procuradoria-Geral da República (PGR) pede a inconstitucionalidade de normas do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proíbem homens homossexuais de doar sangue por 12 meses após a última relação sexual. Não há previsão para retomada do julgamento. Até o momento, a votação está em 4 votos a 1 pela anulação.

A questão começou a ser julgada na semana passada, quando o relator do caso, ministro Edson Fachin, considerou a restrição como discriminatória.

As normas tratam sobre a inaptidão temporária para indivíduos do sexo masculino que "tiveram relações sexuais com outros indivíduos do mesmo sexo de realizarem doação sanguínea nos 12 meses subsequentes a tal prática".

Na sessão de ontem (26), os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux acompanharam o relator. Na abertura de sessão desta tarde, Mendes pediu mais tempo para analisar a questão.

Durante o julgamento, não houve manifestação oral da Anvisa ou do Ministério da Saúde. Em informações enviadas ao STF no ano passado para subsidiar o voto de Fachin, a Anvisa declarou que segue informações científicas internacionais para estabelecer as normas e que as regras para doação de sangue atendem aos princípios da precaução e proteção à saúde. Na ocasião, o órgão declarou que homens homossexuais não são proibidos de doar sangue, desde que atendam aos requisitos de triagem clínica.

Mulher é presa após matar vizinho gay com facada no pescoço.




Uma mulher foi presa nessa quarta-feira (25/10) em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, suspeita de ter assassinado o seu vizinho, Willian de Oliveira Salles, um jovem gay de 22 anos. Segundo a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Ângela Porto de Melo, de 32 anos, disse à polícia que teria se desentendido com a vítima.

Ângela relatou aos policiais que Willian era homossexual e teria ciúmes dela com outras pessoas. O crime ocorreu na madrugada de quarta-feira no Bairro Jardim das Flores, onde Ângela foi presa horas depois do assassinato. De acordo com a Polícia Civil, Ângela contou que na noite do crime ela e Willian estavam embriagados. Os dois começaram a discutir e trocar ofensas.

Ângela disse que, no momento da discussão, estava cortando manga com uma faca. Willian teria atirado um tijolo contra Ângela, que pegou a faca e golpeou no pescoço do vizinho. Mesmo ferido, Willian tentou pedir ajudar, mas acabou morrendo no local. Ângela deve ser encaminhada para uma unidade prisional feminina de Rondonópolis.

Jovem é espancado durante festa universitária por ser gay em Uberaba (MG).




Um jovem de 24 anos registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) no qual afirma ter sido vítima de homofobia durante uma festa universitária em Uberaba, no Triângulo Mineiro, no último domingo (22). De acordo com ele, três homens o espancaram e momentos antes das agressões, os autores do crime teriam dito comentários homofóbicos ao estudante.

Junto com testemunhas, a vítima contou à polícia que por volta de 2h, os suspeitos deram início as ofensas sem motivo aparente.  Após a sessão de xingamentos, os agressores esganaram, deram socos e chutes no rapaz. Mesmo após ficar inconsciente no chão, as agressões continuaram.

Os homens foram detidos por outras pessoas que estavam na festa e uma ambulância da Ubervidas foi acionada. Segundo o médico que atendeu a vítima, houve escoriações na cabeça, lábios, peito e braço esquerdo, há ainda a suspeita de um traumatismo craniano leve. Porém, não precisou levá-lo ao hospital por ele responder bem aos procedimentos de primeiros socorros.

Com ajuda das testemunhas, o agredido conseguiu identificar os três suspeitos, ainda na madrugada do ocorrido. Os policiais foram até a casa da vítima, mas os agressores não foram encontrados. Ninguém foi preso.

O caso foi encaminhado para a Polícia Civil de Uberaba, que informou que o jovem foi ouvido e que as investigações estão em andamento. Os organizadores postaram uma nota repudiando as agressões e informaram que prestaram atenção à vítima.

Leia a nota na íntegra:

A cada 25 horas uma pessoa é morta por homofobia no Brasil. A Integra Bixos surgiu com a ideia de unir os universitários de Uberaba em uma única festa, onde é proposto amor, tolerância e integração. A Integra é uma festa universitária, onde acreditamos que todos presentes sejam possuidores do conhecimento da luta LGBT no Brasil.

No entanto, fomos pegos de surpresa mais uma vez! Durante a festa, o que parecia ser mais uma briga de playboys frustrados, era na realidade mais um triste retrato de uma sociedade doente, que louva a ganância e o dinheiro, e que na verdade é racista, machista, fascista e homofóbica.

E o que mais nos entristece, é que esse fato ocorreu logo em uma festa universitária, local onde estão presentes a esperança em curar essa comunidade, o futuro do nosso País, e os responsáveis em passar para as próximas gerações o real significado de RESPEITO.

Desde o conhecimento real dos fatos (domingo a noite), procuramos nos informar ao máximo e estamos entrando em contato com a vítima para que possamos prestar a ela o máximo de ajuda necessária.

Por fim, queremos lembrar que berço de ouro não cria caráter, nem da educação. Seu dinheiro, seu padrão de beleza e suas propriedades não fazem parte do que desejamos em nossos eventos. Pode ficar do lado de fora com seus padrões provincianos, pois aqui dentro queremos as pessoas de bem e vocês só merecem cadeia

homofobia festa uberaba, festa homofobia universitária, jovem espancado festa universitária, festa uberaba, festa uberaba jovem vítima homofobia

Jovem de 17 anos mata namorado após vítima assumir namoro para mãe do acusado.




Um adolescente de 17 anos foi preso em flagrante acusado de matar o namorado a golpes de marreta e facadas, após a vítima revelar o relacionamento escondido. O ataque aconteceu após Darlan Amparo Oliveira, de 21 anos ter enviado um foto íntima do casal para o celular da mãe do autor do crime.

O caso aconteceu na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, e está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Região. Segundo informações da polícia, após saber que teve a sua sexualidade revelada, o acusado teria convidado Darlan para ir até a sua casa, foi quando começaram uma briga.

Os dois discutiram até que a vítima tentou atacar o namorado com uma faca. Uma amiga do casal que também estava na casa foi até a rua para pedir ajuda, mas quando voltou Darlan já estava gravemente ferido. O Samu chegou a ser acionado, mas o jovem morreu no local. O criminoso aguardou a chegada da polícia.

Em depoimento, o adolescente confessou a autoria do crime, e alegou ter agido em legítima defesa. A polícia ainda apreendeu um celular, duas facas e uma marreta, que teriam sido utilizadas no momento do ocorrido.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...