Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Ministro Gilmar Mendes atribui prisão de Lula pelo PT privilegiar “pessoas do movimento LGBT”.


Minitro do STF Gilmar Mendes


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes culpou a escolha de militantes da comunidade LGBT, entre outros movimentos, pelo PT em detrimento da composição da corte do STF para barrar a prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, expedida na última quinta-feira (05) pelo juiz Sérgio Moro por lavagem de dinheiro e corrupção passiva no caso do triplex do Guarujá.

De acordo com Mendes, “em vez de pensar em uma composição da corte [o STF] dentro dos padrões técnicos e jurídicos, privilegiou-se a escolha de pessoas ligadas aos movimentos LGBT, ao MST, basistas e coisas desse tipo. O resultado está aí, é esse direito penal totalitário”, disse à coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

O ministro ainda completou: “A prisão de Lula é absurda, fruto do autoritarismo desse punitivismo processual hoje em voga no país. Os recursos [que Lula pode apresentar à Justiça] ainda não se esgotaram e já se precipita a prisão!”

Apesar de não cumprir o prazo dado por Moro de se entregar até a sexta-feira (07), Lula decidiu se apresentar à Polícia Federal no sábado (07). Agentes o levaram em comboio até a superintendência para fazer o exame de corpo de delito e seguiu a um heliponto, para pegar um helicóptero até o aeroporto de Congonhas, onde pegou um avião até Curitiba, sede da PF, na qual está recluso em uma sala especial, por causa do cargo que ocupou.

Governador Geraldo Alckmin veta projeto contra homofobia nos estádios de SP.


O governador de São Paulo Geraldo Alckmin


O governador de São Paulo Geraldo Alckmin vetou nesta semana, o Projeto de Lei nº 1100/2017 que propunha punição a torcedores e clubes que reproduzissem atos de homofobia dentro dos estádios durante jogos de futebol.

O parlamentar explicou que o motivo pelo qual decidiu barrar o texto foi que o artigo 243-G, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva proíbe quaisquer atos discriminatórios como racismo entre outros. Mesmo sem citar o preconceito contra LGBTs ele acredita que o mesmo contempla o tema.

De autoria do Deputado Estadual Edmir Cheined (DEM-SP), o PL visava proibir de maneira mais específica episódios de racismo e homofobia sofrida por torcedores e jogadores nos estádios de São Paulo, através de penalidades.

Pela terceira vez, bar LGBT de Salvador sofre ataque homofóbico.


Bar LGBT Caras e Bocas em Salvador


O bar Caras & Bocas, dedicado ao público LGBT e localizado no centro de Salvador foi alvo, pela terceira vez, de um ataque supostamente por motivação homofóbica na noite do sábado (07). Em seu perfil no Facebook, Marcos Borges, intérprete da drag queen Nina Codorna, que estava no local no momento do ocorrido, afirmou que o estabelecimento foi atingido por um bloco de concreto no telhado, jogado por uma pessoa, moradora do prédio vizinho.

“Uma pessoa que atira um bloco de concreto do alto de sua janela, ela não quer apenas quebrar apenas um telhado de um estabelecimento. Ela quer machucar quem está abaixo dele. Ela quer matar!”,  escreveu em um post nas redes sociais.

Ainda segundo Borges, os destroços atingiram ele e outras pessoas que estavam presentes na frente do bar. A publicação alega saber de qual janela o tijolo foi arremessado e o caso foi relatado à polícia, porém, o performer diz que nada foi feito. “Vai precisar alguém ficar ;gravemente ferido ou MORRER para tomarem alguma atitude?”, questionou.

Os atentados não pararam por aí, após jogar o bloco de concreto, do mesmo local foram arremessados sacos com gelo ao grupo atingido que começou um protesto contra a agressão. “Não é possível que um homofóbico, assassino em potencial saia impune e não possamos fazer nada, temos que esperar alguém se machucar feio ou morrer para que uma denuncia mais concreta seja feita?”, completou.

Cinco acusados do assassinato da travesti Dandara são condenados em Fortaleza.


A travesti Dandara dos Santos brutalmente assassinada em Fortaleza


Um ano depois de a travesti Dandara dos Santos ter sido torturada e assassinada de maneira brutal em fevereiro de 2017, cinco dos oito acusados de serem os autores do crime foram condenados nesta sexta-feira (06), em Fortaleza.

O julgamento aconteceu no 1º Salão do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, na capital cearense, e teve início às 9h46 desta quinta-feira (05) e durou cerca de 14 horas e 45 minutos terminando por volta de 0h30, desta sexta-feira (06).

Todos os réus julgados confessaram participação na morte, mas disseram não ter intenção de matá-la, e receberam sentença por crime triplamente qualificado de motivo torpe (LGBTfobia), meio cruel e sem chance de defesa da vítima. Enquanto executavam Dandara, um dos envolvidos filmou o crime com um celular e as imagens foram compartilhadas nas redes sociais.

As penas entretanto foram individualizadas de acordo com a participação de cada um no crime. Francisco José Monteiro de Oliveira Junior foi condenado a 21 anos em regime fechado por atirar em Dandara. Jean Victor Silva Oliveira teve pena de 16 anos por usar a tábua no espancamento.

Já Rafael Alves da Silva Paiva e Francisco Gabriel dos Reis cumprirão pena de 16 anos por terem agredido Dandara com chutes e chineladas, respectivamente. E Isaías da Silva Camurça foi punido com 14 anos e 6 meses por ter dito frases ofensivas à vítima durante o ataque. As defesas de Jean e Rafael vão recorrer da decisão por acreditarem que a participação de ambos não foi determinante para a morte de Dandara.

Jovem agredido em Araras (SP) diz ter sido vítima de homofobia.




Um jovem gay morador de Araras, município localizado há 167 km da capital São Paulo, alega ter sido agredido por seis homens durante o retorno para casa, na madrugada da última segunda-feira (02). A vítima, que preferiu não se identificar, acredita que o crime tenha motivação homofóbica.

Após o episódio, os suspeitos fugiram e ainda não foram identificados. O rapaz, de 22 anos, registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) na Polícia Civil local, que irá investigar o caso, que foi relatado pela vítima em seu perfil no Facebook e até agora o post já ultrapassa mais de 1,7 mil curtidas e 400 compartilhamentos.

“Fui pego de surpresa com um soco no nariz, vários chutes e pauladas. Me agrediram até eu entrar no hospital”, relatou ele que foi espancado em frente a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).



Jovem de 22 anos foi agredido por seis homens em Araras (SP)


O estudante sofreu uma fratura no nariz, além dê luxações nos olhos, constatadas após a realização do exame do corpo de delito. “Estou com medo de sair na rua e de entrar em contato com outras pessoas a não ser do meu círculo social. Estou indignado e meus familiares estão sofrendo muito”, lamentou.

Gays são assaltados em falsos encontros do Grindr no Piauí.




Vários homens gays de Teresina, no Piauí, relataram ser vítimas de assaltos após marcarem encontros no Grindr. Em um golpe que está se tornando muito comum no qual criminosos se passam por supostos interessados e agem ao chegar no lugar marcado.

De acordo com a Associação de Defesa de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros que denunciou o fato, tudo é feito através de uma quadrilha que se aproveitam da vulnerabilidade dada pelos aplicativos para fazerem os seus alvos que levam celulares, dinheiro, joias entre outros pertences.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...