Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR


Atendendo a pedidos, resolvemos reprisar toda a sequencia dos contos de Pedro e sua punhetas. Espero que se divirtam

Punheta acompanhado do amigo
(Parte I)
Um conto erótico de Pedro

 


Eu tinha 16 anos, Nessa época outras redes sociais faziam sucesso.
Recebi a solicitação de um Marcelo. O perfil e era de um amigo de infância que tínhamos estudado na mesma escola. Conversamos uns dias e até que Ele me chama pra sair.

Nos encontramos e Marcelo tinha uma namorada, pele muito clara, olhos negros e uma cara de safada, ela foi também e marcamos de sair mais vezes, geralmente os 3. Um dia estávamos numa espécie de palestra (sim fazíamos uns rolês bem aleatórios).

Quando eu e ele começamos conversar sobre alguma putaria via sms(pra não atrapalhar nem chamar atenção pra nós). Enquanto eu e ele conversamos ela lia tudo e sorria.
Éramos novos, putaria era linguagem universal.

Em algum momento o assunto sobre pornô e punheta começou. Mas logo teve que terminar afinal ainda estávamos num ambiente sério. Até aí ficou só nisso e fomos pra casa.

Depois de um tempo eles terminaram e eu fiquei ainda mais próximo dele, nesse período. Direto começávamos o assunto de putaria no chat, e eu um dia comecei brincando dizendo que queria um bom pornô, ele disse que não tinha, que ia baixar. O assunto sobre punheta virou rotina . Quase todo dia a gente falava um pouco sobre isso. E isso estava criando uma tensão sexual em nós.

Varias vezes ele me trouxe o celular dele com alguns pornôs. Ele era exigente com a qualidade. E gostava de ver envolvimento .
Logo eram pornôs longos e com certa intensidade.
Eu também baixei alguns e deixei no meu celular.

Certo dia ele conversava com uma ficante por telefone e eu fui tomar banho. Deixei a porta do banheiro aberta e ele entrou, logo escondi meu pau com as mãos mas a real é que ter outra pessoa me olhando nu me deu tesão e eu comecei ficar de pau duro e não consegui esconder.


Ele olhou rapidamente fez alguma piada pra menina no outro lado da linha e saiu do banheiro. Logo ele voltou, olhou de novo e saiu.

Fiquei desconfortável, não queria que ele me visse nu, como também fiquei constrangido pq meu pau endureceu . E ao sairmos pra rua fui logo pedindo:
- Mano, para de querer me ver pelado. Hoje eu fiquei constrangido.
Ele riu e disse:
- Sei. Eu vi lá seu constrangimento...
Falou isso de forma irônica.

Eu sentia vergonha, e nem respondi ... Me senti estranho, e resolvi tacar o foda-se. Se ele queria ver, que olhasse então .

Na mesma semana ele foi na minha casa, ia dormir lá, e aí eu pedi o celular dele e fiquei vendo os pornôs dele. Logo tava de pau duro com muito tesão pq estava sendo observado. Comecei uma punheta discreta por dentro da calça e tava deliciosa, sentia na minha mão o pau muito duro, cada latejada parecia que era um orgasmo .


Ele percebeu e não ficava lá babando olhando pra mim, vez ou outra olhava firme sem constrangimento pra minha mão dentro da calça e às vezes balançava a cabeça em negativa ...
O tesão aumentou e Eu já nem ligava, com a rola de fora tava me exibindo abertamente mesmo .

Ele resolve pedir meu celular, e coloco a senha, entrego . E ele abre a pasta de pornô e começa assistir também . Olhei pra ele e vi ele apertado o pau que já estava duro, fazia um volumão no shorts dele.

Continuei minha aventura e resolvi curtir o pornô que tava top, era uma mulher que tinha varias orgasmos seguidos, aquilo me enlouqueceu ...

 

Estávamos na minha cama e dei uma pausa e de repente sinto ela balançar no Ritmo de uma punheta e quando olhei, Marcelo tava com a rola de fora do shorts se masturbando ... fiquei olhando fixamente por uns 3 segundos e senti meu pau dar uma pulsada tão forte que voltei logo a bater . Voltei a atenção pro filme, mas a cama balançando tava me distraindo, ele tinha um saco grande e cheio, de cor moreno claro e um pau clarinho também . Um pau de uns 16 cm e um pouco fino . Eu sabia que ele era hétero e convencido disso mas eu já duvidava dos meus desejos .

Eu já tava batendo a mais tempo, gozei primeiro ... minhas pernas esticadas a mão apertando o pau e jatos longos seguidos saíram de porra branca e sujaram minha barriga . Ele ficou olhando nesse momento, e acho que isso intensificou meu tesão ...


 

Tinha sido surreal... eu e meu amigo estávamos batendo uma do lado do outro . Ele ainda continuava a punheta dele, eu me limpei com uma blusa e guardei meu pau , quando sinto o balançar da cama parar.
E ele estremecer: estava gozando. Meu pau endureceu com essa cena .
Ele segurava firme a cabeça do pau, dava pra ver (e imaginar) o pau dele pulsando, tentando jogar pra fora a gozada que parecia intensa, mas ele segurava firme a cabeça do pau sem deixar nenhum líquido sair.

Observei como as bolas dele pareciam maiores agora, e o saco contraído fazia elas parecerem fixas e grandes na base da rola.
Respirou fundo deu mais uns espasmos e parou. Pediu a blusa pra limpar e eu joguei a blusa toda gozada que eu tinha limpado meu pau.
Joguei de sacanagem, Achei que ele ia recusar, mas ele aceitou, provavelmente sujou a mão e o pau na minha goza.
Mas achou uma parte limpa do tecido e limpou ...

Depois dessa dormimos e no outro dia continuamos a rotina normal, nem falávamos do assunto. Como se nunca tivesse acontecido .

(CONTINUA NA PRÓXIMA SEMANA)

Poderá gostar também de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...