Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Casal gay fica gravemente ferido após ser violentamente agredido na Rússia.




Não demorou muito para acontecer o primeiro ataque homofóbico durante a Copa do Mundo na Rússia. Um casal gay de turistas franceses foi violentamente agredido, após pegar um táxi em São Petsburgo.

Além de roubar os celulares e carteiras dos homens, os agressores os deixaram cruelmente feridos. De acordo com o Gay Times, uma das vítimas ficou com uma fratura na mandíbula, um possível dano cerebral e uma lesão craniana. Os russos Ismet Gaidarov e Rasul Magomedov foram presos como suspeitos do crime.

O motivo pelo qual o casal visitava o país não foi divulgado, porém acredita-se que eles foram acompanhar os jogos da Copa do Mundo, que teve início nesta quinta-feira (14/06).

Ativista de direitos LGBT é detido em Moscou ‘por protestar durante a Copa’.




Um ativista de direitos da comunidade LGBT foi detido em Moscou, na manhã desta quinta-feira, após realizar um protesto em uma praça da capital russa. O britânico Peter Tatchell foi levado por agentes russos a horas da abertura do Mundial.

Segundo a rede “Sky Sports”, Tatchell foi detido pelo que a polícia da Rússia considerou ser um protesto ilegal. Sozinho, o britânico tentava chamar a atenção para abusos contra os direitos humanos de gays na Chechênia perto da turística Praça Vermelha.

A agência russa “Interfax” informou que a polícia russa confirmou que vai acusar formalmente o britânico por quebrar a lei durante eventos públicos.

O perfil do ativista destacou às 11h05 (horário de Brasília) que Tatchell foi liberado sob fiança. Levado à delegacia de Tverskaya, ele foi tratado bem.

“Obrigado por todo o apoio. Vamos relembrar a situação horrível dos LGBT na Rússia e na Chechênia”, lê-se no Twitter do ativista.

Um repórter da agência Reuters que estava no local viu quando um policial se aproximou do ativista. Ele teria avisado ao manifestante que era ilegal promover protestos do tipo durante a Copa do Mundo. O britânico teria recebido um ultimato: ou parava ou seria detido.

Depois de uma “longa conversa”, o ativista foi escoltado até uma viatura policial estacionada na praça.

Ativista é abordado por policial durante protesto



No ano passado, o jornal “Novaya Gazeta” reportou que mais de cem gays foram detidos e torturados em territórios russos.

O líder da Chechênia, Ramzan Kadyrov, nega abusos contra homossexuais, até porque, segundo ele, não há gays na região.

Casal de lésbicas comete suicídio junto a filha de três anos: “O mundo não nos deixa viver”.




Uma triste notícia estampou os noticiários da Índia. O casal de lésbicas formado por Asha Thakor, de 30 anos, e Bhavna Thaor, de 28, que vivia na região de Ahmedabad, cometeu suicídio junto da filha de uma delas, uma criança de apenas 3 anos.

Em uma carta deixada pelo casal antes da tragédia, elas escreveram que “se distanciaram do mundo para se unirem, mas o mundo não as deixava viver”. “As duas mulheres se suicidaram devido a complicações decorrentes de seu relacionamento lésbico”, disse autoridades locais. Segundo informou o jornal Deccan Herald, as duas deram um fim na em suas vidas por afogamento.

O casal teria se conhecido quando uma delas ainda era casada com um homem, com quem tinha a filha Megha de apenas 3 anos de idade.

Recentemente, a Índia a homossexualidade da lista de doenças pela comunidade psiquiátrica do país. No entanto, na seção 377 do código penal indiano, ser gay é expressamente proibido.

Câmara do DF derruba veto à lei que cria ‘Estatuto da Família’ e exclui casais LGBT.


CLDF derruba veto à lei que cria 'Estatuto da Família' e exclui casais LGBT


A Câmara Legislativa do Distrito Federal derrubou, nesta terça-feira (12), o veto ao projeto LGBTfóbico de lei que cria um “Estatuto da Família” para a capital. Aprovado em 2015, o texto gerou polêmica porque define família como “a união entre um homem e uma mulher”.

O projeto foi vetado na íntegra pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB), ainda em 2015. Nesta terça, o governo reafirmou o entendimento do veto e disse que a Procuradoria-Geral do DF vai analisar “as medidas cabíveis”.

Com a derrubada, o texto entra em vigor assim que for promulgado no Diário da Câmara Legislativa do DF – o que deve acontecer nos próximos dias.

A partir daí, se quiser contestar a lei, o governo, o MP ou alguma entidade terá de entrar na Justiça com uma ação de inconstitucionalidade.

O que diz o texto?

Além da definição preconceituosa de família, o texto prevê que o governo deve garantir “condições mínimas de sobrevivência” à entidade familiar, com políticas de segurança alimentar, acesso à educação e à cultura e combate à violência doméstica, excluindo pessoas LGBT.

O texto também “assegura atenção integral à saúde dos membros da entidade familiar”, pelo SUS e pelo programa Saúde da Família.

Em outro artigo, diz que os currículos do ensino fundamental e médio do DF devem ter, como componente, a disciplina “educação para a família”. As escolas deverão, ainda, formular e implantar “medidas de valorização da família no ambiente escolar”.

Na justificativa do projeto de lei – um texto de apoio que é protocolado junto à proposta –, Delmasso, o deputado pastor que propôs semana hétero no DF e que já teve relações com outro homem, diz que a família “vem sofrendo com as rápidas mudanças ocorridas em sociedade”.

O veto do governo

Na época do veto, em setembro de 2015, o Palácio do Buriti apontou dois “níveis” de inconstitucionalidade – um ligado à definição de família, e outro, ao restante do estatuto.

Segundo o governo, a definição do “conceito de entidade familiar” é matéria de direito civil e, por isso, deve ser discutida no âmbito federal. Em 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu como entidade familiar a união estável entre casais do mesmo sexo.

Os outros dispositivos do estatuto, diz o veto, afrontam a Constituição porque “estabelecem obrigações específicas” para secretarias, órgãos e entidades do governo do Distrito Federal. Neste caso, Rollemberg diz que há “vício de iniciativa” – ou seja, que apenas o governador poderia apresentar esse tipo de projeto.

Nesta terça, a Secretaria da Casa Civil reafirmou em nota o entendimento que os vetos baseados em inconstitucionalidade e derrubados pela Câmara “serão analisados pela Procuradoria-Geral do DF, e que tomará as medidas cabíveis”.

Na época da polêmica, o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto também disse ser contrário ao projeto. Segundo ele, o texto é uma “afronta direta” à decisão de 2011 da corte suprema.

“A redação do acórdão do STF é claríssima, não enseja nenhuma dúvida interpretativa. Já transitou em julgado, inclusive. […] Para mim, com todo respeito, foi uma afronta direta à decisão do Supremo e, por consequência, um desrespeito à Constituição Federal no tema”, declarou.

Conar dá parecer favorável à Natura após polêmica propaganda com beijo lésbico.




O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar), responsável por regular a propaganda no Brasil, deu parecer favorável à Natura na polêmica campanha do Dia dos namorados, que em uma das cenas do seu comercial, exibia um beijo entre duas mulheres.

As imagens foram alvo de ataques dos consumidores mais conservadores, que acharam a propaganda desrespeitosa por mostrar o beijo lésbico em qualquer horário na televisão. Segundo eles, crianças não estariam preparadas para ver tal manifestação de afeto.

A decisão do Conar, porém, foi unânime ao dar razão a empresa de cosméticos, alegando que a empresa é a favor da diversidade. “Mais difícil do que censurar a comunicação é escolher se queremos contribuir para a formação de indivíduos adaptados aos tempos em que vivemos, ou se preferimos criar indivíduos preconceituosos e magoados com as regras do sistema”, afirmou a relatora do Conar.

Relembre:



Travesti é baleada por agente penitenciário em Minas Gerais.




Uma travesti de 28 anos foi baleada na perna por um agente penitenciário em Montes Claros, no Norte de Minas, na madrugada desta sexta-feira (15/06). A ocorrência foi registrada no Bairro Monte Alegre; o agente foi detido e disse à polícia que o tiro foi acidental.

Para o G1, o agente contou que seguia pela Avenida Deputado Plínio Ribeiro quando parou com a motocicleta próximo a três pessoas, momento em que foi abordado pelas travestis que perguntavam se ele tinha dinheiro e tentaram assaltá-lo. Segundo ele, durante a confusão, elas tentaram pegar a arma que estava na cintura e ao levar a mão para se proteger, o revólver disparou acidentalmente atingido uma das travestis.

A travesti que foi baleada deu outra versão sobre o caso, de acordo com o boletim de ocorrência. Ela afirmou ter sido contratada para um programa e seguiu junto com o agente para um lugar afastado. Após manterem uma relação sexual, segundo a travesti, o agente sem motivos aparentes atirou e fugiu em uma motocicleta.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e socorreu a vítima, e a levou até um hospital da cidade. A unidade hospitalar informou que ela recebeu alta ainda durante a madrugada.

Em nota, o Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária no Norte de Minas, esclareceu que o agente possui boa conduta profissional e nunca se envolveu em questões relacionadas a crimes. O sindicato disse ainda que ele foi vítima de uma tentativa de assalto cometida pela travesti e está sendo vítima de calúnia diante das “declarações expostas no boletim de ocorrência”.

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) informou que o agente não estava em horário de trabalho durante a ocorrência e disse que não vai divulgar informações sobre o histórico profissional do servidor até que os fatos sejam esclarecidos pela Polícia Civil, responsável pela investigação.


Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...