Slide 1 Slide 2 Slide 3

MINHA VIDA GAY

Ex-ator da Disney revela noivado com companheiro de longa data.





Garrett Clayton e Blake Knight estão noivos. Pelo Instagram, nesta quinta-feira (11), o ex-galã da Disney se declarou ao parceiro e revelou aos seguidores que muito em breve subirão ao altar.

“Faz um ano desde que ele me pediu em casamento na Islândia durante a viagem mais linda e no mais maravilhoso dia da minha vida. Nunca vou esquecer o momento em que se ajoelhou, nervoso e empolgado. Todo dia com ele é repleto de alegria e risadas”, escreveu o ator.

Apesar de noivarem recentemente, os pombinhos já estão juntos há um bom tempo: “Em menos de um mês, vamos completar oito anos juntos, cheios de altos e baixos, 90% de altos, e sempre serei grato por ele entrar naquele meu restaurante 24 horas quando me mudei para Los Angeles e sonhava em ser ator. Ele era um assistente que queria ser escritor. Agora, olhe para nós! Ele nunca falhou em me apoiar, me amar, em ser teimoso e ser aquela rocha sensível na minha vida. Um brinde a outros 100 anos de viagens pelo mundo, roubo às suas meias e amor aos nossos bebês, sejam eles cachorrinhos ou bebês humanos. Te amarei para sempre”.

O loiro ganhou destaque no cenário artístico após participar de “Teen Beach”, em 2013.

Vejam aqui;

https://www.instagram.com/p/BrlJHCejzN1/?utm_source=ig_embed

Transexual comemora título de eleitor com nome social: “Significa muito”.




Aos 36 anos, Di Anna conseguiu uma vitória que muitos transexuais anseiam. Moradora de Bonito (MS), ela entrou com uma petição, em 2018, junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TRE), para que pudesse substituir o nome de nascimento pelo nome social em seu título de eleitor. Na última semana, o processo chegou ao fim e ela alcançou o que tanto quis.

De acordo com o G1, Di Anna é formada em Análises de Sistemas e Filosofia, e escolheu esse nome porque “representa a força e a pureza do ideal feminino”. O título de eleitor foi o primeiro documento oficial no qual a transexual decidiu utilizar o nome social, e isso se deve a constrangimentos passados.

“Em uma ocasião, trabalhei como técnica de urna. A pessoa que estava na zona eleitoral, mesmo sabendo meu nome social, fez questão de me chamar pelo nome de nascimento. Foi de propósito, para me constranger. Agora acabou o constrangimento”, afirmou ela.

Moradora de um interior do Mato Grosso do Sul, Di Anna vê em si mesma um meio de levar informação às pessoas que se sentem acoadas por não serem chamadas pelo nome social. “Em nome de muitas transexuais que vivem reprimidas, digo que isso significa muito para todas nós. Sobretudo para a representatividade”, relata.

Ainda em conversa com o G1, Di Anna contou que, ao final do processo, foram impressos dois títulos. O que constava o nome de nascimento ficou retido. O que consta o nome social ela passará a utilizar a partir de agora. “Tenho a certeza de que vou poder exercer minha cidadania nas próximas eleições, com muito mais conforto e sem constrangimentos”.

Homossexualidade no Japão.



Como sai do armário



Bairro gay de Tokyo



100 Beijos/kisses



Poder� gostar tamb�m de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...