Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

ONG internacional repudia decisão judicial que autoriza “cura gay” no Brasil.




A ONG internacional Human Right Watch (HRW) divulgou o seu relatório nesta quinta-feira (18), no qual repudiou a decisão da Justiça Federal do Distrito Federal, que permitiu psicólogos a submeterem seus pacientes a terapias de reversão sexual, a chamada “cura gay”. O decreto foi assinado em setembro do ano passado e foi alvo de muita polêmica.

No texto, a organização vai contra a sentença do juiz Waldemar Luiz Cláudio de Carvalho e lembra que Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos recebeu cerca de 725 denúncias relacionadas à violência LGBTfóbica, contra homossexuais e transgêneros, apenas no primeiro semestre de 2017.

Ainda no relatório, a HRW citou o caso da travesti Dandara dos Santos, morta em fevereiro do ano passado, após ser espancada com socos e pedradas, em Fortaleza, no Ceará e que chocou todo o país. O processo ainda está sob investigação e nem todos os envolvidos foram detidos. A demora para a polícia chegar ao local do crime também foi questionado no documento, e só tomou alguma atitude depois da repercussão.

A Human Rights Watch é uma organização internacional sem fins lucrativos voltada à proteção dos Direitos Humanos. Seus recursos vêm de doações de pessoas físicas e jurídicas, contribuições governamentais, da realização de eventos e da organização de publicações.

Justiça: Corte de Estrasburgo dificulta casamentos gays na Europa.




A Corte de Estrasburgo, na França, estabeleceu que o casamento homossexual não será legitimado pela Convenção Europeia de Direitos Humanos (CEDH). A instituição deu aos países da Europa a possibilidade de legislar sobre o assunto como os preceitos e leis locais mandarem. 

Segundo a CEDH sua intervenção no sentido de garantir o direito ao casamento igualitário não seria útil porque nem todos os países consentem a união. “As autoridades nacionais são as que podem apreciar melhor as necessidades sociais na questão e para para responder a elas. O casamento tem conotações sociais e culturais profundamente ancoradas, que diferem amplamente de uma sociedade para outra”. 
 
A Corte de Estrasburgo já barrou diversos recursos de casamentos homoafetivos. Mesmo que 21 dos 47 estados representados pela CEDH possibilitem o casamento gay através de leis ou emendas constitucionais, ainda existem instituições jurídicas locais que podem barrar esse direito. Países com a Alemanha, não só legalizam o casamento como também permitem adoção. 
 
Segundo o Tribunal de Estrasburgo, a proibição não se trata de discriminação, pois “os Estados são livres de reservar o casamento apenas a casais heterossexuais.”. A conivência com proibições de casamentos gays acontece desde 2010, quando o tribunal anunciou pela primeira vez sua aversão ao casamento igualitário. Desde então, embora a lei assegure o direito ao casamento em determinadas regiões da Europa, ainda são necessários recursos diante de negativas que acontecem apesar da lei. 

Garoto de programa chantageia cliente com vídeo íntimo gravado sem autorização.


Garoto de programa cobra R$ 5 mil para não divulgar vídeo íntimo com cliente


A Polícia Civil de João Pessoa prendeu um jovem de 22 anos, que atuava como garoto de programa na capital da Paraíba, e tentou extorquir um dos seus clientes após gravar um programa sem autorização.

De acordo com a denúncia, o suspeito gravou o encontro dos dois com uma câmera escondida no quarto, e ameaçou publicá-lo caso o homem que contratou os seus serviços não lhe pagasse um valor de R$ 5 mil.

Em um dos áudios enviados, o rapaz xinga a vítima ao ameaçá-lo. “Você vai me pagar até segunda-feira, seu safado, ou então eu vou publicar o vídeo para todo mundo ver, para sua mulher saber que você é veado”, disse. A polícia ainda investiga se outras pessoas foram alvo do mesmo golpe. As informações são do G1.

O caso foi denunciado pela própria vítima, que procurou as autoridades para relatar o caso. Segundo investigou a Grupo de Operações Especiais (GOE), o acusado filmou toda a relação com o homem, que era a seu cliente desde 2016, com uma câmera embutida em uma réplica de uma chave de carro.

Jovem é preso acusado de matar parceiro sexual após sofrer chantagem.


João da Lágrima matou jovem que ameaçou revelar relação secreta


A Polícia Civil de Ibirité, região metropolitana de Belo Horizonte, prendeu um jovem de 18 anos, conhecido como João da Lágrima – por tatuar duas lágrimas abaixo do olho direito – nesta quinta-feira (18), suspeito de matar um rapaz, de 24 anos, que estaria o  chantageando.

De acordo com a delegada Alice Botelho, a vítima, que era homossexual, costumava levar outros homens até sua casa para fazer programas sexuais, ao qual pagava o valor de R$ 40. Em julho de 2017, no entanto, ele ameaçou o acusado de contar a outras pessoas sobre a relação dos dois, caso o parceiro não quisesse continuar com os encontros.

Com receio do caso se tornar público, João decidiu matar o jovem, com ajuda de um adolescente de 16 anos ainda não identificado. “Eles foram para uma construção abandonada, onde a vítima costumava manter as relações sexuais. Durante o ato com o João, o investigado cortou o pescoço da vítima. O rapaz tentou fugir, mas foi esfaqueado outras vezes pelo maior e pelo adolescente”, explicou Botelho.

À Policia, João da Lágrima negou fazer sexo com à vítima e também ter sido alvo de uma chantagem. Em depoimento, ele afirmou que conhecia a vítima desde criança e que costumavam usar drogas juntos. E, que o roubo de uma corrente teria sido o real motivo para que cometesse o crime. João vai responder por homicídio qualificado, por motivo fútil, meio que impossibilitou a defesa da vítima, dissimulação e corrupção de menores.

Mistério: Morte de professor e promoter de Caxias do Sul pode ter pacto suicida como motivação.




Os corpos de André Luiz Portanova Laborde, de 36 anos, e de João Storani, 30, foram encontrados em avançado estado de decomposição dentro de um apartamento em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, no dia 4 de janeiro, quinta-feira.
 
Os vizinhos do apartamento localizado no bairro De Lazzer, na rua Ângelo Lourenço Tesser, sentiram um cheiro ruim que vinha da decomposição dos corpos e acionaram a polícia. Os soldados contrataram um chaveiro para abrir a porta e encontraram os corpos no quarto, sendo que um estava na cama 

André Luiz, que era professor do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), deixou uma carta que foi encontrada junto dos cadáveres na qual pedia perdão aos familiares e amigos pelo que estava prestes a fazer. A polícia considera a hipótese de que André matou o promoter João Storani com o revólver calibre 32 encontrado no local, e logo em seguida cometeu suicídio. A carta foi considerada como um indício de que os dois fizeram um pacto de morte. 
 
As imagens das câmeras de segurança do prédio foram acionadas e mostraram que as vítimas foram vistas entrando no prédio pela última vez no dia 19 de dezembro. A polícia ainda não precisou o dia ou horário exato da morte, mas presume que tudo tenha acontecido logo depois do Natal. Segundo familiares, um último contato foi feito com Storani no dia 27 de dezembro, às 14h30 através do aplicativo WhatsApp e no dia 2 de janeiro foi registrado o Boletim de Ocorrência sobre o desaparecimento do promoter. 

Mais uma pessoa LGBT é agredida por grupo skinhead em Fortaleza.


Secretaria da Segurança afirma que policiais militares receberam denúncia de agressão na Praça da Gentilândia, onde há encontros de grupos LGBT.


Vítima descreveu agressores como sendo 'uns seis caras'. Esta é quinta denuncia de agressão por skinheads esse mês na capital cearense.

Mais um jovem relatou ter sido agredido por um grupo de "skinheads" no Bairro Benfica, em Fortaleza, na noite desta quinta-feira (19). Segundo o relato postado em redes sociais, "eram uns seis caras" vestidos de preto, que desferiram vários golpes.

"Me cercaram e começaram a me socar, eu só tive a reação de proteger a minha cabeça e gritar por socorro", diz a vítima. Na mensagem, ele diz que conseguiu fugir em meio aos golpes. "Quando eu vi uma brecha entre dois deles, eu corri, atravessei a avenida, quase fui atropelado."

Ele acredita ter sido um espancamento motivado por homofobia e racismo. "Enquanto eles me batiam, eu só ouvia algo relacionado a eu ser 'viadinho e um preto imundo'."

Os skinheads são grupos formados normalmente por homens, que preferem usar roupas pretas e corte de cabelo curto ou raspado. Eles espalham mensagens antissionistas, contra leis voltadas para minorias, e conteúdos xenofóbicos, homofóbicos e racistas.

Este é o quinto caso de uma pessoa LGBT que denuncia agressão por skinheads no primeiro mês do ano em Fortaleza.

Conforme a Secretaria da Segurança, o caso foi relatado a policiais na Praça da Gentilândia, no Bairro Benfica, onde funcionam diversos cursos da Universidade Federal do Ceará (UFC). O local é ponto de encontro de LGBTs.

Policiamento.

Ainda conforme o relato da vítima, havia policiais próximo ao local, que fizeram uma ronda em busca dos agressores, mas não o encontraram. "Pedi socorro [aos policiais], expliquei a situação, eles com uma cara de má vontade deram uma volta, não acharam ninguém, voltaram, me indicaram a ir na delegacia", continua.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social informou que a Polícia Militar foi acionada por "um jovem que denunciou ter sido alvo de agressões nas proximidades da Praça da Gentilândia, no Bairro Benfica". "Os militares realizaram o patrulhamento pela região, no entanto, ninguém com as características descritas pela vítima foi encontrado", continua a nota.

A Secretaria de Segurança orienta ainda que a vítima registre boletim de ocorrência para dar início a uma investigação. "Por fim, a SSPDS informa que as denúncias feitas via rede social estão sendo analisadas."

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...