Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Justiça da União Européia proíbe “testes da homossexualidade” para refugiados.




O Tribunal de Justiça da União Europeia (UE) decidiu nesta quinta-feira (25), pela proibição da realização de exames psicológicos para saber a respeito da orientação sexual dos refugiados que buscam asilo nos países que fazem parte do bloco.

De acordo com a sentença, os testes feitos nos expatriados vindos de lugares onde a homossexualidade é considerada crime constituem em uma “ingerência desproporcional na vida privada”, por isso torna-se uma prática ilegal.

O motivo pelo qual fez a corte tomar o decreto esta no caso de um nigeriano que teve o seu pedido de asilo negado na Hungria, por ser reprovado no teste psicológico, o homem alegou ser perseguido no seu país por ser homossexual. Com a rejeição, ele recorreu a Justiça da Hungria, que solicitou um parecer ao Tribunal da UE.

No decreto, ficou acordado que autoridades nacionais até podem fazer exames periciais com o intuito de avaliar a necessidade real de proteção do requerente, mas preservando os direitos do refugiado, assim como assegura a Carta dos Direitos Fundamentais da UE, como a dignidade e a vida privada e familiar do asilado.

Esta medida vale até mesmo para aqueles que tenham autorizado essa avaliação. “tal consentimento não é dado necessariamente com total liberdade, mas imposto pela pressão das circunstâncias”, afirmaram os juízes. Tal interferência é particularmente grave, uma vez que é realizada para se obter informações sobre os aspectos mais íntimos da vida do requerente de asilo”, completaram.

Cerca de 88% dos indonésios consideram LGBTs como uma ameaça, revela sondagem.




Uma sondagem realizada em Jacarta, na Indonésia, revelou que cerca de 88% dos cidadãos do pais consideram a comunidade LGBT como uma ameaça. O levantamento foi feito entre os anos de 2016 e 2017, e ouviram 1.200 pessoas.

Em dados exatos, o relatório mostrou que 87,6% veem esta parcela da população como algo que pode lhes afetar diretamente, enquanto 79% não gostaria de ter vizinhos LGBTs e 89% não votaria em governantes que não sejam heterossexuais.

A rejeição é justificada em sua maioria por causa de ideais religiosos. 81,5% indicam que tendências homossexuais ainda são proibidas pelas sua respectivas doutrinas, medida que se a aplica a toda as religiões exercidas durante o estudo de opinião, analisado pelo Ade Armando, diretor de meios da consultora Saiful Mujani Research and Consulting.

Rússia Homofóbica demitirá Funcionária que registrou Casamento Homossexual.




Código de Família na Rússia não proíbe expressamente os casamentos homossexuais, mas define o casamento exclusivamente como uma união legal entre um homem e uma mulher. Funcionária registrou legalmente união de dois homens que se casaram na Dinamarca.

O Ministério do Interior da Rússia anunciou nesta sexta-feira (26) que demitirá funcionária que registrou legalmente a união homossexual entre dois homens que se casaram na Dinamarca.

Devido à decisão de legalizar este casamento entre dois cidadãos do sexo masculino, foi aberta uma investigação interna que terá como resultado a demissão da funcionária e de seu superior, informou a porta-voz do Ministério, Irina Bolk

Além disso, os passaportes com o selo que registrava tal união homossexual pela legislação russa foram declarados “inválidos”.

O Código de Família na Rússia não proíbe expressamente os casamentos homossexuais, mas define o casamento exclusivamente como uma união legal entre um homem e uma mulher.

Segundo a imprensa russa, um centro de serviços estatais registrou o casamento de dois homens em 4 de janeiro deste ano após o casal apresentar o certificado traduzido e aprovado por um tabelião.

A chefe do registro civil de Moscou, Irina Muraviova, comentou que a lei russa não impede o reconhecimento dos casamentos homossexuais formalizados no exterior, embora impeça seu registro, uma lacuna jurídica que considerou difícil de solucionar.

No momento certo, a Duma (Câmara dos Deputados) proibiu por lei a adoção de crianças russas por parte de homossexuais estrangeiros e de solteiros procedentes de países onde o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legal.

A Rússia proibiu em 2013 a propaganda homossexual entre os menores de idade, uma lei que este grupo considera uma desculpa para impedir a realização da parada do orgulho gay.

Sexto lugar no ranking, Brasil paga R$ 336 mil à Fifa por gritos homofóbicos nos estádios.


Jogo de Futebol do Brasil 


Muito presente no futebol como um todo, a homofobia nos estádios durante as eliminatórias da Copa do Mundo na Rússia, no ano passado, custou as confederações do esporte 4 bilhões de reais, na qual o Brasil teve que desembolsar R$ 336 mil como parcela deste total, através da CBF.

No ranking das nações que mais tiveram torcedores entoando gritos homofóbicos, o Brasil aparece na sexta posição. Durante os jogos foram relatadas, cinco vezes que os problemas aconteceram e rendeu as multas.

A lista divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, ainda revelou que dos 15 países notificados pelo ato, 12 estão localizados na América Latina. Dos dez membros da Conmebol, oito foram autuados por homofobia somando 794 mil reais. O Chile aparece em primeiro lugar, seguido da Argentina, Honduras, México e Peru.

Os países de El Salvador, Panamá, Colômbia, Equador, Paraguai e Uruguai também figuram a lista. Da Europa, apenas Grécia, Sérvia e Hungria foram os únicos a receberem punição da Fifa por causa de homofobia. Segundo a Fifa, o valor arrecadado será revertido em entidades sociais que promovem o esporte ao redor do mundo.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...