Slide 1 Slide 2 Slide 3

DIREITOS

Aprendendo sobre adolescentes gays - PARTE 2


Estabelecendo um vínculo com adolescentes gays




1. Faça perguntas honestas, que demonstrarão que você sinceramente deseja entender pelo que os homossexuais nessa faixa etária enfrentaram após revelarem sua orientação sexual e como é o dia a dia deles. Mostrar suas preocupações de forma honesta fornecerá um apoio importante e abrirá os canais de comunicação com os adolescentes gays.

*Lembre-se de que fazer perguntas sinceras também pode significar que você fará questionamentos difíceis.

*Pergunte se eles se sentem seguros, as dificuldades que enfrentaram, se já revelaram a orientação sexual às pessoas próximas e como o relacionamento entre eles mudou, se a resposta for afirmativa.

*Uma parte da compreensão dessa identidade é entender as relações sexuais; nesse caso, sexo entre gays. Familiarizar-se com isso fornece uma base, uma estrutura e informações durante toda a fase pré-adulta




2. Aprenda a ouvir de forma ativa, não transformando o tempo juntos em uma conversa unilateral. Ouça bem o que a outra pessoa está dizendo e responda de acordo, para que o papo não “trave”.

*Faça o possível para não ser argumentativo ou combativo em excesso.

*Responda com perguntas, compreendendo os sentimentos do indivíduo.




3. Participe de atividades junto com o adolescente homossexual. Para entendê-lo, você precisa se conscientizar, mas o “impulso” sentido sumirá rapidamente se não for seguido de comunicação e ação. Encontrar novos hobbies e atividades (ou até ressuscitar costumes antigos) é uma ótima maneira de passar um tempo e saber mais sobre a vida de adolescentes gays.

*Saiam para o cinema ou simplesmente tomem um café, conversando.

*Demonstre seu apoio e interesse em entender a orientação sexual dele indo a eventos direcionados à comunidade LGBTQ, como a Parada Gay, ou comemorando o Dia Nacional de Sair do Armário (11 de outubro).




4. Evite confrontos. Resista à vontade de reagir baseando-se em crenças preconceituosas e responda entendendo e aceitando a posição da pessoa.

*Exponha suas opiniões, preocupações e convicções em forma de perguntas, em vez de declará-las diretamente.

*Não tente mudar um adolescente gay, já que essa não é uma escolha que o indivíduo fez. Não há como mudar mesmo se você (ou ele) quiser. [12]

*Usar palavras como “certo” e “errado” acabam transmitindo, na maioria dos casos, um tom mais de julgamento do que de preocupação genuína. Em vez disso, fale “eu entendo você” para demonstrar que compreende o sentimento da pessoa.


NA PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO PARTE 3

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...