Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR


O Negão Marrento


Vou compartilhar com vocês mais uma experiência sexual minha, darei o nome fictício a ele de Fabiano. Pois bem, ele é um negro alto cerca de um metro e oitenta de altura deve pesar cerca de oitenta e dois Kilos, braços longos musculosos, peito definido naturalmente, pernas bonitas com coxas grossas, cabelo liso raspado na maquina e cara de macho marrento. Enfim um tesão.
A primeira vez que o ví chamou minha atenção, ainda mais que ele costuma andar com trajes esportivos bermudas e camisetas cavadas sem mangas, que deixam seu corpo à mostra. Porém, como ele anda sempre com o semblante e a cara fechada fiquei na minha de inicio, mais preparei o terreno para uma investida futura.
Um belo sábado à tarde estava eu de role no Jardim Aurora quando vejo o Negrão subindo a Avenida Nordestina. Mais que depressa, peguei um cigarro, saí do bar que estava com o pretexto de fumar e fiquei fitando o negrão que vinha em minha direção.
Ele percebeu que eu o olhava, se aproximou de mim e serrou um cigarro, que eu prontamente dei. Puxei papo dizendo que estava quente o tempo e ofereci um copo de cerveja pra ele, que prontamente aceitou. Entramos no bar, sentamos à mesa que eu ocupava e ele me falou que queria tomar uma quente. Pedi uma “Cinquenta e Um” para ele e ficamos por ali conversando. 

Como já estava eu com um tesão recolhido no negrão, o convidei a irmos até minha casa. Ele aceitou, pois não era bobo nem nada já sabia onde isto iria dar,(risos). Paguei a conta no bar e seguimos para casa. Fizemos uma pequena caminhada até chegarmos e viemos conversando. Já em minha casa, ele pediu para tomar um banho, pois estava suado e eu indiquei o banheiro a ele e fiquei à porta apreciando aquele homão nu sob o chuveiro na minha frente.

Deliciosa barriga definida, musculosas pernas bem torneadas, bunda arrebitada muito gostosa. Desligou o chuveiro e veio se enxugando até o meu quarto. Deixou bem claro para mim que não era viado, que não dava que era sujeito homem. Deitou-se de barriga para cima em minha cama e mandou que eu tirasse minha roupa. Obedeci prontamente. Ele me puxou pela mão sobre seu peito e beijou a minha boca e deslizou minha cabeça em direção ao seu pau para que eu o chupasse.


Comecei a chupar sua rola que estava flácida ainda e ela foi crescendo em minha boca. Notei que não era muito exagerada - uns dezesseis centímetros, porém grossa e gostosa de mamar.
Fiz uma gulosa bem molhada para Fabiano e ele gemia e se contorcia na cama. Estava louco de tesão. Me pegou e me virou de bruços na cama. Abriu minha bunda, cuspiu no meu cuzinho e começou a enfiar os dedos falando que minha bunda era lisinha e meu cu apertadinho, que ele iria lacea-la, enquanto mordia meu pescoço e orelhas com aquele hálito quente, com aquela barba por fazer e aquela voz grave me chamando de vadia que me fazia delirar de excitação.
Ele me virou de peito para cima encaixou a cabeça do seu pau no meu ânus e tentou me comer de frango assado, sem camisinha, quando eu retirei um preservativo e dei a ele para que encapasse a sua rola. Ele fez uma cara de que não gostou e me falou que não gostava de usar camisinha que queria me pegar no pelo mesmo. Mas colocou o preservativo mesmo assim, e enfiou seu pau na minha bunda até o talo.
 
Nossa, que delicia! Ele começou a bombar a rola no meu ânus e beijando a minha boca, com estocadas firmes e vigorosas enquanto olhava no fundo dos meus olhos e me chamava de viadinho filho da puta que gostava de dar pra negrão. Ficamos assim uns dez minutos e ele adorando a posição e o fato de estar dominando a cama e a mim.
Fabiano marrento se levantou da cama arrancou a camisinha do pau dele e falou que não gostava de usar camisinha que queria sentir a temperatura do meu cu. Colocou-me de quatro na cama e enfiou sua rola em minha boca de uma vez, até engasguei não tive a chance de dizer nada.

Ele socava a rola em minha boca e dava tapinhas em minha cara, e enfiava os dedos em meu cu me chamando de viadinho gostoso. Puxou-me de quatro para os pés da cama e meteu aquela rola preta grossa e gostosa no meu cuzinho, com a promessa de que não iria gozar dentro. O negrão tem uma pegada da porra socava a rola sem dó no meu rabo e nada de gozar, só falando putaria e dando tapas que estalavam na minha bunda. Depois deitou-se na cama e me fez sentar na rola dele e ficar quicando. Aproveitei então e comecei a me punheta e a morder a rola dele com meu cu. O mano pirou de tesão e sentí o pau dele inchar e latejar. Tirei a bunda de cima da sua rola e sentir aquele jato quente no meu cu e ele urrando e gemendo como um animal.


Virou-me de vez na cama e reintroduziu de vez sua rola em minha bunda e terminou de gozar abraçado a mim com força que eu não conseguia nem me mexer sob o corpo dele.
Quando ele meteu o pau novamente no meu cu eu não aguentei e gozei quando senti aquele jato de porra quentinho em meu rabo. Foi uma delicia de trepada!

Desde então o negrão é habitué na minha cama. Uma noite destas apareceu e dormimos juntos ou seja me fodeu até umas cinco horas da manhã,(risos).

Comentem, espero que tenham gostado.
Autor: Black Panther ZL ~ Masculino ~ 35 anos

Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...