Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Russos Homofóbicos criam site para Torturarem Gay no estilo Jogos Mortais!




Um site encorajando as pessoas na Rússia a revelar as identidades das pessoas LGBTQ para torturar é um “jogo” inspirado em um filme de terror.

O site é chamado Saw, em homenagem à franquia Saw Movie, e é chamado de  “Chechnya’s Comeback”.

Foi lançado este ano, e já tem pelo menos três homens que foram violentamente atacados como resultado.

As três vítimas estão falando através da Rede LGBT da Rússia para compartilhar suas histórias, dizendo que provavelmente há mais homens que foram alvos, mas têm medo de se identificarem.

Os usuários “relatam” pessoas suspeitas de serem homossexuais, fazem upload de fotos e enviam informações pessoais, identificando detalhes sobre como encontrá-las.



Os fundadores do site esperam compilar um banco de dados de pessoas LGBTQ no país, completo com endereços.

E de alguma forma fica ainda pior.

Os visitantes do site poderão pesquisar no banco de dados por 200 rublos russos (cerca de US $ 3,25).

As pessoas que estão no banco de dados também poderão ter suas informações removidas por uma taxa de 1.500 rublos russos (cerca de US $ 24).

O site descreve a configuração como um “jogo” que está previsto para acontecer no mês de maio em Ufa, sudeste da Rússia.

Desde que foi descoberto, o acesso ao site foi bloqueado, mas continua sendo discutido nas mídias sociais, fazendo com que muitos temam que os ataques continuem.

“Isso é aterrorizante. Eu nunca vi nada assim. O assassinato e a tortura de gays chamam isso de jogo ”, disse Mikhail Tumasov, presidente da Rede LGBT da Rússia.

“É a primeira vez que vemos uma abordagem organizada da violência homofóbica, é muito perigoso”.

Ele adicionou este aviso:

“Tenha muito cuidado com os convites on-line até o momento, certifique-se de ter um amigo vindo com você se estiver conhecendo alguém on-line pela primeira vez.”

A violência tem crescido na região desde o ano passado, com a chamada “eliminação antigay” da Chechênia causando uma perseguição generalizada.

Primeira edição da “Parada Ex-Gay e Ex-Trans” reúne cerca de 36 pessoas.




Aconteceu no último sábado (05/05), em Washington, capital dos Estados Unidos, a primeira edição da “Parada Ex-Gay e Ex-Trans”. Com o slogan “Liberdade para homossexuais e transgêneros que podem ser libertados desta vida pelo poder de Jesus”, a parada, criada pelo grupo “Voice of the Voiceless”, reuniu apenas 36 pessoas.

O convite convocava todos que se sentiam obrigados a aceitar LGBTs, dizendo que pessoas ex-gays e ex-trans eram tratadas com preconceito pela comunidade gay. Um dos motes do protesto seria para lutar pelo direito de se realizar a tal da “cura-gay”. Um dos convidados especiais do evento foi ninguém menos que Luis Ruiz, um dos sobreviventes do atentando na Boate Pulse, em Orlando.

“É uma nova oportunidade para os que acreditam em Jesus, em seu amor e graça, e uma oportunidade aos que procuram a mudança através do poder de Deus”, disse Daren Mehl, organizador da marcha, e presidente do grupo religioso “Voice of the voiceless”.

Primeira ministra LGBT da Sérvia rebate comentário homofóbico de colega.


Primeira ministra da Sérvia Ana Brnabic


Primeira política da Sérvia a se assumir lésbica, a primeira ministra Ana Brnabic, que quando eleita afirmou que não iria levantar bandeira pelos direitos LGBTs, se mostra controversa em algumas situações como ao defender a representatividade da diversidade sexual em livros infantis dedicados a crianças na Croácia.

Na semana passada, Nenad Popovic, um do ministros do país criticou a decisão do país de utilizar uma obra didática que continham fotos com várias configurações de família, incluindo a homoafetiva. “Enquanto lutamos pra aumentar a natalidade do país, importamos livros com imagens gays da Croácia para crianças! Isso precisa parar imediatamente!”, disse ele em um post no Twitter. “Precisamos parar de achar normal ensinar que é ok Roko ter duas mães e Ana ter dois pais!”, completou em outra publicação.

Questionada sobre o assunto em um programa da radio B92, no qual concedeu uma entrevista, Brnabic rebateu: “O papel deste ministro é ter certeza que Stefan, Milos, Roko e qualquer criança continue vivendo bem na Sérvia ao invés de se preocupar sobre quem seus pais são! Esta atitude não representa a tolerância que o governo da Sérvia quer promover”, disse.

“Não existe qualquer relação entre baixa natalidade e alguém ser gay. Gays também tem órgãos reprodutores e ninguém pode decidir ou obrigar alguém a ter crianças ou não, independente de ser gay ou hétero!”, completou ela acrescentando que irá escrever.

Pastor gay lança candidatura inédita no Paraná: “Não quero ver ninguém passar pelo que eu passei”.




Aos 30 anos de idade, o pastor evangélico Cristoffer Zilotti, que é gay assumido, passou a integrar a lista de candidatos LGBTs e anunciou que será candidato ao cargo de deputado estadual nas eleições deste ano no Paraná.

“A gente vê muitas vezes a bancada tradicionalista evangélica falando que está para lutar para o povo, mas nós não vemos pautas de segurança. Vemos LGBTs sendo mortos todos os dias, a todo o momento. Trans assassinadas. Nós queremos trabalhar a igualdade”, afirmou o deputado, filiado ao PSB-PR (Partido Socialista Brasileiro). Com isso, Cristoffer será o primeiro “pastor gay” a lançar uma candidatura no país.

Vítima de preconceito, ele garante que sua candidatura é para sair em defesa dos LGBTs. “Eu sofri muito e não quero ver ninguém passar pelo que eu passei”, conta o deputado. Cristoffer é formado em Teologia, Comércio Exterior e atualmente estuda Psicologia. Ele é fundador da ‘primeira Igreja da Teologia Inclusiva de Curitiba’, a Comunidade Cristã Abraça-me. O pastor tem causado polêmica por aliar o discurso evangélico ao ativismo gay, defendendo que a Bíblia não condena o amor e que Deus não se importa com gênero e sexualidade.

Estudante da Uerj desaparecido foi executado, diz polícia.


Matheus Passarelli Simões Vieira, de 21 anos, identificava-se tanto com o gênero masculino quanto com o feminino, e era ora chamado de Matheus, ora de Matheusa.


Matheusa, o Matheus Passarelli Simões Vieira, de 21 anos, se identificava tanto com o gênero masculino quanto com o feminino e existe a suspeita de que o crime foi motivado por LGBTfobia.

O estudante da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) Matheus Passarelli Simões Vieira, de 21 anos, desaparecido desde o dia 29 de abril, foi assassinado numa favela da zona norte do Rio de Janeiro, confirmou a Polícia Civil nesta segunda-feira, 7. O corpo dele teria sido queimado por traficantes de drogas. O rapaz havia saído sozinho de uma festa no bairro do Encantado, na zona norte, e não deu mais notícias.

Segundo Gabriel Passarelli Simões Vieira, irmão de Matheus, o rapaz foi procurado essa semana por amigos, que espalharam cartazes na região do desaparecimento e criaram uma campanha nas redes sociais em busca de informações, com a hashtag #CadeMatheusPassarelli. Ele era aluno de Artes Visuais da Uerj e também estudava na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Identificava-se tanto com o gênero masculino quanto com o feminino, e era ora chamado de Matheus, ora de Matheusa. Existe a suspeita de que o crime foi motivado por LGBTfobia.

A Delegacia de Descoberta de Paradeiros, que investiga o caso, informou que Matheus foi assassinado na própria madrugada do dia 29, ao sair de uma festa no Morro do 18. O autor do crime ainda não foi identificado, tampouco a motivação ainda segundo a polícia. O corpo foi localizado. Mas a polícia não informou se estava carbonizado. “Não há outras informações passíveis de divulgação sem que as diligências sejam prejudicadas”, divulgou.

A família é de Rio Bonito, no interior do Rio. Matheus e Gabriel se mudaram para a capital para estudar. Gabriel cursa Terapia Ocupacional na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A Pró-Reitoria de Políticas Estudantis da UFRJ havia manifestado sua atenção ao caso na semana passada, afirmando, numa nota oficial, que “por sua identidade LGBTQ, população comumente exposta a violências, o desaparecimento de Matheusa, como também é conhecida(o), inspira-nos reforçada preocupação.”

O irmão escreveu um texto emocionado no Facebook, publicado no domingo, 6, em que diz que Matheus foi a pessoa que mais amou em sua vida. “Sobre seu corpo, também segundo informações colhidas pela DDPA, foi queimado, e poucas são as possibilidades de encontrarmos alguma materialidade, além das milhares que a Matheusa deixou em vida, e que muito servirão para que possamos ressignificar a realidade brutal que estamos vivendo”, diz o texto, que menciona a produção artística do estudante.

“Infelizmente, as últimas informações que chegaram até nós e até a instituição pública que está desenvolvendo o processo de investigação demonstram diferentes faces da crueldade a qual estamos submetidos”, lamentou. “E, ‘se tiver que existir uma dicotomia entre o amor e ódio, eu escolho o amor’, nesse momento, continuo escolhendo o amor, pois sei que como essa frase, minha irmã escreve isso nos corpos de todos que já foram e ainda serão atravessas pela existência da MATHEUSA”.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...