Slide 1 Slide 2 Slide 3

HOMOSSEXUALIDADE

Carência é uma falta. Uma vulnerabilidade. Uma fraqueza.




É um vazio bem no fundo do peito, seguido de mensagens desesperadas quando o outro não responde…

Carência é precisar de aprovação o tempo inteiro. É querer estar sempre acompanhado, mesmo que a companhia não seja lá das melhores.

É dizer adeus ao amor próprio. E também mandar lembranças para a autoestima.

É rastejar. É correr atrás. É se humilhar.

É se apaixonar com a velocidade da luz e botar em prática aquela antiga máxima do “não tem tu, vai tu mesmo”, porque no fim do dia o que importa mesmo é não estar sozinho.

Aliás, desespero é um sentimento que resume bem a pessoa carente: desespero por um abraço, por uma ligação e por alguém para, simplesmente, estar ali.

E como se tudo isso não bastasse, carência ainda é, muito provavelmente, o que está destruindo a sua vida amorosa.

Sim.

Aquele boy escroto por quem você foi perdidamente apaixonado não conquistou você com os bonitos gestos de carinho. Da mesma forma, o desaparecimento repentino daquele outro cara com que você estava saindo teve um porquê.

Você gostaria de ter um namorado mameluco por atenção?

Bingo! Eu também não!

Acredite: além de, vez ou outra, te impedir de fazer boas escolhas, a carência está acabando com todo o seu poder de atração.

É broxante mesmo. Não tem jeito. E você sabe disso.

Tá bom, eu sei que você já entendeu que é carente. E já entendeu também que isso tá fodendo a porra toda.

Mas a questão é: o que fazer para mudar?

Tanto prejuízo e você nem sabe ao certo por que age assim, não é mesmo?

Pois então, aí está o primeiro problema. Já aviso que será preciso investigar as raízes.

Esteja ciente de que (quase) tudo nesta vida tem uma explicação. E é importante que você descubra o que desencadeou a sua dependência emocional antes de procurar formas de combatê-la.

Até porque não se engane: não adianta buscar no colo de outro macho a solução para os seus dramas pessoais. Você poderá receber todo o carinho do mundo e esse vazio enigmático ainda continuará aí, como um buraco oco te consumindo por dentro.

Se tá difícil fazer essa autoanálise sozinho, a gente te ajuda. Provavelmente, você é carente por causa de um desses 6 motivos:




POR QUE EU SOU CARENTE?
6 RAZÕES PARA A SUA DEPENDÊNCIA EMOCIONAL

 #1. BAIXA AUTOESTIMA

Pessoas com baixa autoestima buscam no outro aquilo que não encontram em si mesmas.

Funciona mais ou menos assim: não estou feliz comigo mesmo, me sinto incompleto, frustrado e preciso de alguém para me tirar da fossa.

Daí, para quem tá com fome, qualquer comida serve…

#2. PAIS AUSENTES

A qualidade das relações primárias é o que determina a capacidade de alguém em dar e receber carinho na vida adulta.

Crianças que não tiveram atenção suficiente, ou foram rejeitadas e abandonadas, costumam sofrer de carência afetiva exatamente porque não aprenderam a receber carinho.

Isso acontece com frequência com homens gays rejeitados pelos pais na infância. Quando crescem, eles tentam suprir esse sentimento que fez falta lá atrás.

#3. PAIS INSEGUROS

A lógica aqui é simples: em uma casa onde as pessoas são autoconfiantes, a criança cresce com uma visão positiva sobre ela e sobre a vida. Da mesma forma, uma família com pais inseguros pode criar filhos com problemas de autoestima e, consequentemente, carentes.

#4. PAIS INCONSTANTES

A carência também pode ser fruto de uma criação por pais inconstantes, ou seja, que variam muito de comportamento e de nível de comprometimento com o filho.

Se a mãe um dia era carinhosa e, no outro, fria, a criança se torna ansiosa, pois nunca sabe o que esperar do outro. E mais: nunca tem certeza se o outro estará, de fato, presente ou não. Daí, claro, na vida adulta, acaba se tornando alguém inseguro, ciumento, possessivo e grudento.

#5. PAIS SUPERPROTETORES

Nem só de falta de carinho e atenção na infância é feita uma pessoa carente…. É comum que quem foi superprotegido e mimado quando criança continue exigindo muita atenção depois de adulto, afinal é algo com o qual sempre esteve acostumado.

Pessoas superprotegidas, sempre consideradas coitadinhas pela família, não foram estimuladas a acreditar que podem ser autossuficientes. Pelo contrário: cresceram pensando que não são capazes de fazer nada sozinhas. Nada mais natural que esperem e exijam muito dos futuros relacionamentos, não é mesmo?

#6. SITUAÇÃO TRAUMÁTICA

Há também o que os terapeutas chamam de carência momentânea. Nesse caso, o vazio emocional é causado por alguma situação pontual mais recente, que gerou algum tipo de trauma.

Exemplos: demissão do emprego, uma crítica muito violenta e inesperada, a morte de alguém próximo e etc.

Qualquer situação grave, que provoque angústia, leva ao desamparo. E uma pessoa desamparada tem maior tendência a se sentir carente.

Faz sentido para você?

Recapitulando:

#1. Baixa autoestima
#2. Pais ausentes
#3. Pais inseguros
#4. Pais inconstantes
#5. Pais superprotetores
#6. Situação traumática

Se identificou com algum dos motivos acima?

Muito bem!

Agora sim podemos ir para a parte prática da coisa e responder a pergunta título deste artigo: como deixar de ser carente.

TÉCNICAS EFICAZES PARA VENCER A CARÊNCIA AFETIVA 

Vamos lá, para começar, grave bem essa frase:

A sua carência não deve ser suprida. 
Deve ser curada.

Escreva num papel e pendure na frente do espelho, ou até na porta da geladeira se for preciso, mas não esqueça!

Todos somos inteiros, não precisamos de ninguém para nos complementar.

Você não é um quebra-cabeças cheio de pecinhas perdidas que serão, milagrosamente, encontradas no corpo de outra pessoa.

As peças estão todas aí dentro. Talvez só falte investir um pouco de esforço em rearranjá-las, para que tudo comece a fazer sentido.

É por isso mesmo que, para sair dessa, só quem pode te ajudar é uma pessoa.

Não, não é o príncipe encantado que vai vir montado em um cavalo branco. É você mesmo.

A chave aqui está no autoconhecimento.

Em reconhecer os seus defeitos, seus limites, e valorizar aquilo que se tem de melhor. Em entender o que, de fato, se está buscando, antes de sair caçando homem que nem louco.

E, principalmente, em amar a si próprio antes de amar qualquer outra pessoa, por mais clichê que isso possa parecer.

Mais alguns conselhos práticos:

SE OCUPE COM AS SUAS PAIXÕES

Pessoas interessantes são movidas por paixões. A paixão traz inspiração, traz entusiasmo.

Pode ser um hobby, pode ser um passatempo, uma atividade, ou um assunto qualquer. O que importa é ter um motivo pelo qual se motivar, uma razão para estampar um sorriso no rosto mesmo que o dia não seja tão bom assim.

Quem tem uma paixão, tem a força necessária para viver a vida plenamente.

Homens ocupados com suas paixões não têm tempo suficiente para serem carentes: eles estão sempre preocupados com outras coisas.

E adivinhe? São exatamente essas outras coisas que tornam esses caras muito mais interessantes como amigos e namorados.

TENHA OS PÉS NO CHÃO! 

Quando você conhece alguém e se conecta com ele, é muito fácil se empolgar na fantasia de que esse relacionamento será incrível. Só que junto com essas fantasias vêm grandes expectativas. E, sinto informar, quanto maior a expectativa, maior a frustração…

Por isso, deixe rolar. E seja realista.

USE A TÉCNICA QUID PRO QUO

Traduzindo do latim, “isso por aquilo”.

Sabe quando você está jogando tênis e dá uma raquetada na bola?

Então, você não atira mais um monte de bolas só para ter certeza de que o outro ainda está interessado em jogar, né?  Você espera que ele jogue de volta.

Se você é carente e não sabe controlar as suas emoções, passe a aplicar a mesma lógica com os homens que conhece:

Ele demora horas para responder? Você demorará também. Ele responde em 5 minutos? Você responderá também. Ele é carinhoso? Você poderá ser também.

Dificilmente, você e o cara que quer conquistar terão o mesmo nível de interesse um no outro. por isso, será sua missão “dosar” as suas investidas de acordo com as atitudes dele.

SEJA PACIENTE

Se você já entrou em contato (ligou, enviou e-mail, mensagem ou batuque de tambor), acalma-se! Não caia no erro de enviar uma mais, só para garantir que o outro recebeu.

Sempre que você tiver esse impulso de ser um mala e insistente, lembre-se dessas 3 possibilidade:

Ele ainda não viu a mensagem.
Ele está muito ocupado e vai retornar depois.
Ele não está a afim de falar com você. Ponto.
CONHEÇA MAIS HOMENS

Eu sei que seu objetivo pode ser namorar. E namorar é uma decisão que requer pensar não só com a cabeça de baixo… Escolher a pessoa errada poderá te trazer muita incomodação!

Então, pense comigo: como você acha que estará apto a escolher alguém para passar a vida toda ao seu lado, sem conhecer algumas outras opções antes?

É difícil…

Já te digo: a chance de se dar mal é bem alta.

Não tem jeito. A melhor maneira de encontrar o verdadeiro mozão é passar por algumas experiências (às vezes nem tão boas) e aprender muito sobre seus limites, seus gostos e o seu objetivo de vida.

Além de aumentar as suas probabilidades de sucesso, o fato de conhecer gente nova te deixará mais confiante e mais consciente de que não existe uma única pessoa no mundo capaz de suprir a sua carência.


Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...