Slide 1 Slide 2 Slide 3

FOFOCAS DE CELEBRIDADES- GOSSIPS

Foster the People lança clipe para ‘Sit Next to Me’, do álbum ‘Sacred Hearts Club’.



A Foster The People continua na divulgação do seu último álbum, Sacred Hearts Club. Dessa vez, a faixa Sit Next to Me ganhou um novo clipe.

Sacred Hearts Club é o terceiro álbum da banda, sucessor do conceitual Supermodel, de 2014, e foi anunciado há algum tempo. O disco foi publicado pelo selo Columbia Records.



CHVRCHES faz cover da emocionante ‘Somebody Else’, da banda The 1975.



O CHVRCHES está trabalhando na divulgação do seu próximo álbum de estúdio, intitulado Love Is Dead, e participou do Live Lounge da BBC Radio 1. A banda fez um cover lindo da faixa Somebody Else, da banda The 1975.

Formada em 2011, a CHVRCHES é uma banda escocesa de música New Wave, Synthpop e música eletrônica. O nome da banda de Lauren Mayberry, Iain Cook e Martin Doherty é uma brincadeira com a palavra CHURCHES (Igrejas, em inglês).



G-Eazy experimenta drogas em diferentes décadas no clipe de ‘Sober’, parceria com Charlie Puth.




G-Eazy liberou nessa quarta (14) o clipe para a faixa Sober, parceria com Charlie Puth. Confira a seguir o vídeo e uma rápida análise.



Com Amor, Simon – Saiba o que esperar dessa Comédia Romântica Gay.




Filme, que será lançado no dia 5 de abril, é considerado a primeira comédia romântica do mainstream contada a partir da perspectiva de um jovem gay.

Com Amor, Simon, estreia no país no dia 5 de abril (alguns cinemas já estão com eventos de pré-estreia a partir do dia 22 de março).

Com Amor, Simon é uma história mais leve e bem-humorada, focada no público jovem.

O filme, da 20th Century Fox, é uma adaptação do livro Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens, da escritora Becky Albertalli, e é considerado a primeira comédia romântica do mainstream contada a partir da perspectiva de um menino gay.

Na história, Simon Spier enfrenta um dos maiores medos de todo jovem LGBT: o momento de se assumir para a família e amigos e o receio de não ser aceito. O estudante é, praticamente, puxado de dentro do armário por um colega da escola e é obrigado a enfrentar a repercussão da notícia sobre sua orientação sexual na escola.

Quem dá vida ao protagonista é Nick Robinson, de 22 anos, e, que já atuou ao lado de Chloe Moretz em A 5ª Onda, e Amanda Stenberg em Tudo e Todas as Coisas.

Love, Simon.





MOÇÕES! MUITAS EMOÇÕES!

Se você não chorar nesse filme já pode se considerar a própria rainha Frozen! Como na vida real, o momento de assumir a orientação sexual para a família e os amigos é de pura angústia. O medo de não ser aceito e respeitado não acontece só dentro de casa, mas também na escola, no trabalho e em qualquer lugar onde possa existir pessoas preconceituosas.

VOCÊS QUEREM ROMANCE?

As suas definições de esperança no amor vão ser atualizadas com sucesso. Quem não torce para que uma grande história de amor não dê certo? Durante todo o filme, Simon está em busca de Blue, um aluno da escola que se assume gay e com quem troca e-mails. O jovem fica caidinho pelo colega e tenta, a todo custo, descobrir a identidade dele.



Ricardo Tozzi conta episódio homofóbico de contratante no interior: “Nasceu viadinho a gente mata”.


O ator Ricardo Tozzi


O ator Ricardo Tozzi será o vilão Xavier Vidal, coronel poderoso dono de um cafezal na nova novela das 18h “Orgulho e Paixão”, que se passa no Brasil, do início do século XX. Durante entrevista coletiva promovida pela Globo para divulgar a trama, ele afirmou que apesar de extintos das grandes metrópoles, ainda são grandes figuras muito presentes em cidades do interior.

O galã lembrou um episódio que aconteceu há três anos e o deixou muito indignado. “Estive no interior de um estado que não vou dizer qual é, um pouco distante daqui (Rio), fazendo um trabalho. Era um desfile no meio de uma loja. O proprietário me buscou no aeroporto, um cara com um carrão… no interior, interior, interior lá pra cima do norte. Então ele me disse: ‘Aqui não tem problema nenhum’. Eu falei: ‘Não?’. Ele respondeu: ‘Não. Aqui a gente resolve tudo… A gente faz, isso, isso, isso e mata doentinho’”, contou o global.

Lázaro Ramos e Kiko Mascarenhas estreiam peça sobre perseguição a LGBTs em Uganda.


Lázaro Ramos e Kiko Mascarenhas.


'O Jornal' narra a vida de três irmãos que após a morte do pai precisam segui com a vida, os sonhos e os desejos.

Não é fácil descrever o efeito que o periódico Rolling Stone causou em Uganda quando, em 2010, divulgou nomes, endereços e fotos de 100 cidadãos considerados LGBTs. Sob o título ‘Enforque-os!’, a região de Kampala se tornou palco de agressões e assassinatos. Em 2006, o tabloide Red Pepper já havia feito o mesmo.

Em 'O Jornal', texto do britânico Chris Urch, que estreia no Sesc Santo Amaro, esse debate deixa as redações jornalísticas, ou os protestos nas ruas, para adentrar a vida de uma família e os púlpitos de uma igreja. Com direção de Lázaro Ramos e Kiko Mascarenhas, o espetáculo retrata a jornada de três irmãos que, com a morte do pai, precisam seguir a vida, os sonhos e o futuro.

Enquanto Joe (André Luiz Miranda) quer se tornar pastor, os mais novos Dembe (Danilo Ferreira) e Wummie (Indira Nascimento) estudam medicina. Dembe se apaixona por Sam (Marcos Guian), um rapaz irlandês, e precisa enfrentar as consequências de seu amor num país que trata tais casos com castração química.

“Há relatos de pais que entregaram seus filhos para serem presos e penalizados”, conta Mascarenhas. Ramos afirma que a peça é um alerta ao comentar a lei da época que ainda previa a prisão por conspiração de pessoas não LGBT. “Em Uganda, existia essa lei, portanto, não podíamos deixar esse texto passar.” Ele compara a montagem a O Topo da Montanha, peça que estrelou ao lado da mulher Taís Araújo sobre o último dia de vida do pastor e ativista Martin Luther King. “É um texto que consegue, com uma carpintaria sofisticada, falar de assuntos delicados. A peça fala do teatro do mundo, que acolhe, provoca e entretém. Além de oferecer uma alternativa a essas questões, não se trata apenas de uma denúncia.”


Lázaro Ramos e Kiko Mascarenhas com o elenco do 'O Jornal'.

Para Mascarenhas, a montagem flerta com o gênero trágico, uma vez que, apesar das reviravoltas, os personagens não conseguem fugir de seus destinos. “É a história de jovens que estão amadurecendo, já que não têm mais os pais por perto. Os sonhos e desejos entram em conflito com a fé. Eles foram criados em uma religião e a falta de respostas passa a embaralhar suas jornadas. Nesse momento, é preciso descobrir uma nova forma de existir.”

A despeito da gravidade dos crimes e da distância geográfica, Ramos afirma que Brasil e Uganda andam bem próximos. “Vemos muitas expressões de intolerância com a comunidade LGBT, aqui. Precisamos entender que não é preciso chegar na barbárie para compreender que é possível conviver com as diferentes condições sexuais.”

A montagem, que estreou no Rio no ano passado e ficou quatro meses em cartaz – número surpreendente para a média da cidade, na qual as produções não enchem a casa por mais de um mês –, movimentou a cidade e o Brasil quando os diretores decidiram abrir inscrições para selecionar o elenco de seis atores. O número de 5 mil interessados surpreendeu a dupla. “Conseguimos uma parceria com o departamento de pesquisa de elenco da Rede Globo para conhecer esses artistas”, diz Mascarenhas.

Do todo, foram escolhidos 700 e depois 70. Por dois meses, os diretores realizaram uma oficina, de segunda a sexta, para enfim chegar no sexteto, completo por Heloísa Jorge e Marcella Gobatti. “Foi um processo lindo e revelou que ainda temos muitos talentos a serem mostrados. Fazer isso com a Globo foi interessante por revelar a construção de um projeto teatral possível com o apoio da emissora”, conta Ramos.

Para a dupla que colhe o sucesso da série Mister Brau, a parceria construída entre Mascarenhas e o casal Ramos-Araújo ainda vai dar muitos frutos, conta Mascarenhas. “Desde que a série começou em 2015, nos tornamos uma família. Eles são muito afetuosos. Estar à frente de Mister Brau fez deles grandes agregadores e amigos. Não é raro passarmos férias juntos”, afirma Mascarenhas. Isso quer dizer que ter a dupla de diretores no palco não deve demorar. “Posso dizer que temos vontade, agora é preciso encontrar um texto que responda a esse desejo.”

Johnny Rapid, Hetero que faz Filme Pornô Gay, sensualiza o Bumbum na cama!




Jogador Hugo é filmado em Nu Frontal no Vestiário!



Darren Criss tá Nu fazendo pegação no banheiro com um Homem!









Já se sentiu uma Lagartixa na parede?







Jovens na cam...








Vintage....










Luta de espadas...





Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...