Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Associação Médica Americana repudia veto de trans nas Forças Armadas dos EUA: “Não existe razão”.


Transgêneros no serviço militar


A Associação Médica Americana emitiu um comunicado que vai contra a decisão do presidente Donald Trump de demitir as pessoas transgêneros das Forças Armadas dos Estados Unidos, sob a justificativa de economia nas despesas médicas, por conta do financiamento de medicamentos e custo com tratamento tal como as cirurgias de redesignação de gênero.

De acordo com a organização, o argumento não se sustenta, pois o aumento do gasto com despesas médicas não chega a 1% comparados com soldados cisgêneros, não havendo qualquer razão médica ou biológica para o veto.

“Estamos escrevendo para expressarmos nosso repúdio a medida do Presidente Trump, que impediu o trabalho de indivíduos transgêneros que servem as forças armadas do nosso país. Esta nova política e afirmação de que estas pessoas não são qualificadas o suficiente para o serviço, excede os limites de qualquer bom senso. Estudamos o assunto, sabemos que não existe qualquer razão para se excluir pessoas trans do serviço militar. Transgêneros sempre serviram e continuarão servindo nosso país com honra, e acreditamos que deveriam continuar tendo este direito”, disse o texto em forma de carta aberta destinada ao secretário de defesa do governo Trump, Jim Mattis.

Fuck The World - Grafite de um enorme pênis azul em Estocolmo gera polêmica.




Uma recente polêmica gira em torno de um trabalho de uma artista: um enorme pênis azul em Estocolmo, Suécia.

Intitulado "Fuck The World" (Foda-se o Mundo), a ideia inicial era de que o grafite permanecesse ali por 6 meses, mas acabou não durando nem uma semana.

Carolina Falkholt, uma das mais renomadas grafiteiras do país, causou furor entre os vizinhos e transeuntes devido à sua obra na lateral de um prédio de 5 andares. A artista disse que as pessoas deveriam "pensar sobre o porquê de ficarem tão irritadas e depois falarem sobre isso" e que "sexo é tão importante , mas sempre foi sujo demais para ser discutido."



Após proibir conteúdo gay, rede social chinesa volta atrás em decisão.


O Weibo teve que voltar atrás na decisão de proibir conteúdo gay após manifestação de internautas e do governo


A rede social Weibo, versão chinesa do Twitter, tinha decidido "purificar" a plataforma de conteúdo gay, e os usuários, junto do governo, manifestaram-se contra a atitude, o que resultou na reavaliação da decisão pela empresa

A rede social Weibo , versão chinesa do Twitter, anunciou na última sexta-feira (13) novos termos de condições para “purificar” a plataforma e proibiu alguns tipos de conteúdos, como o conteúdo LGBT , o que causou polêmica. Após pressão popular e posicionamento do governo chinês, o site voltou atrás nesta segunda-feira (16) e reverteu a proibição, de acordo com a agência “Reuters”.

O conteúdo que havia sido proibido variava entre pornografia, vídeos de temática gay ou de violência e desenhos com ilustrações de relacionamentos gays. Em resposta, a comunidade LGBT caiu em cima da decisão, usando hashtags e registrando queixas contra a atitude da rede social.

Esse descontentamento surge do medo da crescente censura no país, que tende a banir todo o conteúdo LGBT como “sujo”. Assim, os usuários pretendem se esforçar para que a internet seja um espaço de tolerância para a comunidade no país, como têm se manifestado nas redes sociais.

Demonstrando apoio à comunidade, a hashtag “Eu sou gay” subiu para uma das vistas na Weibo. Ela foi vista cerca de 300 milhões de vezes na rede social antes de ser censurada no último sábado (14).

Ainda não ficou claro se a atitude foi resultado de censura direta do governo ou se foi uma iniciativa da companhia. A empresa afirmou que a campanha da nova política tinha o objetivo de assegurar que a rede social esteja de acordo com o novo regulamento online lançado em junho de 2017, que consta que relações homoafetivas são “anormais”.

Situação da comunidade LGBT na China.

Na China, a comunidade LGBT tem as redes sociais como principal campo de batalha, de acordo com Xiao Tie, presidente do Beijing LGBT Center. Assim, podem defender abertamente seu ponto de vista e, por exemplo, até argumentar contra celebridades conservadoras, que afirmam que os melhores casais são os héteros.

“O problema da política [do site] é que coloca conteúdo LGBT no mesmo nível que pornografia”, acrescenta a presidente do centro. Ela acredita que o governo não é anti-LGBT, mas que as autoridades não têm ideia de como lidar com a situação.

“O maior problema é a cultura da censura restrita”, acrescenta. “As redes sociais costumavam ser um espaço livre, mas as coisas começaram a mudar nos últimos anos.”

Um grande exemplo disso é a escritora Hao Kegui, que se assumiu lésbica em uma carta publicada nas redes sociais. “Minha preocupação é que, como a China é muito grande e os lugares que ficam fora das grande cidades ainda são bem conservadores, existe uma boa parcela da comunidade gay que aprende sobre sua sexualidade nas redes sociais”, diz à “Reuters”.

Advogado Ativista LGBT se mata em Nova York como forma de protesto!




David Buckel, um conhecido advogado de igualdade LGBT que mais recentemente trabalhou em questões ambientais, se suicidou nesse sábado .

Buckel, 60 anos, ateou fogo no corpo em Prospect Park, no Brooklyn.

A polícia disse que ele deixou uma nota de suicídio manuscrita em um envelope dentro de um saco de lixo em um carrinho de compras nas proximidades.

“Eu sou David Buckel e acabei de me matar ateando fogo como um suicídio de protesto. Peço desculpas a vocês pela bagunça.

No mesmo envelope, ele incluiu uma segunda nota digitada mais longa.

“Minha morte prematura por combustíveis fósseis reflete o que estamos fazendo a nós mesmos”, escreveu ele. “Uma vida inteira de serviço pode ser melhor preservada, dando uma vida…. O propósito honrado da vida convida a compra honrosa na morte ”.

Buckel havia trabalhado na Lambda Legal , onde liderou o Marriage Project e foi o principal advogado em uma ação envolvendo Brandon Teena, um adolescente transgênero que foi morto em 1993 depois que ele disse à polícia que ele foi estuprado. O caso resultou em um julgamento de US $ 80.000 contra a cidade por negligência.

Ele também argumentou contra a proibição gay dos Boy Scouts e outra envolvendo estudantes de Utah que queriam iniciar um clube LGBT em sua escola.

Buckel também se envolveu em ativismo ambiental. Ele foi o coordenador de recuperação de orgânicos com o NYC Compost Project, um projeto do Departamento de Saneamento.

“A poluição assola nosso planeta, exalando através do ar, solo, água e clima”, escreveu ele na nota datilografada. “Nosso presente fica mais desesperador, nosso futuro precisa mais do que o que temos feito.”

“Isso não é novidade, já que muitos optaram por dar uma vida baseada na visão de que nenhuma outra ação pode lidar de maneira significativa com os danos que eles veem.”

“A notícia da morte de David é de partir o coração”, disse Camilla Taylor, da Lambda Legal. “David era um advogado infatigável, e também um amigo dedicado e amoroso para tantos”.

“Ele era um advogado muito inteligente e metódico”, disse Susan Sommer, que costumava trabalhar na Lambda Legal. “Ele conhecia seu ofício e foi estratégico em como construir os blocos em direção a uma vitória arrebatadora.”

Homem obriga filho de 11 anos a fazer sexo com madrasta por medo dele ser gay.




Um homem do Alabama, nos EUA, foi condenado por uma série de crimes sexuais cometidos contra o próprio filho, um menino de 11 anos autista. Segundo a acusação, o pai abusava do filho e chegou a obrigá-lo a fazer sexo com a madrasta, Khadeijah Moore, de 20 anos. A justificativa?! O agressor tinha medo que a criança fosse gay.

Segundo foi relatado em tribunal, “os abusos começaram quando o pai encontrou o filho com um amigo, ambos sem roupa”, durante uma visita do menor ao pai, que está separado da mãe da criança. “Ele obrigou o filho a assistir e filmar uma cena de sexo entre ele e a namorada. Em seguida, ordenou que a criança fizesse a mesma coisa com a madrasta”, relatou o promotor de justiça no tribunal.

O menor contou depois o que tinha acontecido à mãe que, horrorizada, imediatamente recorreu a polícia. Segundo a acusação, o homem não demonstrou qualquer atração sexual por crianças e, quando questionado, “disse que só estava preocupado com o fato do filho poder vir a ser gay”.

“É um menino muito inteligente que ficou muito abalado com isto tudo. Percebeu que isto não é uma coisa normal e que é mau”, considerou o juiz. Segundo o jornal português CM Mundo, o menino está fazendo tratamento psicológico. Já os criminosos, tanto o pai quanto a madrasta, foram condenados pela justiça e estão cumprindo a sentença em regime fechado.

"Mas eu gostei..."- Homem diz que virou gay após começar a tomar remédio contra dor.




O britânico Scott Purdy, de 23 anos, afirma que sempre foi um "heterossexual pegador" e que gostava de namorar mulheres. Isso mudou drasticamente depois que ele usou o analgésico pregabalina, também conhecido como a marca Lyrica, muito indicado para casos de fibromialgia. A informação é do tabloide inglês Daily Star.

Scott teria iniciado o tratamento com esse remédio após quebrar o pé num acidente de kart, no final do ano passado. Ao Daily Star, ele conta que, rapidamente, a substância fez com que perdesse seu apetite sexual por mulheres, o que levou ao fim do relacionamento com uma namorada de seis meses. Ao mesmo tempo, o britânico teria começado a se sentir atraído por homens e "virado gay".

"Eu notei que minha libido para mulheres tinha ido embora e eu estava querendo atenção masculina. Eu nunca me interessei por homens. Quando eu era mais novo, até que era um pouco curioso, mas, algumas semanas depois de começar o tratamento, virei para minha namorada e disse que não a achava mais atraente. Ela sabia que eu estava tomando pregabalina", revela Scott ao tabloide inglês.

Além ser um forte analgésico, a Lyrica também é recomendada para casos de epilepsia, dor associada ao cérebro e transtornos de ansiedade. Segundo os próprios fabricantes, o medicamento possui alguns efeitos colaterais, que incluem perda de libido, enjoo, diarreia, dificuldade de ereção e alterações de humor. Porém, não existe nenhum estudo que mostre mudanças na opção sexual dos pacientes tratados com a substância.

"Eu só acho que as pessoas deveriam saber disso. Se alguém receber a prescrição do remédio, no futuro, acho que eles devem saber o que essa medicação pode fazer. Demorei um pouco para perceber o que era. Parei de tomá-lo por algumas semanas e o desejo por homens acabou", afirma o britânico ao Daily Star.

Porém, como ele se sentiu melhor e "libertado" pelo efeito da droga, decidiu voltar a tomá-la. "Eu quero continuar, porque me faz feliz com a minha sexualidade. A pregabalina também é usada para controlar a paranoia e a ansiedade. Isso me fez tão aberto que não me incomodei com o que as pessoas pensam ou dizem", completa Scott.

Diplomata brasileiro morre após suposta sessão de sadomasoquismo com outro homem.




Alexandre Siqueira Gonçalves, um diplomata brasileiro de 40 anos de idade foi encontrado morto nesta semana em seu apartamento em Roma, na Itália. De acordo com o jornal local Il Messaggero, o corpo do servidor da embaixada brasileira na cidade foi localizado pela sua esposa e estava completamente nu e com um cinto de couro em volta do pescoço.

A polícia italiana pediu a autópsia do corpo e ainda não concluiu as investigações, mas trabalha com a suspeita de que o diplomata brasileiro tenha morrido após uma sessão de jogos eróticos que envolveu a asfixia sexual. Segundo a esposa de Alexandre disse à polícia, ela não havia passado o fim de semana em casa.

A mulher disse ainda que o marido tinha um relacionamento extraconjugal com outro homem. Uma investigação sobre o crime foi aberta, mas a previsão é que a autópsia só fique disponível em até 60 dias.

Brasil vai produzir Truvada, medicamento que previne HIV.




O Farmanguinhos, laboratório que pertence à Fundação Oswaldo Cruz do governo brasileiro, vai passar a produzir o medicamento indicado para a prevenção do HIV, conhecido como Truvada. Combinação dos antirretrovirais Emtricitabina e Tenofovir, o remédio será preparado dentro de uma Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) com as empresas Blanver e Microbiológica.

Em 2017, na primeira compra do medicamento, o Ministério da Saúde anunciou que seriam gastos US$ 1,9 milhão na aquisição de 2,5 milhões de comprimidos. A quantia seria suficiente para atender uma demanda de cerca de 7 mil pacientes. A pasta estima que, com a produção nacional, o número de pessoas atendidas poderá ser ampliado. A expectativa é de que o produto feito pela PDP passe a ser fornecido para o Sistema Único de Saúde (SUS) no segundo semestre.

O Truvada começou a ser distribuído este ano em alguns serviços de referência do SUS dentro da estratégia de terapia pré-exposição (PrEP), em que pessoas saudáveis tomam o medicamento não para tratar a doença, mas para se proteger da infecção.

A PrEP está disponível só para homens que fazem sexo com homens, transexuais, profissionais do sexo e casais sorodiscordantes (quando um tem HIV e o outro não). Somente pessoas acima de 18 anos e que não têm HIV, mas que querem se proteger do contágio, podem tomar o medicamento. A indicação, entretanto, é que preservativos continuem a ser usados.


Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...