Slide 1 Slide 2 Slide 3

LIVROS DA ESTANTE


LIVRO DA SEMANA:
Clube da Moto

J. V. Leite




Quando Guilhermina saiu de sua cidade natal para estudar o mercado e trazer uma unidade da sua rede de confeitaria para capital, ela jamais poderia imaginar que seus planos seriam substituídos por uma vontade irresistível de ajudar Cristiano a tirar seu restaurante da beira da falência. Logo uma amizade floresce entre eles e com ela vem junto a necessidade extrema de estarem perto um do outro.

Ele é um motoqueiro romântico, irmão do misterioso Fabiano, líder do bando de motoqueiros e que esconde um grande segredo. Ela é uma interiorana muito esperta, que tem um primo apaixonado por um gay enrustido. E ambos não podem imaginar a grande intriga que estarão envolvidos no desenrolar desta trama.

Clube da Moto é uma comédia romântica sobre amizade, amor, altruísmo, segredos e reviravoltas, onde nem tudo é o que parece ser, mas muitas possibilidades estão por vir


Nossa Avaliação

Versátil

Mais uma obra dessa versátil autora, que embora mudando o foco, conserva a elegância marcante de sua escrita. Emoção, tensão, mistério e amor, misturados numa salada de puro prazer. Nos leva a uma passagem pelo submundo das perigosas ganges nacionais, mas com a peculiaridade de se encontrar mocinhos travertidos de bandidos. Ao final, bem, aqui a autora comete alguns pecados, mergulhando numa nebulosa clichê e tanto quando água-com-açucar, onde todos vivem felizes para sempre. Porém, isso não chega a comprometer o livro, roubando apenas uma estrela de seu universo.

Avaliação: 4 Estrelas


Onde Encontrar:


BOA LEITURA !!!

Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

MINHA VIDA GAY

Pai transgênero revela medos e fala sobre como foi descobrir a gravidez.


Wyley Simpson e Stephan Gaeth 


A vida do casal gay Wyley Simpson, de 28 anos, e Stephan Gaeth, de 27 anos, foi televisionada pelo reality show “Extreme Love”, série da We TV. Exibido na sexta-feira, 4, o episódio mostrou como Wyley e seu amado lidaram com o fato de ele ser um pai transgênero.

Wyley Simpson é um homem trans e sua transição começou em 2012. “Sempre me senti desconfortável com o corpo feminino que nasci, me sentia diferente e estava preso em algo que não via como sendo eu”, afirmou.

Em 2013, o jovem retirou os seios, passo significativo em seu processo. “Todos podiam ver o quanto eu estava feliz e o quanto eu podia ser eu mesmo”. Moradores do Texas, nos EUA, o casal se conheceu por meio do Grindr e foi amor à primeira vista. “Eu adorei como ele se vestiu, eu amei como ele agiu, eu amei seu comportamento, sua personalidade”, comentou Wyley.

De acordo com ele, Stephan Gaeth lidou naturalmente com sua identidade de gênero. “Todas as pessoas que sai no passado não me aceitaram por quem eu sou. Stephan sabia desde o início que sou transgênero”. No entanto, os dois jamais imaginaram que seria possível acontecer uma gravidez.

O inesperado

Devido à testosterona, até os médicos excluíram a possibilidade de uma gravidez vingar. Contudo, o inesperado aconteceu. “Eu comecei a sentir enjoo e descobri que estava grávido de 11 semanas. Quando vi o resultado positivo, fiquei nervoso, emocionado, comecei a chorar, não sabia o que fazer, pensar ou dizer”, disse Wyley.

Mesmo com as complicações, o pequeno Rowan nasceu há cerca de cinco meses. “Quase três dias de trabalho de parto e agora estamos com nosso bebê. Amo meu marido demais. Nunca conheci alguém mais forte.”

Depois do nascimento do bebê, que aconteceu em 5 de setembro de 2018, o pai transgênero ainda lida com uma depressão pós-parto. “É uma longa batalha mental. Muitas pessoas não exaltam as partes difíceis de uma gravidez.” As informações são do Yahoo.

Veja aqui:


https://www.instagram.com/p/BnGpm0-DFBH/?utm_source=ig_embed

Internado por vício, passa por “cura gay” e é estuprado!




O auxiliar de classe Eduardo*, 31, de Osasco (SP), pediu a ajuda dos pais, em 2011, para conseguir tratar a depressão e largar o vício em álcool e na cocaína. No entanto, ele acabou passando por clínicas que acreditavam que ele tinha estes problemas por ser homossexual e estar possuído por “espírito da pomba-gira”. “As pessoas pensam que fundamentalistas vão criar clínicas especializadas em cura gay. Este ‘tratamento’ acontece, no entanto, de forma velada, em algumas comunidades terapêuticas evangélicas”, afirma o rapaz, hoje um militante contra a existência de manicômios, à Universa. 

Dentro de duas das três clínicas onde foi internado, Eduardo conta que viveu o inferno. Ele viu roupas de uma pessoa travesti serem queimadas, foi ameaçado de ser linchado por não querer “deixar a viadagem” e foi obrigado por outros internos a prestar “favores sexuais”. Pacientes que recebiam o “cargo” de monitores obrigavam-no a fazer sexo oral neles para evitar delações desnecessárias. De acordo com o artigo 203 da lei de número 12.015, de 2009, “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso” é considerado estupro e pode render pena de seis a dez anos de prisão. 

Leia o depoimento de Eduardo:

“A minha primeira internação foi em 2011. Naquela época, eu não havia assumido a minha homossexualidade, mas a minha família desconfiava. Ninguém concordava com a minha orientação, uma parte por ser evangélica, outra por achar que era uma vergonha. 

Eu estava passando por um momento de depressão devido à homofobia que sofria dentro de casa, por isso comecei a beber e a usar cocaína de forma abusiva. Pedi ajuda para minha família para lidar com estes problemas. A gente não conhecia nenhuma ajuda terapêutica. Minha irmã descobriu, então, uma clínica na igreja que ela frequentava. O pastor, dono do lugar, dizia que tratava tanto a homossexualidade quanto a dependência química. Era um pacote que ele vendia. 

Um dia, eu cheguei em casa do trabalho e meu pai e meu irmão me arrastaram para o Centro de Atenção Psicossocial (Caps). Lá, eu fui sedado. Acordei dentro de uma comunidade terapêutica em Caucaia do Alto, em Cotia (SP). 

Estava em um quarto com 60 pessoas. Todo mundo amontoado. O cômodo tinha apenas uma janela, que estava coberta por uma chapa furada com prego e uma porta com uma grade, como a de uma cadeia. No fundo, havia três banheiros sem porta, então não havia privacidade. Eles diziam que era para evitar suicídio e sexo. Era um ambiente imundo.

A gente só saía do quarto para ir ao culto, que era das 7h ao meio-dia, e para as refeições. Eles davam muito chá para a gente falando que era para não ficarmos com tesão, porque, segundo eles, a bebida era broxante. Eles já estavam lidando com pessoas que eles achavam que teriam relações homoafetivas. 

Na primeira semana, eles começaram a falar sobre a minha homossexualidade. A gente não tinha consulta com ninguém, era só no culto. Lá, eles faziam aqueles discursos homofóbicos. Eles falavam que a gente estava com o "espírito da pomba-gira" e faziam a gente subir no púlpito para orarem por nós. 

Nós tínhamos monitores, que também eram internos. Se eles viam um homossexual conversando com outra pessoa, eles mandavam parar. Eles falavam que a gente podia estar falando 'putaria'. 

Tive que fazer 'favores sexuais' para monitores, como, por exemplo, sexo oral. Fazia em troca de privilégios como dormir um pouco mais, não ser delatado para o pastor. Teve um dia que tive que fazer sexo oral porque eles estavam assistindo a um filme pornô de madrugada e eu vi. Para não me incriminarem, eu tive que ceder.

Eles isolavam os homossexuais. Mas os internos procuravam a gente para fazer sexo. Os monitores ficavam assediando psicológica e sexualmente a gente e os pastores ficavam fazendo a tortura psicológica, dizendo que estávamos destruindo a nossa família, que nossos pais estavam deprimidos e acabados por sermos gays. 

Esse isolamento, no entanto, fez a gente se fortalecer. Nós dávamos apoio uns aos outros. Porém, ainda assim, fiquei sabendo de companheiros meus que se suicidaram depois de sair da clínica ou que voltaram para as drogas.

Eu vi um homossexual sendo espancado por ter tentado fugir. Quebraram os dentes e o dedo dele. Um dia, um interno soltou gases em um culto, 11 pessoas espancaram este cara a ponto de ele ficar desfigurado. Os monitores tinham um pedaço de pau escrito Chico Doce, e nos ameaçavam com isso. Havia sessões de correção, que, na realidade, era uma surra corretiva.

Uma vez eles internaram uma travesti. Logo que ela chegou, queimaram todas as roupas femininas dela na frente de todo mundo, na porta do quarto, para todo mundo ver. Fizeram corrente de oração para ela, enquanto queimavam seus pertences. Foi surreal.

Uma vez por mês, eu recebia a visita dos meus familiares. Uma vez por semana, eu tinha direito a uma ligação monitorada. Eu falava para a minha família o que acontecia, mas eles eram orientados a não acreditarem em mim. 

Depois de nove meses na clínica, eu fiz um escândalo em uma visita pedindo para sair. Um capataz, que era um dos donos da clínica, me pegou e me levou para um quarto e me deu um tapa na cara, dizendo para eu parar. Nisso, o meu pai viu o que ele tinha feito e, por isso, me tirou de lá. 

Saí completamente arrasado. Em choque com tudo o que tinha acontecido. Perdido, sem saber o que fazer. Comecei a ficar muito tempo na rua e acabei começando a usar crack. Meses depois, eu pedi ajuda novamente para a minha família por causa da droga.

Nos anos seguintes, eu fui internado mais três em clínicas para dependência química. Na última internação, eu fui para uma comunidade terapêutica em São Roque (SP), em 2014. Lá foi outro inferno. Tinha um interno que se dizia terapeuta que, todo dia pela manhã e à noite, fazia os 40 internos orarem apontando a Bíblia para mim, dizendo que aquele espírito que me tornou homossexual deveria sair.

Nessa clínica, também sofri agressões físicas. Eu saí porque eu comecei a protestar. Um dia, o 'terapeuta' e outros internos que faziam a vigília ameaçaram me linchar por estar com o diabo dentro do corpo. Eu me tranquei dentro do escritório do dono e liguei para a minha família. Eu deixei o cômodo depois que a minha família chegou lá. 

Mas a minha família não acreditava no que eu contava. Não sei se até hoje eles acreditam nas coisas que eu passei. Eles sentem muita culpa por tudo o que aconteceu. Depois das internações, comecei a ter um diálogo com a minha família sobre a minha homossexualidade. Arrumei um emprego em que os donos eram um casal gay, então eles começaram a ter mais contato e ficaram mais abertos.

A última clínica em que eu fui internado, em São Roque (SP), esteve no dossiê do Conselho Regional de Psicologia e descobriram havia maus tratos e violação de direitos humanos. O dono da primeira clínica chegou a ser processado pelo Ministério Público e teve as clínicas fechadas, mas eu sei que ele já tem outras abertas. Não processo o dono da primeira clínica, em Caucaia do Alto, porque tenho medo, já que ele tem uma igreja no bairro ao lado, envolvimento com o crime organizado e ameaçou a minha família quando eles me tiraram da clínica."

A fila andou: Tokinho aparece ao lado de novo namorado: “Chegou pra somar”.




Sucesso nas redes sociais, Tokinho parece ter encontrado o seu mais novo amor! A novidade foi divulgada pelo humorista em seu Instagram nesta segunda-feira (14/01). “A paz se multiplicou! Que bom que você chegou pra somar”, escreveu o humorista na legenda da imagem em que aparece ao lado de Giovani Bernardino.

Segundo Tokinho, os dois se conheceram pelo Instagram e foi amor à primeira vista. “Nós passamos o Natal e Ano Novo juntos. Ele é um fofo”, disse o influenciador para o Pheeno. Em seu perfil no Instagram, Giovani, que é comissário de bordo, também comemorou o namoro com Tokinho: “Quando você encontra o real sentido do que é parceria, companheirismo, respeito e admiração”, escreveu ele na legenda da foto em que aparece ao lado do influenciador.


https://www.instagram.com/p/Bsod7NxBubW/?utm_source=ig_embed

SER GAY NA ALEMANHA



PRECONCEITO NA ALEMANHA?



Colônia (Köln), a cidade mais gay da Alemanha



Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

SEXO

Punheta: dicas para se masturbar e sentir muito mais prazer!


A masturbação, ao contrário do que muitos dizem e pensam, pode ser uma prática saudável para o homem, desde que feita na frequência correta, e sem se tornar um vício na vida da pessoa.  Além disso, existem diversas formas e técnicas para serem utilizadas como dicas de masturbação, a fim de tornar a sua diversão muito mais prazerosa e simular uma verdadeira relação sexual.



Existem vários sinônimos para este ato, vejamos alguns: masturbação, bronha, descabelar o palhaço, jogar dadinho, estrangular o careca, bater um bolo, descascar a banana, afogar o ganso, etc.




Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

NÓS AMAMOS OS PACOTES

Estes garotos são muito travessos e querem nos colocar de joelhos, querem sentir o desejo pelo seu pacote, onde eles guardam a ferramenta perfeita que se adapta a sua boca, nas suas mãos, a sua bunda... e fazem voce explorar o prazer!! Espero que apreciem...







Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

ARTE HOMOEROTICA E QUADRINHOS EROTICOS


 




QUADRINHO EROTICO - EROTIC COMICS:


DIA DE LA PLAYA - DAY OF THE BEACH - DIA DE PRAIA


(PORTUGUES- ENGLISH VERSION- ESPAÑOL)


VEJA ABAIXO - VEA ABAJO- SEE BELOW

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

GATO BELAMI

GAELAN BINOCHE



Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

DIREITOS

Decreto que flexibiliza posse de arma eleva risco de feminicídios no País.


“As estatísticas de violência contra a mulher são reveladoras de quanto o espaço doméstico é inseguro para as mulheres em geral", afirma a advogada Maira Pinheiro, da Rede Feminista de Juristas.


Em 2016, 40% das mortes de mulheres em casa foram com armas de fogo no Brasil.

Quinto país que mais mata mulheres no mundo, de acordo com números da OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil pode piorar seus indicadores de feminicídio com a flexibilização do uso de armas de fogo. Dados analisados por especialistas mostram que a liberação de armamentos pode aumentar a vulnerabilidade em casos de violência doméstica e que, dificilmente, as mulheres conseguirão se defender de agressões.

Decreto assinado nesta terça-feira (15) pelo presidente Jair Bolsonaro prevê que a “efetiva necessidade” para posse de arma concedida pela Polícia Federal irá abranger proprietários rurais e de estabelecimentos comerciais, agentes de segurança e moradores de unidades federativas que tenham índices anuais de mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes, conforme os dados de 2016 do Atlas da Violência 2018. Todos os estados e o Distrito Federal se encaixam nesse critério. O texto não muda regras para porte de arma.

Na avaliação de especialistas que atuam na área, defensores do armamento desconhecem fatores do cenário de violência contra mulher, como o perfil das vítimas e dos agressores e as fragilidades da rede de assistência, incluindo falhas no atendimento nas delegacias e na fiscalização de medidas protetivas e número insuficiente de casas de abrigo.

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

HOMOSSEXUALIDADE

Como levar um hétero pra cama, sem álcool.



"Como convencer um boy que jura de pés juntos que é hétero (sabendo que ele é bissexual enrustido e jamais admitiria isto) mas que diz adorar um boquete acima de qualquer coisa a "experimentar" comigo? Se possível com argumentos e sedução, sem uso de álcool. Hahahaha."

~*~

Quem nunca sentiu desejo por um hétero? Pra quem não sabe, todo gay tem a fantasia de um dia se atracar com um. É engraçado, mas está na natureza do ser humano se sentir atraído pelo perigo. Parece que quanto mais o terreno é proibido, mais a gente tem vontade de quebrar o bloqueio. O caso do nosso querido leitor é um pouquinho diferente, pois o bofe tem sintomas de bissexualidade. Algo que já facilita bastante a situação do nosso companheiro.

Vamos ao passo-a-passo. Gata, primeiramente, argumento de sedução é uma coisa que você vai ter que abolir dessa sua estratégia. Porque com esse bofe enrustido você vai ter que agir e mostrar a magia das suas habilidades. Mas vamos por partes.

Primeiro, invente uma viagem com a uma amiga sapa e ele. De preferência num lugar sem badalação. Isso vai evitar que ele queira sair pra caçar à noite. E você não vai querer ser trocado por uma racha... Entenderam a amiga sapatão, né? Nada de concorrência. 

Essa viagem deve durar três dias. Você precisam ficar hospedados na casa dessa amiga sapa de vocês. Como ela é a dona da casa, será ela quem vai decidir onde vocês dormirão. Lógico que sua amiga já estará sabendo de todas as suas intenções e vai colocar os pombinhos no mesmo quarto. Mesmo dormindo juntos, não vá com sede ao pote, lembre-se: você tem dois dias pra conquistar a confiança dele. Vocês estarão no mesmo quarto e ele não pode se assustar com você.

Durante esse dias, bebam bastante, deixem a conversa fluir. Tente retirar o máximo de confissões dele. Deixe o broto bem soltinho e à vontade. Quando chegar a última noite da viagem, prepare um jantar, regado a um bom vinho, coisa fina. Vá para cama cedo. Nada de deixar o boy cansadão, pra não peder a noite. Segure o seu edy e coloque o celular pra despertar às 4 horas da manhã, não esqueça de colocar no modo silencioso pra não acordar o boymagia. 

Quando o celular despertar é hora de entrar em ação. Nesse horário o gato estará no 15º sono. Sonhando com putaria, a maioria dos homens sonham com essas coisas e tem ereção noturna. Daí você vai começar o serviço acariciando o bilau dele, com muito cuidado para não acordar o bonito, se o negócio endurecer, caia de boca, queridinha! Todo homem adoooooora ser acordado com um belo boquete. E já que o seu bofe disse que gosta, capriche... Aproveite e coloque uma venda nos olhos dele. Ele vai achar que está sonhando com isso, e quando acordar vai ver que é você! Se o seu boquete for dos bons, ele não vai querer que você pare. Se o negócio pegar fogo, vá até o fim nessa fofada! Não esqueça a sua lushuosa camisinha.

Depois desse acontecimento marcante na sua vida, poderão acontecer duas coisas: ele pode querer repetir, ou nunca mais olhar na sua cara. Daí é com você saber se vai querer arriscar a sua pele trabalha no Monange. E boa sorte!

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

CARACA! OLHA COMO TÔ!!



]



Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

FOFOCAS DE CELEBRIDADES - GOSSIPS

Cardi B e City Girls lançam clipe de "Twerk".



A rapper Cardi B é a convidada especial do novo single do City Girls, "Twerk". O duo divulgou nesta quarta-feira (16) o clipe oficial, que traz muita dança baseada no movimento que dá nome à música.



Hozier anuncia novo álbum e divulga o single "Almost (Sweet Music)". 



Hozier está fechando a semana com algumas novidades. O cantor anunciou seu novo álbum, "Wasteland, Baby!", que será lançado no dia 1º de março, e já estreou mais um single para divulgação.



Sigrid lança novo single, "Don't Feel Like Crying". 



A cantora norueguesa Sigrid divulgou, nesta quinta-feira (17), seu novo single "Don't Feel Like Crying", música que fará parte do seu álbum "Sucker Punch", previsto para ser lançado no dia 1º de março.


Movimento LGBT é agregado à apresentação de bumbá do Festival de Parintins (AM).


Boi-Bumbá Caprichoso inclui movimento LGBT em sua apresentação para o Festival Folclórico de Parintins 2019


O Festival Folclórico de Parintins é conhecido nacional e mundialmente por conta da carga cultural e criativa esbanjada na arena dos bumbás, localizada no município do Amazonas. Trata-se de uma disputa entre o Boi-Bumbá Garantido e o Boi-Bumbá Caprichoso, duas organizações que retratam a cultura amazonense por meio de alegorias, ícones e toadas (músicas).

Pela primeira vez na história do Festival, que acontece desde 1965, o movimento LGBT é agregado oficialmente por uma das agremiações. Enquanto fomentador da cultura, a intenção do Boi Caprichoso é incluir LGBTs no quadro de artistas da apresentação oficial, que acontece sempre no último fim de semana de junho.

De acordo com o jornal Em Tempo, a Diretoria e o Conselho de Artes do Caprichoso firmaram parceria com a Associação de Gays, Lésbicas e Travestis de Parintins (AGLTPIN) para a criação do Grupo de Teatro nomeado de Esperança. Em suma, o grupo ofereceu 80 vagas e realizará um curso teórico e prático para os LGBTs interessados em participar.

O coordenador do Conselho de Artes do Boi Caprichoso, Ericky Nakanome, informou que o movimento LGBT integrará partes essenciais da apresentação do bumbá em 2019. O Esperança fará parte dos momentos de abertura, exaltação folclórica, lenda, ritual e figura típica do Caprichoso. Todos são itens que contam pontos para a agremiação.

Outro membro da comissão de artes do Boi, Zandonaide Bastos, se mostrou feliz com a inclusão gerada pela atividade. “Isso faz com que nos fortaleça ainda mais. Eu fico muito feliz em recebê-los. Soma ainda mais com a força que nós temos. Trabalhamos nesse projeto desde agosto de 2018, com o nosso presidente Babá e todos incansáveis. Recebemos vocês de coração aberto”, afirmou.

Regina Duarte diz que Bolsonaro é doce, Homofobia é só da boca pra fora e já se revolta contra o Presidente.



A atriz Regina Duarte, uma das personalidades que apoiam Jair Bolsonaro (PSL), defendeu o candidato em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, na qual afirmou que a fama de machista, racista e homofóbico seria nada mais que resultado de um humor ultrapassado, coisa de “homem dos anos 1950”.

“Mas, quando conheci o Bolsonaro pessoalmente, encontrei um cara doce, um homem dos anos 1950, como meu pai, e que faz brincadeiras homofóbicas, mas é da boca pra fora, um jeito masculino que vem desde Monteiro Lobato, que chamava o brasileiro de preguiçoso e que dizia que lugar de negro é na cozinha”, diz. A atriz conta que planejava, até então, votar em Geraldo Alckmin (PSDB) ou João Amoêdo (Novo), mas sua reflexão sobre os erros e omissões do PSDB a fizeram mudar de ideia. “Foi quando notei o tamanho da adesão desse país ao Bolsonaro e pensei: eu sou esse país, eu sou a namoradinha desse país.”

Parece que a atriz Regina Duarte não está muito satisfeita com as primeiras ações do governo de Jair Bolsonaro e decidiu soltar o verbo nas redes sociais. A global foi uma das grandes apoiadoras da campanha do, então, candidato do PSL durante a disputa presidencial e agora detonou o político.

O motivo do desabafo de Regina contra Bolsonaro foi a possibilidade de Renan Calheiros ser eleito para o comando do Senado Federal, sendo, inclusive, apoiado pelo presidente da República e seu partido. 

Atriz afirmou que o país precisa de pessoas novas em Brasília, não as antigas: “Precisamos saber quem é quem no novo (novo?) time de Brasília”, disparou, em tom de revolta, fazendo questão de convocar seus seguidores para uma manifestação marcada para o domingo (20), na Avenida Paulista, em São Paulo.

Após poucas horas da publicação, o post no perfil do Instagram da atriz já tinha mais de 40 mil likes e inúmeras mensagens pedindo ao atual presidente que organize seu governo de forma coerente. “Esse desgoverno mal começou e só retrocede”, “O Brasil não vai avançar assim, a cada dia é um passo para atrás”, “E aí dona Regina Duarte, Arrependidinha? Isso é só o começo! Estão a fim de tirar corrupto da politica?”, foram alguns comentários na página da atriz.

Paraplégico, ator pornô gay grava filme para mostrar que deficientes também fazem sexo.




Kenneth Connin, ator pornô gay, quer mostrar ao mundo que sua deficiência não o impede de atuar no ramo de filmes adultos. Kenneth decidiu gravar uma cena para o estúdio do youtuber gringo e empresário do ramo, Davey Weavey, o Himeros TV, em uma produção que pretende quebrar este tabú.

Kenneth conta que se acidentou aos 18 anos, tendo uma fratura na coluna que o deixou paraplégico perdendo os sentidos do bíceps pra baixo. Ainda assim, ele afirma que sempre quis trabalhar com pornografia. “Só porque me acidentei e tenho algumas limitações, não significa que eu não curta dar e sentir prazer. Fora a cadeira de rodas, sou uma pessoa como outra qualquer”, afirmou ele em entrevista ao Davey Weavey.

“Tenho orgulho do que estou fazendo agora”, disse ele. Sua cena, chamada “F*de a minha cara”, contem ainda um outro ator pornô praticando sexo oral com ele. Kenneth ainda fala sobre a decisão de gravar vídeos adultos: “Eu espero que as pessoas entendam, ao assistirem a minha cena, que não há problema em fazer sexo você sendo fisicamente menos capacitado ou não”.

Confira o trailer



Hilário: Homem pede reembolso após ver casal gay se beijando em festa dedicada ao público LGBT.




O DJ Rob Holley, de Londres, na Inglaterra, relatou no Twitter um episódio homofóbico na festa de Réveillon que organizou. Através da publicação, Holley contou que recebeu o e-mail de um frequentador que se sentiu incomodado ao presenciar um casal gay se beijando no local.

Identificado como Stuart, o homem exigia que houvesse um reembolso do valor pago por não saber que o evento era aberto para LGBTs. Apesar de afirmar não ser homofóbico, ele diz que tanto ele quanto sua namorada não gostaram de ver dois caras se beijando. Holley tentou argumentar com Stuart que, em todas as peças de divulgação do evento e também no site responsável pela venda dos ingressos, estava sinalizado que a Push The Button é uma festa livre de preconceitos e inclusiva para todas as orientações sexuais. Mesmo assim, o homem fazia questão de ser reembolsado pois a visão do casal gay “estragou sua noite e de sua namorada”.

Ao checar o ocorrido com a hostess da festa, o DJ descobriu que Stuart tinha solicitado um reembolso após três horas desde sua entrada no evento. Cansado da demonstração de intolerância, Holley informou que o valor do ingresso não seria devolvido, mas doado à uma instituição de apoio à comunidade LGBT. Stuart não gostou da ideia e passou a ofender o DJ, que respondeu: “da próxima vez, usaremos triângulos rosa em nossas roupas para te beneficiar”. O triângulo rosa invertido era uma marcação feita em campos de concentração nazistas para identificar os homens gays que foram capturados. Stuart respondeu: “se puder, por favor use”.

FAZ ISSO, NÃAAO...



DURMINDO? FUI NO QUARTO DE MEU AMIGO E ENCOTREI ELE ASSIM...O QUE FAÇO?



GALERA, VAMOS USAR MAIS AS CICLOVIAS!!






UM CARA LINDO...











ALEX MACHUCA...







Anthony Kiedis do Red Hot Chili Peppers...








Até mais amigos!!



Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...