Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Ator norte-americano Lee Pace revela ser bissexual: “Namorei homens e mulheres”.


O ator Lee Pace


Na pele do personagem homossexual Joe Pitt, na peça em cartaz da Broadway Angels in American, o ator Lee Pace revelou ser bissexual em entrevista à W Magazine.

“Eu namorei homens. Eu namorei mulheres”, afirmou o astro norte-americano acrescentando que a sua sexualidade não influencia na sua carreira. “Eu não sei porque alguém se importaria. Eu sou um ator e interpreto papéis. Para ser sincero, acho sua pergunta intrusiva”, disparou.

Mais conhecido pelo personagem Trandhuil em “O Hobbit”, Pace já interpretou vários personagens homossexuais, durante a sua carreira, como no espetáculo The Normal Heart e no filme Um Amor na Trincheira, além do bissexual na série Halt and Catch Fire.

Jogador de vôlei Michael lembra ataque homofóbico: “Sensação de incapacidade”.


Jogador de volei gay Michael


O jogador de vôlei assumidamente gay Michael, de 34 anos, relembrou o episódio homofóbico que sofreu durante partida dos playoffs Superliga defendendo o Vôlei Futuro, de Araçauba (SP), contra o Sada/Cruzeiro, em Contagem (MG) em 2011, em entrevista ao UOL, publicada nesta segunda-feira (05).

“Mas eram sempre uns três, quatro que gritavam ‘viado’, ‘bicha’, ‘gay’, ‘vai errar o saque’. Como eram poucos, conseguia lidar. Naquele dia, tentei repetir a fórmula, mas tinha uma coisa diferente. Não eram três ou quatro. Era praticamente o ginásio inteiro. Eles berravam em todas as bolas. Em todos os saques”, lembrou.

O atleta ainda contou que a pressão dos insultos, o atrapalhou no desempenho em quadra. “Aquilo influenciou no meu jogo. Cada vez que a torcida xingava, eu tentava fazer melhor ainda, queria jogar mais. Aí me atrapalhou. Esta sensação de constrangimento é muito foda. Dá uma sensação de incapacidade que você não consegue compreender direito”, lamentou.

Michael ainda se mostrou impressionado com o apoio que recebeu após sofrer o ataque, que serviu para que assumisse publicamente a sua sexualidade. “Sabia que, de alguma forma, eu mostraria quem eu era para o Brasil e seria julgado por isso. Eu sempre tentei me manter o mais recluso possível. Ao mesmo tempo, eu não tinha que temer nada. Meu patrocinador, meus amigos, minha família e meus torcedores de Araçatuba me apoiavam”, disse.

Todo o fato serviu para criar um manifesto a favor do esportista e contra a homofobia. “Quando a bandeira ‘Vôlei Futuro contra o preconceito’ levantou, foi uma coisa muito emocionante. Não só pelo que eu tinha passado em Contagem, mas pelas coisas que eu passei antes, que meus amigos passaram antes. O ginásio inteiro fez tudo ficar mais bonito”, comemorou.

MINHA PRIMEIRA VEZ GAY.



Ben & Ethan



Lady Gaga - The Edge of Glory



Elio and Oliver kiss me




Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...