Slide 1 Slide 2 Slide 3

DIREITOS

Corpo trans é motivo de orgulho, afirma campanha de conscientização.


Diversos usuários compartilharam suas fotos com a hashtag "#MyTransBody" em prol da positividade do corpo trans


A hashtag "#MyTransBody" fez com que diversos usuários compartilhassem relatos honestos sobre superação e autoestima com relação ao próprio corpo

Além de sofrer com o preconceito, pessoas trans também precisam lidar com os dilemas da transição de gênero. Por isso, elas estão compartilhando fotos no Twitter com a hashtag “#MyTransBody” (“Meu Corpo Trans”, em tradução livre), em prol da conscientização do que elas passam e da celebração de seus corpos.

O objetivo da campanha é fazer pessoas trans e não-binárias se mobilizarem e mostrarem seus corpos com orgulho, já que vivem em um ambiente que faz com que elas se sintam envergonhadas por sua aparência. “Meu corpo trans tem curvas, uma barriga avantajada por ter carregado um bebê e cicatrizes”, escreve Julian Smith, um usuário que aderiu à campanha.

Uma das principais questões para homens trans é relacionada aos pelos faciais, que podem ser “colados” no rosto ou adquiridos por meio da terapia hormonal. “Eu ainda sou trans, mesmo não querendo mais grudar pelos na minha cara. Eu sou um homem, e é isso o que importa”, acrescenta Smith.




Mulheres trans também participaram e compartilharam suas insatisfações, como também seus motivos de celebração. “Eu não vi muita diferença desde o começo da terapia, exceto pelo fato de que eu tenho mais curvas. Mas sempre lembro de ter paciência comigo mesma, esse será o meu corpo pelo resto da minha vida”, afirma Gwen, mais uma a partipicar da campanha nas redes sociais.





Além de sofrer com o preconceito, pessoas trans também precisam lidar com os dilemas da transição de gênero. Por isso, elas estão compartilhando fotos no Twitter com a hashtag “#MyTransBody” (“Meu Corpo Trans”, em tradução livre), em prol da conscientização do que elas passam e da celebração de seus corpos.

Diversos usuários compartilharam suas fotos com a hashtag "#MyTransBody" em prol da positividade do corpo trans

O objetivo da campanha é fazer pessoas trans e não-binárias se mobilizarem e mostrarem seus corpos com orgulho, já que vivem em um ambiente que faz com que elas se sintam envergonhadas por sua aparência. “Meu corpo trans tem curvas, uma barriga avantajada por ter carregado um bebê e cicatrizes”, escreve Julian Smith, um usuário que aderiu à campanha.

Uma das principais questões para homens trans é relacionada aos pelos faciais, que podem ser “colados” no rosto ou adquiridos por meio da terapia hormonal. “Eu ainda sou trans, mesmo não querendo mais grudar pelos na minha cara. Eu sou um homem, e é isso o que importa”, acrescenta Smith.

Mulheres trans também participaram e compartilharam suas insatisfações, como também seus motivos de celebração. “Eu não vi muita diferença desde o começo da terapia, exceto pelo fato de que eu tenho mais curvas. Mas sempre lembro de ter paciência comigo mesma, esse será o meu corpo pelo resto da minha vida”, afirma Gwen, mais uma a partipicar da campanha nas redes sociais.

“Meu corpo é lindo. Eu não nasci no corpo errado. Eu me nego a odiar meu corpo por causa do padrão heteronormativo. Não preciso da cirurgia de redesignação sexual para ser uma mulher. Amo meus genitais. Não tenho um corpo masculino. Sou uma mulher trans não-binária”, desabafa Ashley, outra internauta participante.




Até mesmo pessoas cisgênero comentaram sobre a hashtag e manifestaram apoio à causa. “Como uma mulher cis, a campanha abriu meus olhos para a quantidade de pessoas trans e não-binárias que estão por aí. Muitas pessoas corajosas, que querem apenas viver a própria verdade. Desejo muito amor e respeito a vocês”, diz a internauta Izzy Rizinti. 

Os criadores da campanha de conscientização sobre o corpo trans.


Os criadores da hashtag sobre o corpo trans são um casal de ativistas, na produção de um filme sobre o assunto


Os ativistas Fox e Owl Fisher foram os responsáveis por lançar a campanha em celebração aos corpos de pessoas trans e não-binárias, de acordo com o site “Pink News”. A iniciativa faz parte de um projeto do casal, que vem produzindo o filme “My Genderation” desde 2012.

“É hora de celebrar o que nos faz ser trans, celebrar nossa diversidade, nossos formatos e tamanhos”, afirma Owl. “Não há nada errada em ser transgênero. O corpo trans é lindo, independentemente das normas culturais. As pessoas trans merecem amor e respeito”, finaliza Fox.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...