Slide 1 Slide 2 Slide 3

DIREITOS

Como Fazer a Transição de Homem a Mulher.


PARTE3 - Passando por tratamentos não cirúrgicos.




1. Faça sessões de terapia de reposição hormonal. Elas servem para deixar você mais confortável com o próprio corpo. Os hormônios alteram o organismo, alinhando-o ao gênero de identificação. Como é um homem que quer fazer a transição para mulher, o endocrinologista ou médico generalista vai receitar um regime de estrogênio, que vai ter de ser seguido à risca. Depois de começar, não pare — mesmo que já tenha feito a redesignação sexual. A terapia de reposição muda o corpo drasticamente, e, para alguns, é um tratamento adequado para a disforia de gênero. Porém, ela não muda o tamanho das mãos ou o tom da voz e, embora encolha os testículos, não os remove. Por causa disso, muitas pessoas aderem a outras formas de tratamento em busca dos resultados esperados.

*Entenda os riscos da terapia de reposição hormonal. Seus músculos vão encolher e a gordura do corpo vai se deslocar a novos lugares. Ademais, os hormônios podem provocar danos sérios no fígado, caso não haja acompanhamento médico. Nunca se automedique.

*Sempre tome a menor dosagem de hormônios possível. Se exagerar, você vai retardar o processo de transição.

*O médico generalista ou endocrinologista deve acompanhar as sessões de reposição hormonal. Marque consultas regulares!








2. Remova pelos do corpo. Sessões de remoção a laser são dolorosas e caras! Além disso, comece assim que possível, pois o tratamento é muito longo. Você pode precisar de 100-400 horas para tirar a barba por completo e também ter de trabalhar os braços, as costas, o peito e as pernas.[22] Antes de passar pela cirurgia de redesignação de sexo, também é preciso remover os pelos do escroto.




3. Faça sessões de terapia vocal. A reposição hormonal não altera a voz, mas dá para mudá-la com outras alternativas. Trabalhe com um fonoaudiólogo para encontrar o tom, a ressonância e a inclinação perfeitas para a sua voz feminina. Esse profissional vai ajudar você a alterar o ritmo da sua fala, assim como outros detalhes. Por fim, também vai fazê-lo se acostumar a dizer algumas palavras e frases mais femininas: "meu bem", "querida", "meu amor" etc.

*Se não tiver condições de consultar um especialista, encontre algo na internet! Você pode ver vídeos, comprar CDs e DVDs e até baixar aplicativos que ensinem vários tipos de exercícios vocais.

*Mudar a voz exige paciência e prática. O processo pode demorar entre seis meses e um ano.

PARTE4 - Passando por tratamentos cirúrgicos.




1. Faça a redução da cartilagem tireoide. Diminuir o tamanho do pomo de Adão (cartilagem tipicamente masculina) é um procedimento simples e sem complicações.




2. Ponha implantes nos seios. A terapia de reposição hormonal aumenta o tamanho dos seios naturalmente para algo P ou PP (próximo a 38). Porém, se quiser aumentar e mudar o formato e o aspecto do busto ainda mais, faça implantes.

*Colocar implantes nos seios é um procedimento arriscado, já que pode haver vazamento de toxinas. Depois da cirurgia, não é aconselhável removê-los por completo — a pele na região não voltaria ao normal. Portanto, pense bastante antes de tomar uma decisão.




3. Faça a cirurgia de feminização facial. Ela combina vários procedimentos para alterar os traços masculinos do rosto, tornando-os mais delicados. Você pode mudar o queixo e o nariz, a linha limite do cabelo ou até os lábios para deixar a transição mais convincente. O cirurgião plástico pode dar a você uma aparência perfeita, delicada e feminina.

*Durante a cirurgia, o médico também pode reduzir o tamanho do pomo de Adão.




4. Faça a vaginoplastia. Nesse procedimento, o cirurgião converte o tecido peniano e escrotal em uma vagina, incluindo o clitóris e os lábios. Depois, a genitália vai ter aspecto feminino e você vai poder ter relações sexuais e até orgasmos. Lembre-se de que a cirurgia é irreversível.

PARTE5 - Terminando de acertar os detalhes




1. Escolha um nome e faça a mudança. Pense em algo que reflita a sua personalidade enquanto mulher. Comece o quanto antes, mas tenha paciência. Primeiro, vá ao cartório e às outras autoridades da cidade onde mora para mexer com a papelada. Se todos os documentos estiverem em ordem, você pode conseguir a mudança do nome de registro. Se tiver dúvidas, faça uma pesquisa na internet.

*O processo varia bastante de acordo com a região.

*Comece assim que possível!




2. Prepare-se para a transição no trabalho. Descubra qual a política da empresa em relação a funcionários transgêneros e transexuais. Antes de terminar o processo, converse com seu supervisor ou um representante de RH sobre o que está acontecendo. Se tiver problemas, entre em contato com um advogado ou membro da comunidade trans para saber o que fazer. No fim, decida se vale mesmo a pena se estressar!




3. Blinde-se contra o preconceito. Informe-se sobre os recursos à disposição da comunidade LGBTQ, principalmente mulheres trans. Encontre centros e grupos de apoio locais e, se for discriminada, recorra a um amigo, familiar ou ativista de confiança. Seja forte e conte com o seu sistema de apoio.


Dicas:


*Nunca é tarde demais para fazer a transição. Até adultos podem fazer os tratamentos e chegar a belos resultados!

*Vai haver um período em que seus mamilos e seios vão ficar inchados. A dor varia de pessoa a pessoa; porém, de forma geral, cuide bem da alimentação e não faça dietas extremas ao mesmo tempo em que toma medicamentos.

Avisos


*Não interrompa a terapia de reposição hormonal, a menos que o médico recomende. Isso pode danificar o seu sistema endócrino.

*Se tiver de se automedicar (algo que não é recomendado, mas muitos transgêneros ainda cometem o erro de fazer), faça uma pesquisa extensiva sobre o assunto de antemão.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...