Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Mulher transexual é queimada viva após resistir a tentativa de estupro coletivo.




Uma mulher transexual, cuja identidade não foi revelada, foi queimada viva por um grupo de homens, após a mesma resistir a uma tentativa de estupro coletivo por parte de seus agressores. O caso aconteceu na última quinta-feira (06/09) no Paquistão, e provocou uma manifestação organizada pela ONG Trans Action Pakistan.

De acordo com informações da imprensa local, a vítima foi levada para um lugar deserto no distrito de Sahiwal por quatro homens, que tentaram violentá-la sexualmente. Após a mesma resistir à tentativa de estupro coletivo, os criminosos atearam fogo contra ela, que teve 80% do corpo queimado. A mulher foi levada para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes de chegar à unidade de saúde. Os criminosos ainda não foram encontrados.

A transexualidade ainda não é bem aceita no Paquistão, por isso, pessoas transgêneros estão suscetíveis a atos de barbáries como o acontecido com essa mulher trans. No ano passado, o governo lançou uma série de iniciativas a fim de combater a intolerância aos transgêneros em diversas áreas essenciais da sociedade, como emprego, saúde, habitação e transporte público.

Ainda, o Paquistão passou a emitir seus primeiros passaportes com uma categoria “X” para gênero, que permite aos transexuais se identificarem com uma terceira categoria de gênero.

Justiça condena bloco EVA a indenizar folião em quase 20 mil reais por homofobia.


Bloco EVA 


O Juizado Especial da Bahia condenou a Estrada Velha Produções, responsável pelo Bloco Eva, a pagar uma indenização no valor de R$ 19.699,00 a um folião que sofreu agressões físicas e verbais de cunho homofóbico por seguranças, enquanto estava dentro das cordas durante a uma das passagens do trio no carnaval de Salvador deste ano.

De acordo com o site Bahia Notícias, a sentença estipulou uma multa no valor de R$ 4.699,00 de danos materiais e R$ 15.000,00 de danos morais o fisioterapeuta Roberto Santana que teve o seu abadá rasgado e o celular quebrado pelos agressores, que deu início a confusão ao dizer ter “nojo” ao vê-lo beijando outro homem.

Na sua decisão, a juíza Graça Marina Vieira da Silva entendeu que Roberto sofreu agressões por causa da sua orientação sexual e foi impedido de seguir o desfile após ser expulso do bloco. Durante o julgamento, os seguranças negaram os fatos e afirmaram que, na verdade, a vítima foi retirada do bloco por estar sem o abadá. Um vídeo do momento foi apresentado como prova no processo, que mostra o rapaz com a fantasia.

O grupo Eva indicou, por meio de nota, que respeita a decisão judicial e que juntamente com os seus advogados acompanharão os próximos passos do processo. “Com seus quase 40 anos de história, o Grupo Eva reitera que é a favor da igualdade e não compactua com nenhum tipo de manifestação de preconceito e violência de gênero, sempre agindo em estrito cumprimento às normas e à ética.”

Trans Miss Carey morre em SP vítima de tuberculose.




A transexual Miss Carey, que ficou conhecida por sua parceria com o canal Ezatamentchy, morreu na última sexta-feira, 14, em São Paulo.

De acordo com informações do site Guia Gay SP, Miss faleceu vítima de tuberculose. A idade da mesma não foi revelada pela reportagem.

Miss Carey começou a se tornar conhecida na noite LGBT por seu trabalho em uma boate em Brasília, na capital federal. Pouco tempo depois, com a ajuda do dono da Ezatamentchy, ela se mudou para São Paulo.

Torcedores cantam em Estádio de Futebol: “Toma cuidado, o Bolsonaro vai Matar Viado!”




O Atlético-MG emitiu na noite deste domingo nota de repúdio aos cantos homofóbicos de parte de sua torcida durante o empate por 0 a 0 no clássico desta tarde diante do Cruzeiro, no Mineirão. A manifestação do clube ocorreu via Twitter.

Os cantos de alguns atleticanos tornaram-se um dos principais assuntos nas redes sociais neste domingo, e o clube decidiu pronunciar-se sobre o assunto. Confira a nota:

“O CAM lamenta profundamente as manifestações homofóbicas de parte dos torcedores, no jogo deste domingo, no Mineirão. Reiteramos nosso repúdio a quaisquer gestos de preconceito ou de incitação à violência. A maior torcida de Minas é composta por pessoas de todas as classes sociais, raças e gêneros, não cabendo qualquer tipo de discriminação. Isso não faz parte da nossa gloriosa história! #TimeDeTodos”

No jogo do Mineirão, alguns torcedores atleticanos cantaram a seguinte música: “Ô cruzeirense, toma cuidado, o Bolsonaro vai matar viado”.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...