Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR


O Perfil Secreto

 


Estava entrando no meu prédio (que é pequeno e não tem porteiro) quando ele passou me olhando muito. Enlouqueci com aquele homem de cavanhaque, cabelo bem curto, usando uma bermuda larga que mostrava umas pernas lindíssimas.

Ele deu mais alguns passos, parou e ficou me olhando. Entrei, deixei o portão aberto e segui até a portaria. De repente, olho pra trás e o vejo entrando e fechando o portão. Esperei, ele veio até mim, abri a porta da portaria, entramos, subimos o primeiro lance de escada, ele alisou minha bunda, parei, virei-me de frente pra ele nos beijamos ali mesmo.



Levei minha mão até seu pau enquanto o beijava, comecei a acariciar aquela rola que não parava de crescer em minha mão. Percebendo o perigo da nossa loucura, interrompi o beijo e, continuando com a mão naquele volume enlouquecedor, o puxei para terminarmos de subir até meu apartamento continuando com a mão onde estava.

Entramos, tranquei a porta com ele me agarrando por trás e enfiando a mão dentro da minha calça para alcançar meu cuzinho. Tentei pedir calma quando ele já começava a enfiar o dedo com muita volúpia.

Larguei a porta rebolando naquela dedada enquanto abria minha calça e ele mordia minha nuca. Estando com meu cuzinho todo exposto e bem empinado, ele se ajoelhou e começou a morder minha bunda enquanto me dedava. Gemi com aquelas mordidas fortes enquanto alisava sua cabeça. Ele caiu de língua no meu ninho de prazer levando-me à loucura. 

 

Eu abria minha bunda para que ele pudesse enfiar a língua ainda mais. O prazer era intenso. A sensação daquela língua quente e molhada me lubrificando era deliciosa. Ele se levantou, abriu a bermuda, virou-me de frente, colocou seu pau pra fora e puxou minha cabeça pra baixo até que enfiasse tudo em minha boca. 

 

Chupei com gosto enquanto ele enfiava o dedo na boca e já se preparava pra voltar a me dedar. Rebolava enquanto lhe ouvia gemer com minha chupada suculenta, mas ele interrompeu, fez força pra eu continuar naquela posição, foi pra trás de mim e enterrou tudo de uma só vez.

Gemi apertando seus braços, pedindo clemência, mas ele não me dava ouvidos e me maltratava de dor e prazer. Me fudeu na sala comigo curvado, com as pernas abertas levando rola com muita força e movimentos rápidos. Entendi que não adiantaria pedir carinho, deixei ele me maltratar, levei tapas nas costas, na bunda e na cabeça. Implorei que ao menos fôssemos para o sofá, até que ele começou a me forçar a andar naquela posição até alcançarmos o sofá, e sem tirar de dentro me fez deitar e largou seu peso em cima de mim enterrando tudo. 

 

Eu mordia a almofada, me contorcia de prazer, pedia pra ele meter tudo, pra não parar que estava uma delícia e ele parecia estar em outro mundo socando rola no meu rabo. Eu o olhava pelo espelho na parede e assistia aquele homem gostoso sobre meu corpo me fudendo deliciosamente. A imagem no espelho era linda e me dava ainda mais tesão quando ele subia e deixava sua rola aparecer um pouco e logo sumia novamente deslizando pra dentro de mim.

Pedi pra ele gozar logo, pois minha mãe já estava pra chegar e a porta estava aberta. Ele não me deu ouvidos e continuou me fudendo naquela posição. Comecei a ficar preocupado, voltei a pedir pra ele gozar e levei outro tapa, dessa vez na cara. Fiquei assustado, calei a boca e parei até de gemer. Ele começou a ficar ofegante, aumentou ainda mais seus movimentos e, sem anunciar, senti que estava gozando enlouquecidamente dentro de mim. Não parou de meter um só momento enquanto gozava e mordia minha nuca. Seus movimentos foram diminuindo até que ele tirou, levou o pau até minha boca e me fez mamar o resto de leite que ainda saía.

Subiu sua bermuda, caminhou até a porta, eu me vesti, abri a porta, desci com ele e o levei até o portão. Estando do lado de fora, ele se virou pra mim e falou:
- Sou um dos membros do “Contos Eróticos”, mas não quero dizer meu nick. Não quero que você nem ninguém me reconheça lá, pois não quero que saibam que comi o cu de um homem. Você me enlouquece com seus relatos e eu estava louco pra te fuder. Usei um msn que tenho e pouco uso e me tornei seu amigo, mas também não direi qual é meu msn por enquanto. Quem mandou tu abrir a webcam pra mim? O que você não esperava é que eu morasse tão perto, não é? E trate de contar nossa história rápido que eu vou querer ler e gozar. Se eu curtir o conto, a gente volta a se falar e combina uma parada legal na minha casa quando minha mulher estiver fora.
- Saiu sem se despedir.

Fechei o portão, voltei pra casa e me acabei numa punheta deliciosa. Será que ele volta a me procurar? Torçam por mim. Quero aquele homem.
Dang 
Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...