Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Parlamento do Uruguai aprova direitos a transexuais.




A Câmara de Deputados do Uruguai aprovou, em decisão histórica, a lei que garante uma série de direitos às pessoas transgêneros, na madrugada desta sexta-feira (19) quando o Projeto foi sancionado através de sessão tomada por aplausos dos presentes no Parlamento.

A medida tem o intuito de combater a discriminação contra travestis e transexuais, criando mais possibilidades de acesso a trabalho e moradia, obrigando os poderes Legislativo, Executivo e Judicial, governos departamentais, entidades autônomas e outras repartições públicas que destinem, por ano, 1% de vagas de emprego para esta parcela da população.

A legislação também estabelece facilidades para a mudança de nome das pessoas trans no Registro Civil. Com a presença da coalizão governamental Frente Ampla (FA, de esquerda), além dos representantes da oposição, a lei foi aprovada por 66 votos a 88.

O projeto, que já havia sido aprovado na última terça-feira (16), no Senado, agora será promulgado pelo executivo.

Polícia prende dois homens na Indonésia suspeitos de operar página LGBT.


Dois homens acusados de operar página LGBT são presos na Indonésia 


A Polícia da Indonésia prendeu dois suspeitos de operarem uma página no Facebook que promove encontros entre homossexuais e outros serviços relacionados a sexualidade, de acordo com o oficial sênior da província de Java Ocidental. As informações são do jornal Extra.

Os suspeitos foram enquadrados na lei de informações eletrônicas ao criar e transmitir conteúdo pornográfico, crime que pode levar até seis anos de prisão e multa de em torno de um bilhão de rupias (cerca de R$ 244 mil).

Os homens detidos são apontados como responsáveis por supostamente manter uma conta no Facebook intitulada “Gay Bandung Indonésia”, disponível na rede social desde 2015 e contava com cerca de 4.093 membros, segundo a polícia.

De acordo com a imprensa local, a prisão dos donos da página representam a primeira repressão policial contra grupos LGBT na internet. Apesar de não ser considerada crime, na Indonésia, exceto na província de Aceh, o território tem registrado um considerável aumento de ataques contra LGBTs.

Homofóbicos, Cabo Daciolo e Marco Feliciano batem boca na Câmara.


Cabo Daciolo e Marco Feliciano 


Os deputados federais Cabo Daciolo (Patriota-RJ) e Marco Feliciano (Pode-SP) bateram boca durante uma sessão plenária na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 17. A discussão foi presenciada pelo jornal Folha de S.Paulo.

O motivo da briga foi porque Daciolo chamou Feliciano de “maçom”, o que deixou irritado o parlamentar “ofendido”.

“Deus não falou que você ia ser presidente da República? O mesmo Deus que disse que ele ia ser Presidente da República disse a ele que eu sou maçom. Estou pedindo pra ele provar. Ele é tão menino, é tão calça curta que não presta nem para conversar”, afirmou Marco Feliciano.

“Tem envolvimento. O tempo vai mostrar. Ainda tem pomba gira também. Se liga. Vigia e ora. E vamos esperar para ver o que Deus vai fazer, rebateu Daciolo completando que “o povo não vai ser mais enganado”.

Os dois continuaram trocando acusações, chamando um ao outro de “falso profeta”. Feliciano pediu, ainda, para Cabo Daciolo “expulsar o demônio” e continuou xingando o ex-presidenciável de “criança, maluco, demente neurótico” e “desequilibrado”.

“Eu não sou maçom, mas se eu fosse, qual o demérito? Qual o problema”, questionou o pastor.

Vereador gay e negro, Fernando Holiday compara Ku Klux Klan à esquerda e vira piada na web.




Crítico ferrenho do PT e eleitor declarado de Jair Bolsonaro, o vereador de São Paulo, Fernando Holiday, ligado ao grupo de extrema direita Movimento Brasil Livre (MBL) tentou comparar a Ku Klux Klan à esquerda e acabou virando piada nas redes sociais.

Tudo começou após Holiday se incomodar com declaração de David Duke, ex-líder da KKK que disse simpatizar com Bolsonaro por enxergar nele “semelhanças” com as ideologias do grupo supremacista branco que teve origem nos Estados Unidos e ganhou destaque no período de luta da população negra norte-americana que reivindicava direitos civis.

Para Duke, Jair Bolsonaro “soa como nós”. “Ele [Bolsonaro] é totalmente um descendente europeu. Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França. E ele está falando sobre o desastre demográfico que existe no Brasil e a enorme criminalidade que existe ali, como por exemplo nos bairros negros do Rio de Janeiro”, disse Duke, que classifica Nelson Mandela, vencedor do Nobel da Paz como um “terrorista”.

Incomodado, Fernando Holiday disse que “o apoio da KKK a Jair Bolsonaro é uma carapuça que a esquerda não encaixa nele porque as semelhanças com a esquerda de Fernando Haddad são maiores. Ambos condenam Israel. Ambos pregam a divisão de um país. Ambos têm origem em partidos socialistas. Ambos são das sombras”.

Em outro post, o vereador alegou que “David Duke, o ex-KKK, na década de 1960 pertenceu ao Partido Nacional Socialista da América. E os ideias de ‘igualdade’ que pregavam são muito parecidos com os ideais fundantes do petismo e dos partidos que o apoiam”.

Após as declarações, o nome de Fernando Holiday chegou a figurar nos trending topics do Twitter.

“Bolsonaro recebe o apoio da KKK. O Fernando Holiday, como negro, em vez de se preocupar com o fato de que supremacistas brancos simpatizam com o coiso, passa o pano em ambos com revisionismo de botequim. O cara topa ser pano de chão de branco, deve se odiar muito. Fico com pena”, apontou um internauta.

“Agora para os seguidores do Coiso, a Ku Klux Klan também é de esquerda pois repudia Israel e prego ‘direitos humanos petistas’, segundo o vereador Fernando Holiday, o capitão do mato. A ignorância aliada à mentira como modus operandi é uma arte consumada”, disse outro;

“Após ex-líder da KKK elogiar Bolsonaro, Fernando Holiday disse que a Ku Klux Klan é de esquerda. Que a direita brasileira é completamente desonesta todo mundo sabe, mas chegar ao ponto de dizer que a Klan é de esquerda indica uma grave patologia. Holiday precisa de ajuda”, escreveu um terceiro.

Cinco pessoas são condenadas por agredirem jovem gay com lâmpada em SP.


Jovem foi vítima de ataque homofóbico na Paulista, em 2010


Cinco jovens sofreram condenações administrativas no processo envolvendo a agressão sofrida por um gay na Avenida Paulista, em 2010. Na ocasião, a vítima foi atacada com lâmpadas. O caso ganhou repercussão nacional.

De acordo com informações do jornal O Estado de S.Paulo, a pedido da Defensoria Pública de São Paulo, a Secretaria de Estado da Justiça e defesa da Cidadania condenou administrativamente os acusados a pagarem multa no valor de 1.000 Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de SP). Cada Ufesp vale R$ 27.50.

Em 2015 a Justiça de São Paulo condenou a nove anos de prisão Jonathan Lauton Domingues, acusado de participar do ataque que teve como alvo o homem gay Luís Alberto Betonio. Outras três pessoas participaram da agressão.

A condenação recém-proferida foi fundamentada na Lei Estadual nº 10.948 de 2001, que prevê punições administrativas para pessoas físicas e jurídicas por atos de preconceito motivados em decorrência da orientação sexual da vítima.

Transexual morre após ser esfaqueada por apoiador de Bolsonaro em Aracaju.


A mulher trans Laysa Fortuna morta após ser esfaqueada no tórax em Aracaju 


Uma mulher transexual morreu após ser agredida e esfaqueada na noite da última quinta-feira (18), no Centro de Aracaju, no Sergipe. Devido aos ferimentos, ela sofreu uma hemorragia e teve uma parada cardíaca no dia seguinte (19) e não resistiu durante tratamento no Hospital de Urgência Sergipe (Huse). As informações são do NLucon.

Segundo informações de testemunhas, Laysa Fortuna, de 25 anos, sofreu um ataque com o agressor, um morador de rua que percorria as ruas do centro da cidade ameaçando travestis através de motivação política, afirmando que caso Jair Bolsonaro fosse eleito presidente todas as trans seriam mortas. O acusado também costumava provocá-las exibindo as suas partes íntimas.

Na noite do ocorrido, o agressor tentou atacar um grupo de travestis que fugiram. Laysa tentou se defender de uma facada que seria desferida na região do seu peito, empurrando-o, mas não conseguiu desviar do golpe que atingiu o seu tórax.

Inicialmente, a vítima foi levada para o Hospital Municipal Nestor Piva, sendo transferida em seguida para o Huse. A assessoria de comunicação do centro médico confirmou que a transexual recebeu uma facada na região do tórax que provocou uma hemorragia e também a parada cardíaca. O corpo de Laysa foi sepultado no sábado (20), no Cemitério São João Batista, no Bairro Ponto Novo.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...